Educação urbana: como a Alemanha inclui as cidades na educação infantil

Buscar a resolução de problemas de forma criativa, impactando positivamente a sociedade, é uma das premissas do empreendedorismo. Para isso, é fundamental ter consciência do seu entorno, das questões sociais, econômicas e políticas que afetam as vidas e o dia a dia da comunidade em que você está inserido.

Pensando nisso, a Alemanha encontrou uma maneira de desenvolver a consciência cidadã nas crianças, com o objetivo de incentivá-los a se tornarem adultos mais conscientes e engajados. Conheça iniciativas de educação urbana no país que incluem as crianças na rotina das cidades:

Crianças e políticas públicas? Claro que sim!

Foi durante uma atividade na escola que a pequena Josephine Hebling começou a questionar a participação de crianças no desenvolvimento de políticas públicas. Incentivada por uma educadora, a menina criou o Conselho Consultivo de Crianças, que debate e leva propostas para os órgãos públicos da cidade de Freiburg. Juntas, as crianças já conseguiram pleitear a ativação do cinema da cidade e a construção de um ginásio.

O Conselho Consultivo de Crianças não é uma iniciativa isolada em Freiburg, cidade que já é reconhecida por ser ‘amigável’ aos pequenos. Já nos anos de 1990, a administração local demonstrava interesse em incluir as crianças na dinâmica urbana, quando encomendou uma pesquisa para mapear a ação delas no espaço urbano. Em 2004, foi criado o projeto Detetives do Bairro (Stadteildetektive), para que os pequenos pudessem apontar obstáculos em seus caminhos corriqueiros e sugerirem melhorias para facilitar seu deslocamento nas vias urbanas.

Um programa semelhante é realizado em outras 22 cidades alemãs desde 2015. O objetivo da campanha Mais Espaço Livre Para as Crianças, um Ganho para Todos (Mehr Freiraumm für Kinder, ein Gewinn für alle) é garantir a circulação livre e segura de crianças nas cidades.

Cidade brincante

Incluir o ponto de vista da criança no planejamento da cidade é o foco do conceito das “cidades brincantes”, desenvolvidos pelo professor Bernhard Meyer. Em Griesheim, os cidadãos-mirins foram convidados a marcarem os trajetos de suas casas até a escola ou aos locais de lazer, indicando o que mais lhes chamava a atenção e o que as repelia. As informações foram levadas aos urbanistas, que foram encarregados de transformar os locais, propondo vivências mais ricas para as crianças.

A instalação de objetos para atrair a atenção dos pequenos para os pontos seguros de travessias de vias, criação de um mascote para educação no trânsito e redução da velocidade máxima permitida aos carros foram alguns dos frutos do projeto. Segundo Bernhard Meyer, nos últimos 10 anos não houve registros de acidentes envolvendo crianças na cidade.

Conhece iniciativas parecidas do Brasil? Conte pra gente em nossas redes sociais!

leia também

7 maneiras de estimular a autonomia dos alunos
continuar lendo
Formação de professores: os desafios da profissão no contexto da educação empreendedora
continuar lendo
Como o esporte pode te ajudar a levar empreendedorismo à sala de aula
continuar lendo
newsletter
x
área restrita
Usuário
senha