Por que o fact-checking contribui para a educação de qualidade?

A revolução tecnológica tem desestabilizado estruturas até então tradicionais e consolidadas, como o jornalismo. A importância da checagem de fatos surge a partir do uso cada vez mais intenso das redes sociais. Nesse contexto, notícias verdadeiras e embasadas competem com as fake news – que costumam ter maior alcance. Por isso é tão importante verificar se o conteúdo é verdadeiro ou não.

A boa notícia é que podemos adotar estratégias para reverter esse cenário e o fact-checking pode ser uma boa ferramenta para orientar a formação de alunos nesse momento em que as informações podem ser produzidas e divulgadas por qualquer pessoa com acesso à internet. Um dos fundamentos da educação empreendedora é desenvolver a autonomia dos estudantes, fazendo com que eles sejam protagonistas do próprio aprendizado. Por isso, saber lidar com a informação e filtrar fontes e dados para construir o próprio conhecimento é tão importante.

Quer saber como? Veja a seguir.

Saiba o que é e como funciona o fact-checking

O termo parece ser recente, mas não é. O fact-checking é um método jornalístico criado na década de 1920, no contexto norte-americano de profissionalização dessa área. Naquela época, jornais e revistas contrataram equipes com a intenção de constatar a confiabilidade dos fatos apresentados nas notícias, antes de sua publicação.

Por esse motivo, desde o seu surgimento, o fact-checking nada mais é do que o uso de estratégias e ferramentas para avaliar se determinada notícia é sustentada por fatos reais e atuais. Também é uma forma de verificar se o conteúdo é imparcial e se foram entrevistadas pessoas com diferentes opiniões e vivências sobre o assunto tratado. Além disso, a prática busca entender o contexto em que a notícia está inserida e conhecer seu autor.

Ensine 4 competências com a checagem de fatos

As redes sociais frequentemente são um bombardeio constante de notícias das mais variadas fontes. Por isso, é essencial que os usuários saibam avaliar sua veracidade.

Além de desenvolver essa habilidade, o fact-checking pode ser a chance de gerar:

  • Pensamento crítico: a atitude pode contribuir para que o aluno tenha um olhar mais amplo e analítico da realidade, entendendo a importância de considerar outros fatores antes de formar uma opinião ou agir.
  • Interpretação de texto: ao colocar os alunos diante de material jornalístico, o professor pode mostrar como a construção de um texto carrega significados variados. A análise do uso de adjetivos e conectores, desencadeamento de frases, ironia e outras estratégias ajuda a reforçar conceitos importantes da linguagem.
  • Investigação: o fact-checking também apresenta ferramentas e estratégias para que seja feita uma boa pesquisa. Na prática, o aluno saberá como utilizar a tecnologia em favor da busca por informação de qualidade.
  • Letramento midiático: há ainda o benefício de mostrar o gênero de texto, o processo de produção das notícias, a estrutura dos textos jornalísticos e quais são as estratégias empregadas para apresentar informações.

Como levar o fact-checking para a sala de aula?

Quer uma boa notícia?  O que não falta são opções para tratar o assunto na escola. O Instituto Poynter, por exemplo, é uma entidade dedicada ao ensino do jornalismo que dispõe de um plano de aula sobre o tema, disponível para download. Com duração estimada de 75 minutos, esse planejamento inclui exercícios práticos, exibição de vídeos e momentos de debate sobre as diferenças entre opinião e fato, notícia e boato. Pode ser uma boa opção para professores de Língua Portuguesa, História ou Sociologia.

Se quiser ir além, também é possível criar uma miniagência de checagem de notícias na turma, fornecendo todas as ferramentas para que os alunos verifiquem as informações que recebem no dia a dia.

Outra possibilidade é criar um jogo de tabuleiro, em que o percurso indica todos os caminhos para a formação do senso crítico entre os alunos. O educador pode também organizar visitas a redações jornalísticas a fim de colocar o aluno em contato com a atividade profissional e entender quais os passos para a verificação de informações.

Buscando contribuir com a definição do melhor caminho para a sua turma, não deixe de conferir alguns projetos gratuitos e com licença aberta desenvolvidos em 2018 durante o Mediathon: Educação para a Informação.

Comece com essas dicas

Para fazer a checagem de fatos, adote estas orientações básicas:

  • Não confie apenas no título da matéria
  • Investigue a origem da notícia
  • Pesquise se outros veículos estão falando sobre o assunto
  • Conheça melhor o autor da reportagem
  • Procure, em fontes oficiais, se o dado apresentado realmente existe e se foi utilizado no contexto adequado

O fact-checking também faz parte do ensino da educomunicação. Saiba como essa prática também pode ajudar a fortalecer a autonomia dos alunos.

leia também

Orientação vocacional: como preparar alunos para o trabalho do futuro
continuar lendo
Conheça o Programa Nacional de Educação Empreendedora
continuar lendo
Fab Lab e Makerspace: você sabe qual a diferença entre eles?
continuar lendo

Quer ficar sabendo de tudo antes? Assine a
newsletter e receba novidades no seu e-mail.

x
área restrita
Usuário
senha