Cocriação de valor: o que é e como ela pode impulsionar inovações em sua instituição de ensino

As soluções inovadoras são o objetivo de grande parte das empresas, mas elas podem gerar resultados ainda mais concretos quando desenvolvidas de maneira colaborativa. Essa é a ideia da cocriação de valor, conceito que parte do princípio de que as melhores iniciativas surgem com o compartilhamento de experiências entre as pessoas.

A cocriação substitui processos unilaterais de elaboração de produtos ou de desenvolvimento de soluções por projetos coletivos que agregam valor para todos os envolvidos. A integração de áreas ou mesmo de pessoas diferentes, que dificilmente estariam reunidas na empresa para discutir um projeto em comum, por exemplo, gera impactos positivos em todos os envolvidos, como:

  • Motivação: quando as pessoas são encorajadas a pensar em novas ideias, elas se sentem reconhecidas e irão se engajar ainda mais nos próximos projetos de cocriação.
  • Empatia: a capacidade de se colocar no lugar do outro é um dos pontos principais desse tipo de iniciativa. Ainda que as experiências sejam diferentes, o diálogo só é possível quando as pessoas compreendem a realidade de cada um.
  • Desenvolvimento constante: o compartilhamento de vivências e conhecimentos é fundamental para que todo o grupo e a empresa se desenvolvam. A cocriação de valor faz com que isso seja possível.
  • Melhores ideias: o brainstorming cocriativo tem capacidade para ser ainda mais produtivo do que os mesmos processos de compartilhamento de ideias tradicionais. Dessa forma, é possível selecionar aquela que se encaixa melhor à realidade do negócio.

 

Cocriação já é realidade

No Brasil, empresas como a Natura colocam em prática projetos de cocriação de valor. Ela possui o projeto Natura Campus, que é um espaço de colaboração e construção de relacionamento com instituições de ciência e tecnologia, empresas e empreendedores para a geração de inovação e valor compartilhado.

A cocriação de valor também pode ser a referência de trabalho em instituições de ensino. Os educadores e gestores precisam lidar no dia a dia  com diversas questões, dos mais diferentes tipos. Elas envolvem alunos e pais e, por isso, podem ser muito complexas. Nesses casos, a cocriação de valor pode ser a melhor solução, uma vez que a realização de iniciativas compartilhadas gera retorno para a instituição e para quem nela trabalha.

A Recode, organização focada no empoderamento digital de jovens, desenvolveu um projeto que reuniu professores e alunos para refletirem sobre as práticas adotadas em sala de aula relacionadas ao uso da tecnologia. Os participantes foram divididos em grupos e produziram, de maneira colaborativa, conteúdos para serem usados na escola como forma de incentivo à aplicação da tecnologia no ensino.

Esse é apenas um exemplo de como as instituições podem investir na cocriação e como esse tipo de iniciativa tem grande capacidade de transformação das realidades. Além da busca por soluções inovadoras, outros resultados positivos são gerados a partir do momento em que a comunidade escolar se sente inserida no processo de tomada de decisões na escola.

 

A cocriação no dia a dia

A cocriação é extremamente promissora, mas como colocar o conceito em prática nas instituições de ensino? A resposta está em metodologias como o design thinking, que considera as sessões de cocriação partes fundamentais do processo de elaboração de novos produtos ou soluções. A sessão, que pode ser um workshop, por exemplo, deve seguir algumas etapas, como:

  1. Mapeamento: tenha em mãos um diagnóstico que mostre quais questões ou problemas precisam ser analisados pelo grupo. Além de ser um trabalho mais assertivo, garante foco às atividades.
  2. Perfil: conheça os participantes para programar as atividades de acordo com a capacidade de dedicação e esforço de todos. Só assim será possível manter o nível de participação alto na maior parte do tempo.
  3. Envolvimento: para garantir a dedicação do grupo, é preciso que os participantes se identifiquem com o projeto ou problema. É importante aprofundar o relato que mostre a relevância do momento de cocriação e como a instituição de ensino pode se beneficiar do trabalho conjunto.
  4. Exemplos: os participantes não terão as mesmas experiências uns dos outros. Por isso, é importante investir em referências similares e em outros cases que deem sentido àquele trabalho. Essa etapa é importante, inclusive, para o processo de brainstorming.

Viu como a cocriação pode transformar rotinas e ser uma aliada até mesmo do processo de aprendizagem? Comece desenvolvendo projetos específicos e amplie a aplicação da metodologia para todas as áreas. A cocriação como política de atuação pode render resultados inovadores! Para continuar aprendendo sobre metodologias que privilegiam a criatividade e a colaboração, conheça a fundo o design thinking, que vem revolucionando o mundo dos negócios e da educação.

leia também

Empreendedorismo por mulheres e para mulheres - Entrevista Priscila Gama
continuar lendo
Como transformar os indicadores de desempenho escolar em ferramenta de inovação
continuar lendo
Espiral do conhecimento: conheça a metodologia
continuar lendo

Quer ficar sabendo de tudo antes? Assine a
newsletter e receba novidades no seu e-mail.

x
área restrita
Usuário
senha