BNCC: como criar currículos escolares adequados aos desafios do século XXI

A Base Nacional Curricular Comum (BNCC), anunciada pelo governo brasileiro em 2015 e prevista no Plano Nacional de Educação (PNE), propõe que professores e educadores elaborem o projeto pedagógico e o currículo escolar a partir de ‘objetivos de aprendizagem’, tanto para a educação infantil quanto para os ensinos fundamental e médio. A proposta, ainda em análise, foi elaborada pelo MEC com a participação de 116 especialistas de 35 universidades e a contribuição de professores, estudantes e dirigentes educacionais por meio de consulta pública online.

 

Entre as mudanças para o ensino médio, por exemplo, a proposta prevê que 1.800 horas sejam baseadas na Base Nacional e as 1.200 restantes, oferecidas de acordo com os itinerários formativos propostos por cada instituição. A ideia é que seja possível escolher entre uma formação mais aprofundada em área ou a ramificação entre outras áreas de conhecimento.

 

Para a educadora Guiomar Namo de Mello um dos maiores desafios que surgem com a BNCC é o desenvolvimento de currículos que, de fato, preparem os alunos para o novo mercado de trabalho. “O desafio é grande e o Brasil tem pouca tradição em criação de currículo. Temos grandes curriculistas, mas são exceções em um país com 2,5 milhões de professores , 200 mil escolas e 50 milhões de alunos. Teríamos que ter essa expertise de planejamento e gestão curricular espalhada pelas escolas do Brasil”, explica.

 

Segundo Guiomar, a solução começa com o estudo aprofundado da BNCC, análise crítica da atuação em sala de aula sob a ótica da Base Nacional e investimento na formação dos educadores. “É preciso que o professor tenha uma postura mais empreendedora. Se os educadores não são empreendedores, como vão formar alunos com esse perfil?”, questiona.

 

Em entrevista ao CER, Guiomar falou sobre a formação dos estudantes para os novos desafios do mercado de trabalho. Veja:

 

 

Clique aqui para baixar a BNCC na íntegra.

leia também

Universidades de portas abertas para o mercado
continuar lendo
5 dicas de como trabalhar a autoestima em sala de aula
continuar lendo
Conheça o portal de educação do IBGE
continuar lendo
newsletter
x
área restrita
Usuário
senha