Educação urbana: como a Alemanha inclui as cidades na educação infantil

Buscar a resolução de problemas de forma criativa, impactando positivamente a sociedade, é uma das premissas do empreendedorismo. Para isso, é fundamental ter consciência do seu entorno e das questões sociais, econômicas e políticas que afetam nossas vidas.

Pensando nisso, a Alemanha encontrou uma maneira de desenvolver a consciência cidadã nas crianças, com o objetivo de incentivá-los a se tornarem adultos mais conscientes e engajados. Conheça iniciativas de educação urbana no país que incluem as crianças na rotina das cidades:

Crianças e políticas públicas? Claro que sim!

Foi durante uma atividade na escola que a pequena Josephine Hebling começou a questionar a participação de crianças no desenvolvimento de políticas públicas. Incentivada por uma educadora, a menina criou o Conselho Consultivo de Crianças, que debate e leva propostas para os órgãos públicos da cidade de Freiburg. Juntas, as crianças já conseguiram pleitear a ativação do cinema da cidade e a construção de um ginásio.

O Conselho Consultivo de Crianças não é uma iniciativa isolada em Freiburg. Isso porque a cidade que já é reconhecida por ser ‘amigável’ aos pequenos. Já nos anos de 1990, a administração local demonstrava interesse em incluir as crianças na dinâmica urbana. Assim, encomendou uma pesquisa para mapear a ação delas no espaço urbano. Em 2004, foi criado o projeto Detetives do Bairro (Stadteildetektive). Ele foi utilizado para que os pequenos pudessem apontar obstáculos em seus caminhos corriqueiros e sugerir melhorias para facilitar seu deslocamento nas vias urbanas.

Um programa semelhante é realizado em outras 22 cidades alemãs desde 2015. O objetivo da campanha Mais Espaço Livre Para as Crianças, um Ganho para Todos (Mehr Freiraumm für Kinder, ein Gewinn für alle) é garantir a circulação livre e segura de crianças nas cidades.

Cidade brincante e educação urbana

Incluir o ponto de vista da criança no planejamento da cidade é foco do conceito das “cidades brincantes”, desenvolvidos pelo professor Bernhard Meyer. Em Griesheim, os cidadãos-mirins foram convidados a marcar os trajetos de suas casas até a escola ou aos locais de lazer. Para isso, eles indicavam o que mais lhes chamava a atenção e o que as repelia. As informações foram levadas aos urbanistas, que foram encarregados de transformar os locais, propondo vivências mais ricas para as crianças.

Alguns frutos do projeto:

  • Instalação de objetos para atrair a atenção dos pequenos para os pontos seguros de travessias de vias
  • Criação de um mascote para educação urbana no trânsito
  • Redução da velocidade máxima permitida aos carros

Segundo Bernhard Meyer, nos últimos 10 anos não houve registros de acidentes envolvendo crianças na cidade.

Quer saber mais sobre como é possível aprender cidadania e educação urbana brincando? Acesse também este blog post!

leia também

Universidades de portas abertas para o mercado
continuar lendo
5 dicas de como trabalhar a autoestima em sala de aula
continuar lendo
Conheça o portal de educação do IBGE
continuar lendo

Quer ficar sabendo de tudo antes? Assine a
newsletter e receba novidades no seu e-mail.

x
área restrita
Usuário
senha