Educação baseada em competências: como essa tendência tem preparado profissionais para o novo mercado de trabalho

A educação tem se tornado cada mais vez mais personalizada e um dos reflexos disso é a crescente popularidade do ensino baseado em competências. Apesar de não ser um conceito novo, o modelo foi apontado por Michelle Weise, diretora executiva da Sandbox CoLABorative, em artigo na revista Harvard Business Review, como a verdadeira revolução na educação do século XXI.

 

Com ritmo de aprendizado variável, o desempenho dos estudantes é avaliado conforme o domínio de certas competências, e não de alguns conceitos. O aluno segue em frente na medida em que comprova pleno domínio da competência estudada no momento. O currículo escolar é adaptado às habilidades identificadas em cada um, seus pontos fortes e interesses. Isso dá mais autonomia ao aluno em sua jornada de aprendizado, contribui para a autoestima e, principalmente, ajuda a formar profissionais mais bem preparados para o mercado de trabalho.

 

Segundo Michelle Weise, apenas 11% dos líderes de empresas acreditam que os recém graduados possuem as habilidades necessárias para as atividades exigidas no trabalho. Ela enfatiza que o surgimento de cursos online baseados em competências têm criado novos caminhos de aprendizado. Um dos motivos é ter o currículo altamente flexível. “Ao contrário da caixa preta do diploma, as competências levam a um sistema mais transparente que destaca os resultados da aprendizagem dos alunos”, comenta. Outro benefício é o fato de muitas instituições buscarem feedback no próprio mercado antes de montarem seus currículos, garantindo que as necessidades serão cobertas no aprendizado.

leia também

Universidades de portas abertas para o mercado
continuar lendo
5 dicas de como trabalhar a autoestima em sala de aula
continuar lendo
Conheça o portal de educação do IBGE
continuar lendo
newsletter
x
área restrita
Usuário
senha