5 motivos para sua editech apostar no ensino híbrido

A metodologia de ensino híbrido – que mescla diferentes formatos e abordagens para o ensino de um só tema – já é realidade nas salas de aula. A combinação de aulas expositivas com projetos práticos e ferramentas de interação digital, por exemplo, é uma maneira de potencializar o processo de aprendizado, atendendo a uma necessidade dos alunos e dando a eles mais liberdade e autonomia nos estudos.

 

Conheça cinco motivos para investir em soluções digitais para a educação:

 

1- Necessidade

Os jovens da chamada geração Z são aqueles que nasceram após a década de 1990, ou seja, cresceram conectados à internet. Para as crianças e jovens dessa geração, a vida online importa tanto quanto a vida offline e é quase impossível desvincular as duas esferas. Do entretenimento às compras, tudo é feito por meio de plataformas digitais. Com o ensino não é diferente: os alunos demandam cada vez mais o uso da tecnologia em sala de aula.

 

2 – Tendência consolidada

O ensino híbrido já se consolidou como uma das tendências mais importantes na área da educação neste século. O modelo é apontado, inclusive, como responsável por uma verdadeira transformação no ensino, uma vez que dá autonomia, estimula a criatividade, o espírito de equipe e a atitude empreendedora. É um caminho sem volta, o que dá mais segurança a quem aposta no desenvolvimento de tecnologias para aprimorar a educação como opção de negócio.

 

3- Escala

A escalabilidade é essencial para a sobrevivência de um negócio em um ambiente econômico dinâmico. Um dos fatores que contribui para que um modelo de negócios seja escalável e tenha valor agregado é a aplicação de tecnologia em suas soluções. Ela permite o crescimento do faturamento a partir de um único investimento inicial, sem aumento considerável das despesas ao longo do tempo, em um movimento de expansão exponencial.

 

4- Recorrência

Ter uma receita recorrente e previsível é outra vantagem de se apostar nas tecnologias digitais. Comercializar um modelo de assinaturas ou um software, por exemplo, é uma excelente maneira de garantir a sustentabilidade financeira do negócio, já que os clientes recorrentes geram menos despesas e estão dispostos a gastar mais do que novos clientes.

 

5- Investimento

Apesar de ter sido o país da América Latina que mais recebeu investimento privado na área da tecnologia da educação em 2016 – um total de R$ 74 milhões -, o Brasil ainda atrai pouco capital para a área da educação se comparado com países como Estados Unidos, China e Canadá. Um dos motivos apontados por especialistas é a dificuldade em acessar o potencial e mensurar resultados de algumas tecnologias. As soluções digitais para educação que consigam impactar significativamente o processo de aprendizado têm, portanto, mais oportunidades de captação de recursos em um mercado ainda em crescimento.

leia também

Tendências de educação para ficar de olho em 2020
continuar lendo
Gamificação: como um professor ensina contabilidade por meio de jogos
continuar lendo
Marketplace de educação? Entenda como funciona o Amazon Ignite
continuar lendo

Quer ficar sabendo de tudo antes? Assine a
newsletter e receba novidades no seu e-mail.

x
área restrita
Usuário
senha
×