BNCC na prática: 9 cursos e recursos para educadores

Blog BNCC na prática: 9 cursos e recursos para educadores

Compartilhe este conteúdo
A Base Nacional Comum Curricular, também conhecida como BNCC, é um documento de referência para uma estrutura curricular das instituições de Educação de Base do Brasil. Aprovado em 2017, a BNCC traz um novo paradigma para o sistema de ensino, adotando um ponto de vista que busca adaptar a educação às necessidades do mundo em que vivemos hoje. 
Embora um data-limite para a implementação das referências exigidas pelo BNCC tenha sido 2020, muitas escolas e professores ainda estão se adaptando a esse novo cenário da Educação. No artigo a seguir, vamos entender melhor o que muda com a Base Nacional Comum Curricular e de quais recursos o professor pode lançar mão para se adaptar a ela. 

O que muda com um BNCC

O currículo escolar

A BNCC não oferece um currículo escolar, mas sim diretrizes que guiam as escolas na formação desse. Isso proporciona flexibilidade às instituições de ensino, ao mesmo tempo em que oferece direcionamento estratégico à Educação nacional. 
Dessa forma, cabe à escola entender de que maneira ela precisa adaptar o seu currículo escolar atual, a fim de que ele possa se adaptar às mudanças exigidas pela BNCC e se adequar às normas do documento.
O site da Base Nacional Comum Curricular, criado pelo MEC, disponibiliza guias e materiais que ajudam o professor a elaborar um novo currículo e a formular uma estrutura que se adapte às normas. A SAE Digital também coloca à disposição material gratuito, assim como Serviço de Assessoria Educacional para escolas que necessitem  de melhor direcionamento em relação à BNCC. 
O BNCC na prática é um site que oferece Trilhas e Estratégias para a elaboração de currículos que correspondem às normas da BNCC, sendo outra ferramenta bastante útil para professores nesse quesito.

O professor como mediador

Outro ajuste previsto no sistema de ensino pela BNCC é a transformação do papel do professor, que passa a assumir uma função de mediador, deixando de lado a noção de que o educador é o único detentor do conhecimento. Em paralelo a isso, é importante que a autonomia e o empoderamento do aluno em relação a sua educação sejam incentivados, proporcionando maior flexibilidade e personalização no sistema de ensino. 
Por causa desses dois elementos, é essencial que o professor atualize as suas técnicas pedagógicas, com o objetivo de que elas se adaptem a esse novo cenário educacional. Para isso, é aconselhado que o educador estude as metodologias ativas da Comunicação, assim como aprenda novas técnicas de Engajamento para utilizar em sala de aula. A Tríade Educacional é uma iniciativa com diversos cursos livres que ajuda o professor a se preparar para este novo momento da Educação, trazendo estratégias e conhecimento prático. 

O uso da tecnologia em sala de aula

Outro tópico que a BNCC apresenta é a necessidade de inserir a tecnologia de forma mais estratégica na sala de aula. As inovações tecnológicas podem e devem ser aliadas no processo de aprendizagem dos alunos, seja possibilitando acesso à informação, seja em relação à flexibilidade de ensino, seja até mesmo no que tange aos sistemas de avaliação e comunicação com os pais e os estudantes.
As metodologias do Ensino Híbrido são as mais populares quando o assunto é trazer a tecnologia para a Educação. No entanto, muitos professores ainda não exploram a fundo o melhor que os métodos híbridos podem oferecer. Por causa disso, é importante procurar estudar sobre o tema, a fim de identificar estratégias práticas e eficazes para o uso dessa vertente educacional em sala de aula. 
O CCE Puc-Rio, por exemplo, tem em sua grade o curso EAD: Ensino Híbrido e Plataformas Adaptativas, ideal para quem deseja se aprofundar no tema. Já o Descomplica, referência no ensino remoto, apresenta soluções para escolas, a fim de auxiliá-las nessa transição e na adaptação ao digital.  

A formação dos professores

Como vimos, a BNCC propõe uma mudança estratégica na forma de ensinar, trazendo elementos da tecnologia para a sala de aula, transformando o papel do professor e a forma como o conhecimento é passado aos alunos. Por causa disso, a mudança na formação dos professores e dos educadores será necessária, tanto para profissionais futuros quanto para os que já atuam no sistema de ensino. 
É preciso que o educador esteja ciente das competências gerais exigidas pela BNCC, para que ele possa entender a fundo o que deve ser modificado na sua forma de ensinar. O portal Nova Escola oferta um curso gratuito sobre o tema, e de curta duração, que ajuda nesse processo. 
O MEC também disponibiliza uma lista de cursos sobre as aplicações práticas da BNCC, explorando-as no uso cotidiano das disciplinas da Educação de Base de maneira aprofundada e específica. 
Além disso, o professor precisa se atentar à necessidade da formação constante. Ou seja, é importante que o educador esteja sempre se atualizando sobre as novidades propostas para o sistema educacional, tornando-se um profissional qualificado para as exigências do futuro. O Na Prática, por exemplo, traz uma proposta de oferecer formação continuada a educadores, trabalhando os conceitos de aprendizagem contínuo em sua metodologia. 
E, então, o que achou das nossas dicas para se adaptar às exigências do BNCC? Confira também os desafios e as oportunidades do BNCC para o Empreendedorismo e continue estudando sobre o tema!
Compartilhe este conteúdo

Assine a Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades