Especialistas indicam 10 livros para aprender mais sobre educação empreendedora

Em cima do palco, durante uma palestra, é comum que o convidado cite uma série de referências que mudaram sua visão sobre determinado assunto ou que considera leituras e recursos essenciais para estudo. Durante a segunda edição do ConheCER, não foi diferente. Grandes nomes da educação brasileira e mundial estiveram presentes no evento, que foi realizado pelo Sebrae, em Maceió, no mês de agosto, para debater e disseminar a educação empreendedora no Brasil, e compartilharam seus conhecimentos e referências sobre tecnologia, inovação, educação, empreendedorismo.

Aproveitamos a oportunidade e perguntamos a eles: qual livro todo professor deve ler para entender melhor sobre o futuro da educação e a educação empreendedora? As respostas, você pode conferir na lista a seguir. Bom aprendizado!

Francisco Barreto de Araújo: Breaking Smart

Minha indicação é um livro pequeno, fino e simples chamado ‘Breaking Smart’, do autor Venkatesh Rao. Ele foi baseado na série Breaking Bad e escrito em formato de seriado. A primeira temporada fala sobre processo de digitalização. O livro tem uma linguagem muito límpida, muito fácil e, ao mesmo tempo, traz insights muito profundos sobre a dimensão da mudança de uma sociedade baseada no hardware para uma alçada no software. É uma transformação sem precedentes, que muda tudo: nossa maneira de pensar educação, empreendedorismo e o futuro.

Tiago Mattos: Libertando o poder criativo e Os robôs vão roubar o seu trabalho, mas tudo bem

‘Libertando o poder criativo’, do Ken Robinson, é o livro que inspirou várias das ideias que tenho hoje sobre aprendizagem. Outra publicação é a do escritor Paul Arden: ‘Tudo o que você pensa, pense o contrário’, que nos ajuda a entender como criar possibilidades que muitas vezes não estamos considerando.

Outra recomendação é o livro: ‘Os robôs vão roubar o seu trabalho, mas tudo bem’. O autor, Federico Pistono, questiona a ideia de trabalho – que vem da palavra tripalium, um equipamento de tortura da Idade Média. É por isso que tanta gente associa trabalho a sofrimento. Será que temos que pensar em trabalho ou em atividades? Se não educarmos as pessoas para entenderem as novas formas de trabalho, que sociedade estaremos preparando para o futuro?

Caio Dib: Trabalhando com o inimigo

“Indico um que não é especificamente sobre educação, mas sobre um cenário análogo. Chama-se ‘Trabalhando com o inimigo’, do Adam Kahane, que trabalhou em situações de pós-guerra. O livro fala sobre o uso de comunicação não violenta, empatia e colaboração para a construção de um caminho para um país seguir em frente depois de uma guerra ou uma situação tribal complexa.

E minha outra indicação é um “jabá” meu. É o meu livro ‘Caindo no Brasil’, em que conto sobre 13 práticas que conheci durante uma viagem e me encantaram. Você consegue entender mais sobre a educação brasileira por meio dele”.

Heidi Neck: A nova inteligência

Um livro mais antigo, que mudou a maneira como eu penso e minha abordagem sobre educação chama-se ‘A nova inteligência’, do Daniel Pink. É uma publicação anterior à existência do Design Thinking, que já fala sobre as competências desenvolvidas no lado direito do nosso cérebro e como devemos ensiná-las.

Fábio Zsigmond: Creating innovators

Um livro que foi fundamental para mim, quando ainda nem pensava sobre cultura maker, foi o ‘Creating Innovators”, em que o autor, Tony Wagner, descreve o caminho de empreendedores inovadores, mostrando o que eles fizeram para chegar aonde chegaram. É interessante que o livro fala sobre educação e mostra que eles chegaram lá apesar da escola.

Kari Matilla: Phenomenal learning

Se você quer aprender sobre a educação na Finlândia, o livro ‘Phenomenal learning’, da Kirsti Lonka é um ótimo recurso. E se você quer desafiar a forma como pensa, sugiro seguir o Simon Sinek nas redes sociais, especialmente os tweets que ele faz, e pensar em como aqueles temas podem se encaixar na sua sala de aula.

Federico Pistono: Princípios

Meu conselho para professores é o livro ‘Princípios’, do Ray Dalio, que fala sobre cometer erros e sobre não só aprender com eles, mas se apaixonar pelo processo de cometer erros e ter que lidar com as consequências deles. Um empreendedor de sucesso é, essencialmente, uma pessoa que comete erros melhores a cada dia.

leia também

Aprender pela experiência: conheça a metodologia criada pela Perestroika
continuar lendo
Saiba como aplicar as estações de aprendizagem em sala de aula
continuar lendo
Acesse todo o conteúdo ConecteCER!
continuar lendo

Quer ficar sabendo de tudo antes? Assine a
newsletter e receba novidades no seu e-mail.

x
área restrita
Usuário
senha