Aprendizagem centrada no aluno: entenda como funciona

Blog Aprendizagem centrada no aluno: entenda como funciona

Compartilhe este conteúdo
A Aprendizagem Centrada no Estudante é um método de ensino baseado nas teorias humanísticas do psicólogo americano Carl Rogers. Pesquisas sobre o assunto foram realizadas e promovidas por ele na década de 1950, visando tornar as práticas de ensino vigentes em um processo de aprendizagem diferenciado.
A teoria de Rogers é oposta à metodologia difundida no sistema tradicional de ensino. A Aprendizagem Centrada no Estudante visa priorizar os talentos naturais do aprendiz, focando no seu desenvolvimento conquanto indivíduo, nos seus interesses e pontos fortes.

Diferenças entre a Aprendizagem Centrada no Estudante e o ensino tradicional

Diferentemente do sistema tradicional, que prepara o educando para servir aos padrões que a sociedade espera dele, a metodologia de Rogers busca estimular no estudante o gosto pelo aprendizado, incentivando-o a “aprender a aprender”.
Uma vez que a Aprendizagem Centrada no Estudante não estimula a hierarquia entre estudantes e professores, como ocorre no sistema tradicional, o professor é visto como um facilitador, alguém que vai auxiliar os educandos no processo de aprendizagem.
Por sua vez, os estudantes não são vistos apenas como números em uma sala de aula, mas como indivíduos complexos, dotados de uma história de vida única, e de sentimentos e experiências que interferem diretamente na sua formação.
E, por último, a escola entra como um ambiente seguro, uma instituição que se baseia nas normas para apoiar o ensino e a aprendizagem, formando indivíduos preparados para servir a sociedade.

Vantagens da Aprendizagem Centrada no Estudante

Quando o método é aplicado em sala de aula, diversos benefícios são percebidos:
O educando retém melhor a informação aprendida, uma vez que ela é passada utilizando-se de sentimentos, emoções e vivências daquele estudante.
A relação entre estudante e professor se torna mais estreita, o que facilita a troca de informações entre eles.
A aprendizagem como um todo é favorecida, pois são levados em conta as aptidões do estudante, seus gostos e talentos naturais.
A interação entre os educandos aumenta, visto que eles conversam e debatem entre si com o propósito de a resolver problemas e desenvolver projetos.

Princípios da aprendizagem segundo Carl Rogers

De acordo com Rogers, a aprendizagem é regida por princípios, ou seja, depende da ocorrência de alguns fatores para que possa se realizar plenamente. O aprendizado é construído com base na organização do conhecimento.
O autor Zimiring cita cinco elementos que abrangem a Aprendizagem Centrada no Estudante:
  • O indivíduo possui habilidades inatas para aprender.
  • O processo de aprendizagem deve ser autêntico, voltado aos objetivos pessoais de cada estudante, utilizando materiais específicos objetivando conseguir atingir esse aprendizado mais rapidamente.
  • Quando envolve uma mudança de percepção, a aprendizagem pode se tornar ameaçadora, causando reações.
  • A aprendizagem que dialoga com os interesses do indivíduo que aprende é assimilada com maior facilidade.
  • É mais fácil internalizar um processo de aprendizado quando o indivíduo sai da sua “zona de conforto”.
Os princípios acima se baseiam na teoria de Rogers. Valendo-se deles, é desenvolvida a metodologia da Aprendizagem Centrada no Estudante, na qual, como dito acima, o talento natural dos educandos é estimulado, e o professor, por seu turno, participa como facilitador do processo de aprendizagem.

Como fazer com que a Aprendizagem Centrada no Estudante funcione?

Em primeiro lugar, é preciso que os professores e os demais profissionais de ensino se desprendam da metodologia tradicional. Cabe a eles transformar a mentalidade para que estejam abertos a novas possibilidades de aprendizado.
Depois, o ideal é começar pela investigação a respeito da vocação dos estudantes, descobrir quais são suas aptidões, seus objetivos, o que eles gostam de fazer; a partir daí, deve-se traçar um Plano de Ensino que contemple tais particularidades.
O estudante deve ter espaço para interagir com seus colegas, debatendo sobre os temas ensinados, para que, a partir dessa discussão, ele possa firmar ou mudar sua opinião.
Caso ele tenha alguma dificuldade ou dúvida, o professor deve entrar para intermediar o processo, para facilitá-lo, sem entregar todas as respostas prontas, mas fazendo o estudante refletir sobre os assuntos abordados.

A Aprendizagem Centrada no Estudante nas escolas públicas brasileiras

Visando preparar os jovens para os desafios da sociedade e estimular que eles transformem seus sonhos, ideias e interesses em projetos que possam impactar a própria vida e a de quem os cerca, foi incluído na BNCC (Base Nacional Comum Curricular) o Projeto de Vida.
Esse componente curricular é recomendado para os últimos anos do ensino fundamental e se torna obrigatório no ensino médio. Mais do que direcionar o jovem profissionalmente, o Projeto de Vida tem como objetivo valorizar as competências e vivências do estudante, com vistas a que ele as desenvolva de forma consciente.
Para isso, três competências essenciais são trabalhadas: autonomia, senso crítico, olhar reflexivo e questionador. Depois de desenvolver esses fatores durante o ensino fundamental, o estudante deve chegar ao ensino médio preparado para refletir e encontrar seu papel tanto na sociedade quanto no mercado de trabalho.
Tal metodologia de ensino é claramente inspirada nas teorias de Rogers sobre a Aprendizagem Centrada no Estudante. É uma matéria que utiliza os estudos de Rogers para aprimorar o ensino nas escolas públicas. Se você se interessou e quer saber mais detalhes sobre o Projeto de Vida, conheça nosso e-book que trata do assunto.

Tendências da aprendizagem centrada pelo mundo

Com o aprimoramento dos métodos de ensino, cada vez mais países deixam para trás os sistemas tradicionais. Segundo uma pesquisa recente realizada pelo Google, o ensino no mundo todo está mudando rapidamente, e novas tendências pedagógicas vêm surgindo; dentre elas, a Aprendizagem Centrada no Estudante.
No México, por exemplo, 76% dos professores consideram esse método como uma das grandes vantagens do uso de tecnologia na sala de aula. Nos EUA, 65% dos professores consideram a Aprendizagem Centrada no Estudante uma ferramenta valiosa para o desenvolvimento de novas habilidades.
Esses e outros dados mostrados na pesquisa afirmam a importância dos estudos de Rogers não só no Brasil, mas no mundo todo. Dessa forma, o método vem se provando eficaz e funcional e, por esse motivo, deve ser adotado por cada vez mais instituições de ensino ao redor do planeta, deixando para trás os velhos métodos tradicionais.
Compartilhe este conteúdo

Assine a Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades