Avaliação escolar: para que serve e quais os modelos mais usados

Blog Avaliação escolar: para que serve e quais os modelos mais usados

20/07/2022

A avaliação da aprendizagem (ou “avaliação escolar”, como vamos chamar aqui) é um processo tão fundamental para o desenvolvimento do aluno quanto o do próprio educador. Neste post, você vai entender melhor o que é, quais os benefícios e os modelos mais utilizados hoje. Acompanhe!

O que é a avaliação escolar?

O primeiro passo para qualquer ator da comunidade escolar é desassociar a palavra “avaliação” dos termos “notas” e “provas”. Esses também podem fazer parte, como veremos nos modelos a seguir, mas não são as únicas referências ou os parâmetros utilizados para mensurar e diagnosticar a aprendizagem de cada estudante.

Em linhas gerais, então, a avaliação de aprendizagem ou avaliação escolar é constituída de uma série de recursos ou ferramentas empregadas para entender a evolução de cada estudante ao longo do processo de ensino. Diferentes modelos podem usar as mesmas ferramentas, mas vale se atentar ao objetivo da avaliação, que é diferente para cada modelo.

Observando esse cenário, é fácil concluir que a avaliação escolar é importante por vários motivos. Primeiro, porque permite acompanhar o estudante de perto, entendendo como ele está recebendo as informações compartilhadas em sala de aula e se elas estão sendo verdadeiramente assimiladas. Depois, porque é um instrumento que também coloca luz sobre o processo do professor, uma vez que ele passa a analisar se a sua metodologia pedagógica está sendo assertiva para os seus alunos. Por fim, é um instrumento que pode direcionar a instituição escolar como um todo, em especial ao reunir as informações de todas as turmas e avaliá-las com determinada frequência.

O que deve ser considerado antes da prática

Não importa qual seja o tipo de avaliação escolar, há sempre algo em comum entre todas elas: o planejamento. Portanto, antes de listar os modelos mais utilizados, indicamos a seguir algumas dicas que devem ser levadas em conta.

#1 Antes de dar início à avaliação, o professor deve ter em mente em que lugar ele, como educador, se insere nesse processo, o que ele espera dos estudantes e aonde se pretende chegar com base nas atividades.

#2 Não basta apenas avaliar, é necessário observar as reações. Portanto, depois de fazer qualquer tipo de avaliação escolar, vale ter atenção à forma como a criança ou o jovem se comporta – como eles agem, reagem e como interagem com as atividades. A partir disso, é possível entender se a proposta inicial da avaliação continua fazendo sentido ou se deve ser repensada.

#3 A avaliação é uma via de mão dupla: avalia-se o aluno e a forma como o professor transmite o conhecimento. O docente, portanto, deve estar aberto a fazer eventuais ajustes em seu modo de ensinar ou mesmo reformulá-lo completamente. Se determinada prática não está funcionando, é hora de testar outra – e esse processo deve ser contínuo, pois uma atividade que funciona hoje pode não ser tão eficaz amanhã. O principal indicador desse sucesso deve ser o nível de entendimento e a compreensão dos alunos.

Os modelos mais praticados

Um ponto fundamental antes de conhecer cada modelo é estar atento que não é necessário se limitar a um deles – pelo contrário, é possível trabalhá-los em conjunto, tendo uma visão sistêmica sobre o processo de cada aluno. O mais importante é que, juntamente com a escola, o professor entenda quais são os caminhos e os recursos a serem utilizados para uma avaliação efetiva, mensurando a qualidade do ensino e, ao mesmo tempo, disponibilizando alternativas para adequá-la, sempre que necessário.

Tendo essa ressalva feita, vamos conhecer os 4 modelos de avaliação escolar comuns hoje em dia.

Avaliação somativa

Diferentemente dos modelos que serão explicados a seguir, esse aqui é um modelo quantitativo, e não qualitativo. É o modelo mais tradicional de avaliação escolar, que avalia e quantifica o sucesso do estudante por meio das notas ao fim dos ciclos – que podem variar em cada escola, mas costumam se dividir por ano, semestre, trimestre ou bimestre. O termo “somativa” vem, então, da própria soma das notas.

Recursos mais utilizados nessa avaliação escolar

  • Atividades de múltipla escolha ou de resposta construída
  • Exames avaliativos no fim de determinado período
  • Médias de notas classificatórias
  • Trabalhos de pesquisa

Avaliação diagnóstica

A avaliação diagnóstica é realizada com o objetivo de entender a realidade de cada aluno, bem como o seu ritmo, as habilidades e dificuldades de aprendizagem. Ou seja, esse tipo de avaliação escolar busca “diagnosticar” o que o aluno sabe e o que ele não sabe, compreendendo as dores e as necessidades de cada um. Para isso, elas são normalmente aplicadas no início e no fim de determinada fase de educação.

O intuito não é classificar ou colocar o estudante em determinada posição, mas sim visualizar suas possibilidades de avanço e os pontos fortes e fracos do modelo de ensino. Assim, é possível repensar as metodologias e intervir pedagogicamente para que as práticas escolares estejam alinhadas ao jeito do estudante.

Recursos mais utilizados nessa avaliação escolar

  • Avaliações on-line
  • Questionários e perguntas
  • Simulados
  • Testes ou provas escritas
  • Testes ou provas orais

Avaliação formativa

Na avaliação formativa, o foco se volta para a formação em si, com o propósito de entender o progresso dos alunos, avaliando o seu desempenho ao longo de todo o processo. Nesse caso, fica de lado o modelo tradicional, isto é, o de notas e testes. O objetivo é colher evidências para entender a eficiência de cada tipo de atividade desenvolvida em sala de aula e contribuir para a formação do aluno.

Recursos mais utilizados nessa avaliação escolar

  • Autoavaliação
  • Avaliação de registros
  • Estudos de caso
  • Listas de exercícios
  • Observação de performance
  • Produções audiovisuais
  • Produções individuais ou em grupo de pesquisas e trabalhos
  • Produções orais
  • Questionários
  • Seminários

avaliação comparativa

Comumente aplicada no início ou no fim de uma aula, a avaliação comparativa tem o objetivo de avaliar e verificar pontualmente qual foi o aproveitamento e as habilidades de cada estudante de determinado conteúdo. “Comparativo” por fazer a comparação entre o que o aluno sabia antes da aula e o que ele demonstrou saber posteriormente. Por meio da reflexão do que foi de fato aprendido – e o que ainda precisa ser reforçado ou ensinado –, é possível melhorar o ensino ou adotar novos métodos.

Recursos mais utilizados nessa avaliação escolar

  • Atividades a serem feitas em casa
  • Autoavaliação
  • Avaliação entre pares
  • Observação de desempenho
  • Relatórios do conteúdo
  • Resumo do que foi trabalhado em sala de aula
  • Testes breves ou atividades simples no fim das aulas

E aí, gostou do conteúdo sobre avaliação escolar e acredita que ele será relevante para a sua jornada? Continue acompanhando o Portal CER e tenha acesso às melhores informações sobre o mundo da educação.

Assine a Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades