Conheça o que é o PBL, o ensino baseado em problemas

O Ensino Baseado em Problemas, ou Problem-based Learning (PBL), é a construção do conhecimento valendo-se da resolução de problemas em grupo. Nesse método, ao invés de receber conhecimento de forma passiva em aulas expositivas, os alunos ganham problemas para resolver, juntando-se a colegas para trabalhar de maneira conjunta nas resoluções.

O PBL foi adotado pela primeira vez em 1969, na Universidade McMaster, no Canadá, e na Universidade de Maastricht, na Holanda. Desde então, vem sendo implementado em diversas escolas e faculdades do mundo, sendo o modelo adotado por algumas faculdades de Medicina no Brasil.

Nesse post, entenda melhor como funciona o Ensino Baseado em Problemas, suas diferenças com relação ao Ensino Baseado em Projetos, benefícios e importantes pontos de atenção e ainda como o PBL pode beneficiar a Educação Empreendedora.

Ensino Baseado em Problemas X Ensino Baseado em Projetos

No Ensino Baseado em Problemas, cada aluno deve estudar previamente o assunto da aula e anotar suas dúvidas ou dificuldades. Na classe, são realizadas discussões sobre o tema por meio da apresentação de problemas, isto é, situações reais ou profissionais. Em grupos de até 10 alunos, são trabalhadas possíveis resoluções. Cada estudante precisa contribuir, mobilizando seus conhecimentos e realizando pesquisas mais aprofundadas em sala de aula.

O Ensino Baseado em Problemas pode ser confundido com o Ensino Baseado em Projetos ou Project-based Learning, que possui a mesma sigla em inglês (PBL). O Ensino Baseado em Projetos, por sua vez, é uma abordagem mais antiga, sendo que o primeiro uso desse termo data de 1918. Nele, os alunos também aprendem investigando questões ou desafios da vida real, mas a elaboração de respostas passa sempre pela construção de um grande projeto.

A maior diferença entre ambas as práticas é que no Ensino Baseado em Problemas geralmente não existe uma única solução para o desafio dado. As questões são mais abertas, e os objetivos de aprendizagem, definidos em conjunto por estudantes e professores. Além disso, os grupos frequentemente compartilham seus resultados com a classe, gerando momentos de reflexão. Já no Ensino Baseado em Projetos, as tarefas são mais estruturadas, havendo objetivos e caminhos de aprendizagem bem definidos logo de início. Ele é normalmente multidisciplinar e mais longo do que o Ensino Baseado em Problemas.

10 Benefícios do Ensino Baseado em Problemas

Confira os principais benefícios do método:

  • 1 Treina o estudante a buscar fontes seguras de informação.
  • 2 Ensina-o a ser autônomo e protagonista do próprio aprendizado.
  • 3 Gera responsabilidade com o aprendizado e o aperfeiçoamento contínuo.
  • 4 Estimula a leitura e o raciocínio lógico.
  • 5 Fortalece a capacidade de resolver problemas.
  • 6 Desenvolve criatividade, senso crítico, liderança, espírito investigativo, relacionamento interpessoal e expressão escrita e oral.
  • 7 Favorece o trabalho em grupo e a comunicação.
  • 8 Gera adaptabilidade a mudanças.
  • 9 Traz, muitas vezes, a interdisciplinaridade para a sala de aula.
  • 10 Reduz a distância entre a teoria e a prática.

Pontos de atenção do PBL

Para estruturar o Ensino Baseado em Projetos, é importante ter em mente que os problemas digam respeito à realidade,  envolvam o contexto dos alunos, sejam complexos, não completamente estruturados e permitam a investigação.

O professor deve se preparar para assumir outro papel em sala de aula, que é o de tutor, ajudando os alunos a encontrar, por si mesmos, as respostas que precisam.

A ausência de provas e a menor frequência de trabalhos escolares pode gerar cobrança menor para os estudantes, enfraquecendo a aprendizagem. Os alunos mais tímidos ou os que não aceitam bem esse método tendem a se dedicar menos. É necessário estar atento e verificar se os jovens estão estudando os conteúdos previamente, se todos estão participando e contribuindo com esse modelo e se a aprendizagem está ocorrendo de fato.

Como o processo de pesquisa é central no método, o professor precisa orientar os alunos sobre como acessar conteúdo confiável na internet, enfatizar a responsabilidade que eles têm com a informação e não aceitar respostas provenientes de qualquer fonte. Isso porque os estudantes podem acabar recorrendo a informações duvidosas apenas para completar as atividades, permanecer na superficialidade ou copiar trabalhos de sites da web. É preciso criar mecanismos que evitem tais situações.

Como o método pode beneficiar a Educação Empreendedora

A Educação Empreendedora busca desenvolver nos estudantes as competências essenciais para que se tornem pessoas ativas na sociedade, prontas a tomar iniciativa visando enfrentar questões e problemas típicos das comunidades, e estejam capacitadas também a criar e a manter negócios próprios.

O PBL pode ser uma boa ferramenta de ensino empreendedor, já que é um método ativo de aprendizagem por meio do qual o aluno aprende que deve agir para buscar respostas e solucionar os problemas propostos, atuando em grupo. O protagonismo, a autonomia e a habilidade de trabalhar em equipe gerados por esse processo são competências essenciais ao empreendedorismo.

O Ensino Baseado em Problemas é uma alternativa interessante ao método comum de ensino, superando algumas de suas desvantagens, como a posição passiva dos alunos e a falta de conexão clara entre a teoria e a vida real, e promovendo competências empreendedoras nos estudantes. Para compreender a fundo como essa e outras metodologias ativas beneficiam o aprendizado, confira o Observatório que preparamos sobre o tema.

leia também

Eduscrum: saiba mais sobre a metodologia ágil para a educação
continuar lendo
Year On: conheça a experiência alternativa para o ensino superior nos EUA
continuar lendo
Como deve ser a formação de professores na Educação 5.0
continuar lendo

Quer ficar sabendo de tudo antes? Assine a
newsletter e receba novidades no seu e-mail.

x
área restrita
Usuário
senha