Empreendedorismo nas escolas: mais inovação e colaboração

Empreender é mais do que abrir o próprio negócio ou desenvolver habilidades de gestão de empresas. Tem também uma relação profunda com entender as dores do outro e buscar soluções para questões que impactam as pessoas e a comunidade. É por isso que, quando se abre espaço para a educação empreendedora nas escolas, deve-se estimular também duas outras competências essenciais para os dias de hoje: a inovação e a colaboração. Juntas, elas são capazes de promover grandes transformações no mundo dos negócios e na sociedade como um todo.

 

Inovação

Não existe inovação sem espaço para a experimentação e o erro. Afinal, o nascimento de uma boa ideia é parte do processo de maturação de muitas outras, de discussão e de aprendizado. A escola é, portanto, o lugar mais seguro para que a cultura da inovação seja colocada em prática. Fazer dela um espaço democrático, que estimula o pensamento livre e a geração de ideias sem imposição de limites, é o primeiro passo para isso.

 

Colaboração

Modelos participativos e horizontais favorecem a criatividade e a solução de problemas, pois colocam pessoas com diferentes perspectivas e realidades trabalhando por um mesmo propósito. Aprender a fazer com o outro e para o outro é uma lição que pode e deve ser aprendidas desde cedo. Criar ambientes colaborativos nas escolas contribui para que os jovens desenvolvem a empatia e o respeito pelas diferenças e que sejam capazes de se colocar no lugar do outro e pensar no bem-estar coletivo.

leia também

Universidades de portas abertas para o mercado
continuar lendo
5 dicas de como trabalhar a autoestima em sala de aula
continuar lendo
Conheça o portal de educação do IBGE
continuar lendo
newsletter
x
área restrita
Usuário
senha