Como a arquitetura está impactando o ensino na Finlândia

A Finlândia figura na lista dos países que mais investem em educação no mundo. O 5,495 milhões de habitantes do país nórdico têm acesso a educação gratuita, totalmente financiada pela arrecadação de impostos, com materiais didáticos gratuitos e educadores reconhecidos por seu trabalho.

 

Os planos de ensino são criados pensando na individualidade de cada estudante, as lições são multidisciplinares e baseadas em projetos, com atividades práticas, que buscam preparar os jovens para a vida e, desde cedo, estimulam a autonomia e confiança nos alunos. Tudo isso elevou a Finlândia a um patamar de referência quando o assunto é educação em todo o mundo. Mas o que pouca gente sabe é que a arquitetura também tem contribuído para tornar o ensino mais rico e inovador no país.

 

A primeira mudança foi exatamente repensar a estrutura das salas de aula tradicionais, fechadas em quatro paredes. Elas estão se transformando em espaços multimodais, com divisórias transparentes que permitem a comunicação entre os diferentes ambientes e a integração das salas com os corredores.

 

A nova configuração acabou dando lugar a outra mudança. Como os espaços abertos geram mais ruído, as escolas finlandesas adotaram o uso de carpetes e, aos poucos, os alunos passaram a frequentar os espaços descalços ou com sapatos muito leves.

 

O reconhecimento de outros espaços como lugares de estudo também tem transformado a educação na Finlândia: ambientes virtuais, videogames, museus, parques, laboratórios são usados de acordo com a necessidade dos professores e alunos para potencializar e contextualizar o ensino de cada tema.

 

A abertura e a integração dos espaços físicos e virtuais não são adequações com propósito exclusivamente arquitetônico, mas pedagógico, estimulando formas de pensar mais amplas e sistêmicas. Além disso, a sala de aula não convencional exige dos estudantes um maior senso de responsabilidade, melhor capacidade de gestão do tempo e das atividades e trabalho em equipe.

 

leia também

Fique por dentro de sete tendências de empreendedorismo
continuar lendo
Cinco pontos para considerar no pitch da sua EdTech
continuar lendo
Educação empreendedora para todas as idades - entrevista com Heloisa de Menezes
continuar lendo
newsletter
x
área restrita
Usuário
senha