5 dicas de como criar uma videoaula

Estamos passando por um período bastante desafiador em razão de uma pandemia do novo coronavírus, a COVID-19. Todos os setores estão sendo impactados e com a educação, não é diferente. 

O número de estudantes fora da sala de aula já é superior ao de jovens que seguem indo à escola em todo o mundo, e a tendência é que esse número aumente ainda mais nos próximos dias. Por isso, a educação on-line tem sido uma grande aliada das instituições de ensino ao redor do planeta. Aquelas escolas que já haviam passado por uma transformação digital saem na frente, com infraestrutura e metodologia adaptadas para o ensino a distância (EAD). Outras instituições, no entanto, tentam fazer o melhor com o que podem e se têm aventurado nas  videochamadas, na produção de conteúdo para o YouTube, dentre outras alternativas. 

Pensando nisso, o CER preparou uma série de conteúdos especiais para o momento. Nossa intenção é sanar suas dúvidas e oferecer ferramentas visando dar o suporte necessário durante esse período de educação on-line. Esperamos que goste! Boa leitura!

Se você ainda não precisou criar uma videoaula, não vai demorar muito. Isso porque o Ensino a Distância (EAD) deve superar o presencial, já em 2023, de acordo com projeção da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES). Só no ensino superior, são mais de 2 milhões de estudantes por essa modalidade, no Brasil, em um universo de mais de 8 milhões e 400 mil graduandos.E o Ensino a Distância foi até  apontado como responsável pelo aumento nas matrículas em cursos superiores.

Tudo isso sem falar nas possibilidades para os ensinos médio e fundamental e também infantil. Com metodologias de ensino híbrido, mesclar lições presenciais com conteúdo on-line se torna uma estratégia cada vez mais comum, com o intuito de oferecer aulas mais dinâmicas, criativas e com alto poder de engajamento.

Assim como ocorre presencialmente, criar uma videoaula requer planejamento e algumas técnicas. Neste post, ajudamos você com a descrição de algumas delas. Confira!

Ao criar uma videoaula, lembre-se

Antes de mais nada, é importante ter em mente que existem diversos formatos de cursos on-line, e, para cada um deles, há necessidades diferentes. Assim, dificilmente um único modelo de videoaula vai funcionar para qualquer tipo de curso ou perfil de estudante.

Por isso, na fase preliminar de criação de uma videoaula, é fundamental entender quais as demandas específicas daquele público por conteúdo e por interação.

Vamos às dicas?

Como criar uma videoaula de sucesso

1. Prepare um roteiro

Além de preparar a aula, para criar uma videoaula de sucesso, você precisará trabalhar em um bom roteiro. Bom, isso não é obrigatório, caso você se sinta melhor falando livremente. Mas, em geral, quando estamos gravando, sem a presença de alunos, a tarefa de ministrar a aula se torna mais automática e pode ocorrer de você se esquecer da fala ou de perder a linha de raciocínio. Por isso, o roteiro pode ajudar bastante.

Na hora de escrever o roteiro, algumas dicas de quem trabalha com televisão podem ser úteis:

  • Prefira a ordem direta das frases, que, no vídeo, facilitam a compreensão.
  • Evite frases longas, sempre que possível.
  • Escreva o roteiro em uma tabela com duas colunas: na da esquerda, vem o texto; na da direita, a indicação do recurso visual que estará na tela no momento. Assim, fica mais fácil visualizar o tempo de fala.
  • Redija o texto em caixa-alta (letras maiúsculas) para facilitar a impressão, a qual você pode consultar durante a gravação.

2. Grave aos poucos

Alguns cursos exigem que todas as videoaulas sejam gravadas e disponibilizadas antes de os alunos terem acesso à plataforma. Se esse for o seu caso, tente negociar alguma flexibilidade ou a possibilidade de incluir aulas extras ao longo do caminho. Isso porque, quando você grava enquanto os alunos assistem às lições e interagem com elas, é possível personalizar o conteúdo de acordo com a necessidade e as dúvidas de quem as assiste.Tudo isso deixa a dinâmica ainda mais parecida com a aula presencial.

3. Aprenda algumas técnicas de marketing de conteúdo

Se você nunca teve contato com o marketing de conteúdo, saiba que esta estratégia pode ser muito útil para você. Resumidamente, o marketing de conteúdo é uma forma de engajar o público-alvo (geralmente para uma venda), oferecendo conteúdo relevante e que gere algum valor. Para isso, os produtores de conteúdo para marketing se valem de muitas técnicas de redação, uso de palavras-chave, construção de “ganchos” entre um assunto e outro e formatos de texto mais dinâmicos (como os textos em lista).

Na hora de criar uma  videoaula atual e interessante, procure aplicar alguns desses conhecimentos. Por exemplo, defina os conceitos principais que você quer passar para os estudantes , pense em imagens interessantes para prender atenção e tente encontrar pontos de conexão entre um assunto e outro. Certamente, vai fazer o maior sucesso.

4. Pense nos estudantes  como personas

Ainda, seguindo a dica de se inspirar nas estratégias de marketing para criar uma  videoaula, uma das técnicas que pode fazer toda a diferença é pensar nos estudantes como personas. Em uma aula presencial, o contato com os alunos permite que você os conheça melhor e se espelhe em suas características e interesses na hora de planejar a aula. No entanto, em alguns formatos de cursos on-line, o professor tem pouco contato com os estudantes ou a turma é grande demais para criar  uma relação mais próxima.

Por isso, trabalhar com personas pode ser fundamental na hora de criar uma  videoaula de sucesso. É como se cada pessoa fosse um personagem, porém com características verossímeis. Se o perfil da sua turma é mais feminino, com pessoas de 30 a 40 anos, de classe média, tente imaginar quais são os gostos e interesses dessas mulheres. Quais locais elas frequentam? Que tipo de entretenimento as atrai? Onde se informam? Isso vai ajudar você a levar informações próximas à realidade dos estudantes, fazendo com que a aula se torne mais interessante.

Na hora de “desenhar” as personas, o mais importante é que elas reflitam a realidade da turma. Por isso, vale criar quantas forem necessárias.

Por exemplo, se você é professor do ensino superior, pode mapear qual o histórico escolar da sua persona, sua média de idade, suas pretensões profissionais, preferências em relação ao aprendizado (materiais impressos, digitais, vídeos etc), o tempo disponível que possui para se dedicar a atividades extras, interesse em projetos de extensão e outros aspectos e influenciam a vida acadêmica.

5. Seja espontâneo

Não é porque o recurso do vídeo permite regravações e edições que uma  videoaula deve ser engessada. Pelo contrário. Com o crescimento no número de youtubers, a forma de se comunicar por vídeo tem ganho caráter cada vez mais descontraído, e você pode beber dessa fonte para criar uma  videoaula ainda mais engajadora. Permita que pequenos erros de fala e correções entrem na edição final, deixando a aula mais natural e fluida. Faça brincadeiras e pegue ganchos de situações atuais para chamar a atenção dos estudantes. E, se você se sentir confortável, por que não colocar os erros de gravação ao final? Com certeza, vai ajudar a deixar a aula mais descontraída. Tudo isso depende, é claro, do tipo de curso que você ministra e o perfil da instituição.

Gostou das nossas dicas de como criar uma  videoaula de sucesso? Saiba também como escolher a melhor plataforma de EAD para sua instituição de ensino. Boas aulas!

 

leia também

Juventude e Conexões: como os jovens brasileiros entendem o que é empreendedorismo?
continuar lendo
5 jogos educativos para usar em suas aulas
continuar lendo
Como escolher a melhor ferramenta para aulas online
continuar lendo

Quer ficar sabendo de tudo antes? Assine a
newsletter e receba novidades no seu e-mail.

x
área restrita
Usuário
senha
×