Cinco filmes que vão mudar sua visão sobre educação

Filmes produzidos há mais de 20 anos ou contemporâneos; baseados em fatos reais ou com roteiros fictícios; brasileiros ou estrangeiros…Buscamos diferentes pontos de vista e selecionamos cinco filmes que falam sobre educação e instigam a repensar os modelos tradicionais de ensino e as relações sociais dentro de sala de aula. Confira!

1 - Tarja Branca

Definido pela revista Carta Capital como “um corajoso elogio ao brincar”, Tarja Branca é um documentário brasileiro lançado em 2014 que fala sobre a importância da brincadeira para a formação das crianças e adolescentes. A partir de uma série de depoimentos de pedagogos, artistas, psicólogos, humoristas e outros profissionais das mais diversas áreas, o filme também aborda a necessidade de se resgatar o universo lúdico na vida dos adultos e como a leveza e o improviso das brincadeiras são importantes para uma vida bem sucedida – colocando em xeque, inclusive, o conceito de sucesso. A brincadeira ainda é apontada como uma das principais armas para a criatividade e o pensamento inovador.

2 - Sociedade dos Poetas Mortos

Sociedade dos Poetas Mortos é um clássico. Produzido nos anos 80, o filme continua atual nos dias de hoje e é inspirador tanto para educadores quanto para alunos. Na trama, o professor de poesia John Keating se vê em conflitos constantes com a direção conservadora do colégio em que leciona. Entre as estratégias para ajudar os estudantes a pensarem fora da caixa e desenvolverem seu potencial, ele incentiva a turma a andar pela classe, subir nas mesas e apresenta a Sociedade dos Poetas Mortos, um clube de poesia que acaba se tornando a grande paixão de alguns dos alunos.

3 - Entre os muros da escola

Na periferia de Paris, o professor François Marin dá aulas de Francês a um grupo de imigrantes e, além do ensino da língua, se vê às voltas com os relacionamentos conflituosos dentro de sala de aula e entre os alunos e ele próprio. A relação aluno-professor, a diversidade e as minorias nas escolas são alguns dos principais temas tratados no filme, que mescla ficção e fatos reais, baseados no livro de François Bégaudeau que também é roteirista do filme. Outra curiosidade é que os alunos são estudantes reais e não atores.

4- Escritores da liberdade

A trajetória de vida dos alunos como principal gatilho para as transformações na educação. Esse é o enredo de Escritores da Liberdade, filme baseado em uma história real. Erin Gruwell, professora recém-graduada, recebe como missão educar uma turma com alunos admitidos na escola pela lei de integração racial, muitos deles vindos de comunidades violentas e em situação de risco social. Uma das formas que ela encontra de fazê-los baixar a guarda e aprender a olhar o outro com respeito e dignidade é ensinando-os a olhar, antes, para dentro de si mesmos.

5 - Quando sinto que já sei

Uma nova escola é possível. “Quando sinto que já sei” apresenta exemplos de modelos de educação disruptivos que vêm contribuindo para dar mais autonomia aos alunos e melhorar a qualidade do ensino. E o melhor: assim como o documentário, todos os exemplos são genuinamente brasileiros. Entre as iniciativas que aparecem no filme: escolas que se abriram para a comunidade, que dão liberdade aos alunos e incluem o desenvolvimento de aspectos socioemocionais entre as competências do currículo. Confira aqui a entrevista que o co-diretor do filme, Antonio Sagrado Lovato, concedeu ao CER.

 

leia também

Saiba como se tornar um professor mais empreendedor
continuar lendo
Conheça as iniciativas dos cinco primeiros colocados no ‘Nobel’ da educação
continuar lendo
5 espaços de coworking que refletem o novo mercado de trabalho
continuar lendo
newsletter
x
área restrita
Usuário
senha