Como usar o instagram na educação

Já são mais de 1 bilhão de usuários ativos mensais, ou seja, mais de 13% de toda a população mundial acessa, pelo menos uma vez por mês, essa rede social, que registra taxas de crescimento de cerca de 5% por trimestre. Já sabe de qual rede social estamos falando? É claro que é do Instagram, uma das plataformas de compartilhamento de imagens mais populares em todo o mundo.

Criado em 2010, o Instagram tem passado por diversas mudanças ao longo dos anos, incorporando novas funcionalidades que vão muito além das tradicionais fotos quadradas, marca registrada da rede social em seu início. Comprada pelo Facebook em 2012, atualmente a rede também é conhecida por seus Instagram stories – séries de vídeos curtos com prazo de validade de 24 horas – e pela recente IGTV, que permite a veiculação de vídeos com até uma hora de duração para as contas verificadas.

 

Dicas para inserir o Instagram na educação

Apesar de já fazer parte da nossa vida cotidiana, o Instagram ainda é pouco explorado pelos professores em sala de aula. Para ajudar você nessa tarefa de incluir a rede social nas atividades em classe, separamos cinco dicas:

 

1) Criação de tutoriais

Há alguns anos, editar vídeos era uma tarefa que exigia pelo menos algum conhecimento prévio e acesso a softwares específicos e demandava tempo. Com os apps para celular, essa missão se tornou supersimples, e vídeos básicos podem ser produzidos e editados em questão de minutos, no próprio aparelho. Com isso, ficou mais fácil produzir conteúdo interessante para as redes sociais, entre os quais destaca-se como  um dos campeões de audiência o estilo tutorial. Seja de receita, de maquiagem ou de decoração “do-it-yourself (faça você mesmo), esses tutoriais conquistaram a audiência por serem dinâmicos, educativos e altamente práticos. Por isso, criar tutoriais é uma boa maneira de engajar seus alunos nos projetos e experimentos de cada disciplina, incentivando-os a prototipar suas ideias.

Se a sua escola possui um laboratório equipado, um fab lab ou um makerspace, ainda melhor: os tutoriais podem ser levados a um nível ainda mais elaborado, com explicação do passo a passo para a realização dos projetos e experiências, bem como demonstração de técnicas de fabricação e processo de prototipação.

No Instagram, os tutoriais podem ficar disponíveis nos stories ou no IGTV e serem editados com as próprias ferramentas do app.

 

2) Personagens históricos

Assim como sugerimos no post sobre o uso do Twitter em sala de aula, o Instagram – e qualquer outra rede social – pode ganhar uma função superdivertida para as aulas de História ou Literatura, por exemplo.

Usar as redes para criar o que seria o perfil de uma personalidade ou figura histórica e pedir que os alunos façam a gestão desse canal, os ajuda a se colocarem no lugar daquela persona, pesquisando mais sobre seus costumes, pensamentos, motivações e até pontos fracos.

 

3) Exposição de trabalhos

Por que não dar uma repaginada na forma como os estudantes apresentam seus trabalhos e projetos? Ao invés de contar apenas com uma apresentação expositiva, uma boa ideia é sugerir dinâmicas multiplataformas, desafiando os alunos a criar conteúdo a partir de suas conclusões. Para isso, deixe a imaginação correr solta. Vale considerar os suportes tradicionais – como desenho, teatro e música, por exemplo – e as mais diversas plataformas digitais – YouTube, SnapChat, Facebook, Twitter.

No Instagram, os alunos podem lançar mão de recursos como fotos, vídeos, transmissões ao vivo e gifs para encontrar a melhor solução para a exposição de seus projetos. Por agregar tantas funcionalidades e ter a imagem como um dos carros-chefe, a ferramenta funciona bem como o suporte principal para a exposição do projeto.

 

4) Memória da turma

Uma boa ideia para o começo de cada ano ou semestre letivo é sugerir aos estudantes a criação de um perfil da turma. Nele podem ficar registradas as principais iniciativas realizadas, os “making ofs” da preparação das atividades,  aulas, fotos e vídeos dos projetos ao longo do ano, por exemplo. Ao final do período, os registros funcionam como um verdadeiro relatório e uma ferramenta de acompanhamento da evolução da turma.

Os estudantes podem assumir também o controle da plataforma e criar, no melhor estilo ‘blogueiros’, conteúdo em vídeo comentando fatos históricos, notícias e atualidades.

 

5) Aprendizado pelo studygram

Outro uso que tem-se tornado cada vez mais popular é a criação de perfis de studygram – ou instagrams dedicados ao estudo. Neles estudantes de todo o mundo compartilham resumos das aulas, fazem transmissões ao vivo para tirar dúvidas mais comuns e se preparam, colaborativamente, para os exames, como em um grande grupo de estudos virtual.

No Brasil, os studygrams têm sido bastante usados por alunos em preparação para o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Que tal ficar por dentro dessa tendência e incentivar seus alunos a criar seus próprios studygrams? Confira o infográfico que preparamos com os principais passos para a criação de um perfil de estudos de sucesso. 

leia também

Empreendedorismo por mulheres e para mulheres - Entrevista Priscila Gama
continuar lendo
Como transformar os indicadores de desempenho escolar em ferramenta de inovação
continuar lendo
Espiral do conhecimento: conheça a metodologia
continuar lendo

Quer ficar sabendo de tudo antes? Assine a
newsletter e receba novidades no seu e-mail.

x
área restrita
Usuário
senha