Cinco filmes que vão mudar sua visão sobre educação

Filmes produzidos há mais de 20 anos ou contemporâneos; baseados em fatos reais ou com roteiros fictícios; brasileiros ou estrangeiros…Buscamos diferentes pontos de vista e selecionamos cinco filmes que falam sobre educação e instigam a repensar os modelos tradicionais de ensino e as relações sociais dentro de sala de aula. Confira!

1 - Tarja Branca

Definido pela revista Carta Capital como “um corajoso elogio ao brincar”, Tarja Branca é um documentário brasileiro lançado em 2014 que fala sobre a importância da brincadeira para a formação das crianças e adolescentes. A partir de uma série de depoimentos de pedagogos, artistas, psicólogos, humoristas e outros profissionais das mais diversas áreas, o filme também aborda a necessidade de se resgatar o universo lúdico na vida dos adultos e como a leveza e o improviso das brincadeiras são importantes para uma vida bem sucedida – colocando em xeque, inclusive, o conceito de sucesso. A brincadeira ainda é apontada como uma das principais armas para a criatividade e o pensamento inovador.

2 - Sociedade dos Poetas Mortos

Sociedade dos Poetas Mortos é um clássico. Produzido nos anos 80, o filme continua atual nos dias de hoje e é inspirador tanto para educadores quanto para alunos. Na trama, o professor de poesia John Keating se vê em conflitos constantes com a direção conservadora do colégio em que leciona. Entre as estratégias para ajudar os estudantes a pensarem fora da caixa e desenvolverem seu potencial, ele incentiva a turma a andar pela classe, subir nas mesas e apresenta a Sociedade dos Poetas Mortos, um clube de poesia que acaba se tornando a grande paixão de alguns dos alunos.

3 - Entre os muros da escola

Na periferia de Paris, o professor François Marin dá aulas de Francês a um grupo de imigrantes e, além do ensino da língua, se vê às voltas com os relacionamentos conflituosos dentro de sala de aula e entre os alunos e ele próprio. A relação aluno-professor, a diversidade e as minorias nas escolas são alguns dos principais temas tratados no filme, que mescla ficção e fatos reais, baseados no livro de François Bégaudeau que também é roteirista do filme. Outra curiosidade é que os alunos são estudantes reais e não atores.

4- Escritores da liberdade

A trajetória de vida dos alunos como principal gatilho para as transformações na educação. Esse é o enredo de Escritores da Liberdade, filme baseado em uma história real. Erin Gruwell, professora recém-graduada, recebe como missão educar uma turma com alunos admitidos na escola pela lei de integração racial, muitos deles vindos de comunidades violentas e em situação de risco social. Uma das formas que ela encontra de fazê-los baixar a guarda e aprender a olhar o outro com respeito e dignidade é ensinando-os a olhar, antes, para dentro de si mesmos.

5 - Quando sinto que já sei

Uma nova escola é possível. “Quando sinto que já sei” apresenta exemplos de modelos de educação disruptivos que vêm contribuindo para dar mais autonomia aos alunos e melhorar a qualidade do ensino. E o melhor: assim como o documentário, todos os exemplos são genuinamente brasileiros. Entre as iniciativas que aparecem no filme: escolas que se abriram para a comunidade, que dão liberdade aos alunos e incluem o desenvolvimento de aspectos socioemocionais entre as competências do currículo. Confira aqui a entrevista que o co-diretor do filme, Antonio Sagrado Lovato, concedeu ao CER.

 

leia também

Aprender pela experiência: conheça a metodologia criada pela Perestroika
continuar lendo
Saiba como aplicar as estações de aprendizagem em sala de aula
continuar lendo
Acesse todo o conteúdo ConecteCER!
continuar lendo

Quer ficar sabendo de tudo antes? Assine a
newsletter e receba novidades no seu e-mail.

x
área restrita
Usuário
senha