Como usar a Internet das Coisas na educação

A Internet das Coisas já faz parte do cotidiano de muita gente. Celulares, fones de ouvido, lâmpadas, máquinas de lavar, prateleiras de supermercado, máquinas industriais, carros, aviões… Os objetos conectados à internet se multiplicam a cada dia, englobando artigos da vida comum, maquinário industrial e até mesmo a infraestrutura das cidades. De acordo com a revista Forbes, a Internet das Coisas é a “conexão de qualquer dispositivo com um botão liga-desliga para a internet”. As possibilidades são inúmeras, inclusive a de uso da Internet das Coisas na educação.

A ideia de sociedades conectadas em busca de maior conforto e facilidade para as pessoas está relacionada com o conceito de Sociedade 5.0. Essa expressão surgiu no Japão como uma resposta à Indústria 4.0, entendendo que, enquanto a Indústria 4.0 tem o foco nas fábricas, a Sociedade 5.0 foca o ser humano e suas necessidades, que são supridas pela inovação e pela transformação tecnológicas – como a que é oferecida pela Internet das Coisas.

Na Sociedade 5.0, as tecnologias têm papel maior do que apenas o de impulsionar a produtividade e a eficiência dos processos industriais e humanos. Nela, as tecnologias convergem com o objetivo de facilitar a vida dos seres humanos. Os sistemas inteligentes são aliados visando resolver questões como envelhecimento da população, desastres naturais, segurança, desigualdade social, educação e formação profissional.

Neste artigo, veja como é possível aplicar a Internet das Coisas na educação e como os objetos conectados podem beneficiar o aprendizado e a gestão escolar.

Como a Internet das Coisas pode beneficiar a educação

Como parte das tecnologias da informação e comunicação, a Internet das Coisas pode beneficiar a educação de várias formas. A UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) destaca, por exemplo, que tais tecnologias podem contribuir para a qualidade de ensino e aprendizagem, o desenvolvimento profissional de professores, a gestão, a governança e a administração educacional.

A Internet das Coisas pode simplificar a administração das escolas, possibilitando o monitoramento maior da infraestrutura e de equipamentos pertencentes às instituições. Outra vantagem é a possibilidade de agilizar, tornar mais eficientes e mais baratos alguns aspectos, como iluminação dos prédios e uso de salas.

Além disso, os objetos conectados criam outras formas de ensino, mais dinâmicas e imersivas, engajando os estudantes no aprendizado.

5 formas de usar a Internet das Coisas na educação

Confira algumas formas de usar os objetos conectados no contexto escolar.

Espaços integrados

Uma possibilidade de uso da Internet das Coisas na educação é conectar os diferentes ambientes da escola através da internet: salas de aula, lanchonete, biblioteca, salas de reunião, quadras, laboratórios, papelaria… os alunos poderiam utilizar o celular para verificar a disponibilidade de um livro na biblioteca, comprar um lanche na lanchonete, pedir a cópia de um arquivo na papelaria, solicitar um boleto à tesouraria, sugerir mudanças à Administração, dentre outras possibilidades. Muitas dessas opções ajudariam também os funcionários da escola.

Para os gestores, a integração desses objetos à internet permite reunir grande quantidade de dados sobre os alunos. É possível saber, por exemplo, quais gêneros de literatura são mais lidos, qual é a porcentagem de frequência e atrasos dos alunos em geral, se os estudantes compram alimentos saudáveis e quais são as preferências deles. Todos esses dados podem ser usados para identificar pontos de melhoria e questões que precisam ser trabalhadas, além de poder embasar uma série de tomadas de decisão.

Uso de dispositivos no aprendizado

A utilização da Internet das Coisas que já se tornou comum em muitas escolas, especialmente nas particulares, é o uso de dispositivos conectados à internet no dia a dia da sala de aula. Quadros interativos são usados para substituir a lousa, fornecendo acesso fácil a conteúdos audiovisuais, interação com sites e plataformas. Há também o uso de games educativos e a realização de competições escolares por meio de computadores conectados à internet. Ainda, alguns professores também pedem ao alunos que utilizem os celulares ou tablets em atividades de pesquisa em sala de aula.

Verificação de frequência

Outro diferencial é que a Internet das Coisas pode reduzir o esforço e o tempo que professores e demais funcionários gastam com atividades repetitivas. Uma que pode ser citada é a verificação da frequência dos alunos, a ser feita automaticamente através de sensores de localização em crachás, por exemplo.

Segurança da escola

Atualmente, muitos sistemas de segurança patrimonial já são conectados à internet. Assim, os proprietários são avisados automaticamente caso o alarme de presença dispare. Outra possibilidade é o rastreio de objetos e equipamentos caros, como notebooks, caixas de som e projetores, protegendo-os contra roubo ou, pelo menos, sendo identificada a localização do objeto após o furto, caso ocorra. Os livros da biblioteca também podem ser rastreados para que não se percam.

Organização do patrimônio

Assim como os objetos mais caros, todos os outros pertences da escola podem ter a localização monitorada, ajudando a organização eficiente dos recursos patrimoniais da escola, o que gera economia de despesas.

São diversas as possibilidades da Internet das Coisas na educação. O uso de objetos conectados à internet pode melhorar a experiência de alunos, professores, funcionários e da administração da escola, trazendo facilidade para os seres humanos no contexto escolar. Confira também 5 desafios e oportunidades do futuro da educação.

leia também

Eduscrum: saiba mais sobre a metodologia ágil para a educação
continuar lendo
Year On: conheça a experiência alternativa para o ensino superior nos EUA
continuar lendo
Como deve ser a formação de professores na Educação 5.0
continuar lendo

Quer ficar sabendo de tudo antes? Assine a
newsletter e receba novidades no seu e-mail.

x
área restrita
Usuário
senha