Entenda o papel das universidades corporativas na formação continuada de profissionais

O mercado de trabalho nunca valorizou tanto quem está disposto a adotar a formação continuada. E não é para menos. Em um contexto marcado pelas constantes mudanças provocadas pela tecnologia, é necessário se capacitar para não ficar para trás. Todos precisam investir em aprendizados constantes, até mesmo quem está inserido no mercado de trabalho. E é por isso que muitas empresas apostam em universidades corporativas.

A ideia desse tipo de instituição é simples e estratégica: disponibilizar aos empregados um espaço para desenvolvimento de habilidades e conhecimentos necessários para garantir que processos internos sejam feitos da melhor forma possível.

Se quer entender como as universidades funcionam na prática, qual sua importância para a formação continuada e como criar uma, continue a leitura!

O que são e como funcionam as universidades corporativas?

De modo geral, as universidades corporativas são instituições vinculadas a grandes empresas e voltadas para a qualificação profissional de seus empregados em temas estratégicos para a corporação. Ou seja, seus percursos formativos estão alinhados a interesses específicos da organização e têm potencial de contribuir para que empregados executem processos com mais eficiência.

Elas se diferenciam das universidades tradicionais justamente por fornecer formação continuada mais direcionada e até técnica, desenvolvida para solucionar questões reais do dia a dia de trabalho. Estruturas como essas são reconhecidas pelo Ministério da Educação, mas não fornecem diplomas – apenas certificados de participação.

Normalmente, as universidades corporativas se apropriam do ensino a distância (link para post sobre EaD) para disponibilizar capacitações a seus empregados. O benefício dessa estratégia é alcançar colaboradores de diversas unidades, fornecendo orientações personalizadas e garantindo que todos tenham as mesmas oportunidades. Um exemplo é a Universidade Corporativa Sebrae, criada em 2008 e que atualmente possui mais de 38 mil usuários.

 

universidades corporativas

Por que as universidades corporativas são importantes?

Um dos principais benefícios das universidades corporativas é fomentar a cultura da formação continuada entre seus empregados. Quando um negócio investe em educação e disponibiliza meios para que suas equipes se atualizem, há a possibilidade de que cada vez mais pessoas se interessem em aprender novas formas de trabalhar.

Também é através das universidades corporativas que empresas têm a possibilidade de fomentar valores importantes como inovação, sustentabilidade e relacionamento. O resultado pode ser promissor: equipes altamente capazes de enfrentar desafios diários, atentas e dispostas a encontrar oportunidades de aprimorar processos e inovar no ambiente de trabalho.

Além disso, instituições como essas podem contribuir para que seja criada uma cultura de colaboração. Por meio de fóruns de discussão, por exemplo, empregados de localidades distintas podem debater sobre o que aprenderam, trazendo exemplos da sua realidade para chegarem a soluções mais aprimoradas. Há, ainda, a possibilidade de aproximar altos executivos de suas equipes através de aulas especiais conduzidas por diretores ou outras estratégias.

Como criar uma iniciativa como essa em uma empresa?

Pode parecer uma realidade apenas de grandes corporações, mas é possível adotar preceitos das universidades corporativas em negócios de todos os portes. Para isso, é essencial que o time de treinamento e desenvolvimento de um negócio defina, em conjunto com todas as demais equipes, quais são os temas e processos mais estratégicos e que devem ser priorizados em uma formação específica.

Outro passo importante é definir a metodologia de ensino que será utilizada para fornecer as formações. Uma empresa pode criar sua própria plataforma de ensino a distância ou firmar parcerias com instituições de ensino.

Também é essencial contar a novidade aos empregados e incentivar sua participação. Para que cada vez mais pessoas se interessem, você deve contar com capacitações atrativas e que envolvam os alunos. As universidades corporativas também devem estar atentas às tendências de educação e às novas exigências do mercado de trabalho. Uma delas é pelo perfil de profissionais híbridos, com  alta capacidade de adaptação e flexibilidade. Saiba mais sobre o assunto e o papel da educação na formação de profissionais híbridos aqui.

leia também

Conheça as 10 competências gerais da BNCC
continuar lendo
Autodidatas: como aprendem os jovens de hoje e como incentivá-los a ‘aprender a aprender’
continuar lendo
17 podcasts sobre educação e empreendedorismo
continuar lendo

Quer ficar sabendo de tudo antes? Assine a
newsletter e receba novidades no seu e-mail.

x
área restrita
Usuário
senha