Bricolagem do empreendedorismo: três formas de aplicá-la na escola

Blog Bricolagem do empreendedorismo: três formas de aplicá-la na escola

Compartilhe este conteúdo
O que o futuro reserva às crianças e aos jovens? Quem se dedica a analisar os desafios dos próximos anos, como o Fórum Econômico Mundial, afirma que a Indústria 4.0 vai exigir uma atitude completamente diferente da que temos atualmente. Nesse contexto, as competências socioemocionais – como criatividade, pensamento crítico e resiliência – entram em campo com mais força.
Para ensiná-las em sala de aula, há diversas metodologias ativas que podem fazer a diferença. Mas será que a atitude empreendedora também pode ajudar a desenvolver habilidades como essa? A resposta é sim, e um dos caminhos possíveis é a Bricolagem.

O que é Bricolagem?

Você já deve ter ouvido falar de Bricolagem em conversas sobre reforma de casa ou artesanato, certo? De fato, o termo se origina do francês bricolage e é utilizado para definir trabalhos manuais que aproveitam materiais diversos e que se apropriam do improviso.
Ao longo do tempo, porém, a palavra “Bricolagem” também passou a ser empregada em outros contextos, como no campo da Filosofia, da Antropologia, da Literatura, da Educação e, claro, do Empreendedorismo.
Nesse universo, a Bricolagem é usada para descrever a criatividade e o improviso de empreendedores, que rearranjam os recursos disponíveis com vistas a obter novos produtos e serviços. O método tem como principal desafio fazer com que uma pessoa crie oportunidades utilizando aquilo que tem à mão, criando soluções inovadoras e dedicadas a resolver algum problema.
Ainda que o improviso seja uma característica marcante da Bricolagem, isso não quer dizer que os empreendedores de sucesso são apenas aqueles que sabem “se virar”. Além de ter essa capacidade, é importante estruturar em processos mais claros e racionais a solução obtida por meio do método.

Um conceito repleto de vantagens

Quem se apropria da Bricolagem não espera as melhores condições para começar a agir. Sua proposta é incentivar a ação com os recursos disponíveis.
Muitas vezes, o que acaba ocorrendo é o uso de ferramentas, processos e estruturas em contextos distintos de sua natureza ou função principal. Ou seja, o método incentiva a recombinação dos recursos disponíveis para atuar diante de alguma dor do mercado.
Na prática, o conceito é sinônimo de criatividade. Afinal, incentiva um olhar mais atento e diversificado sobre a realidade, buscando modelar soluções inovadoras. Ademais, a Bricolagem estimula a ação diante de um contexto marcado pela escassez – o que pode ser uma característica extremamente positiva no futuro ainda mais competitivo que nos aguarda.

A Gestão da Bricolagem nas organizações

Em uma entrevista de emprego, é normal que os candidatos ressaltem sua disposição, experiências, cursos feitos, simpatia e outras qualidades valorosas. Contudo, uma característica muitas vezes esquecida pelos candidatos é a criatividade. De acordo com uma pesquisa publicada pela revista Gazeta Mercantil, os profissionais mais valorizados no mercado atualmente são aqueles éticos e criativos.
Dentro das organizações, a criatividade é algo essencial para mantê-las competitivas no mercado, principalmente por causa do cenário mundial de constantes mudanças.
Por isso, a Gestão de Bricolagem do Empreendedorismo busca encontrar soluções para os problemas dos clientes antes que eles se deem conta deles.
A Gestão da Bricolagem/Criatividade se tornou uma cultura organizacional, que permeia todos os setores de uma empresa, não somente sua linha de produção.
Em vista disso, cada vez mais as empresas estão investindo no desenvolvimento da criatividade dos seus funcionários, já que os gestores não podem exigir de seus colaboradores que criem soluções criativas a partir do ano. Tem de haver um terreno bem cuidado e nutrido para que essas ideias brotem e floresçam.

Bricolagem versus padrões

Ir além de padrões é essencial para a Bricolagem do Empreendedorismo, contudo, isso não quer dizer que temos de jogar fora tudo o que aprendemos com o tempo. Muitos padrões existentes são usados pelas organizações até hoje exatamente porque funcionam e foram testados ao longo do tempo.
É muito arriscado criar uma cultura puramente baseada na criatividade; por isso, tem de haver um equilíbrio entre Bricolagem e padrões já estabelecidos.
Contudo, mesmo que haja esse equilíbrio, a nossa mente deve estar liberta para imaginar possibilidades e soluções “fora da caixa”.
A acomodação, o apego excessivo a padrões, o medo de críticas, dentre outras barreiras para a Bricolagem do Empreendedorismo, devem ser enfrentados, se não, há grandes chances de a empresa ficar defasada no decorrer dos anos.

3 formas de aplicar a Bricolagem do empreendedorismo na Escola

A Bricolagem pode ser uma oportunidade para o professor que deseja incluir no Planejamento Escolar estratégias voltadas a incentivar a atitude empreendedora e a criatividade dos estudantes. Veja algumas possibilidades:
Projeto multidisciplinar: o método é viável de ser utilizado para incentivar estudantes a utilizar conhecimentos distintos e a criar alternativas que solucionem problemas da comunidade escolar de forma mais rápida e eficiente.
O desafio será contar apenas com aquilo que está nas mãos, estimulando a criatividade da turma.
Prototipagem: a Bricolagem também é útil no momento de prototipar ou aplicar conhecimentos específicos. O desafio será fazer o modelo de alguma disciplina apenas com os elementos disponíveis na sala de aula.
Introdução de novos temas: o professor tem a chance ainda de empoderar os estudantes e sua vivência, criando momentos de debate e troca de experiências em torno do assunto a ser ensinado.
Essas são apenas três possibilidades de aplicação da Bricolagem. Entretanto, uma análise mais aprofundada das dificuldades da turma pode ser válida a fim de encontrar outras alternativas. Enfim, o professor pode ser muito criativo com a turma e estimular a criatividade dos estudantes.
Ao fazer isso, os estudantes podem ter a oportunidade de adquirir habilidades fundamentais para sua vida profissional. Pode parecer pouca coisa, mas esse estímulo muitas vezes ajuda a definir visões sobre como ser um profissional de qualidade por parte dos estudantes. Afinal de contas, o professor é um dos primeiros contatos de crianças e adolescentes com figuras de autoridade.
Se quiser continuar seguindo o caminho da Educação Empreendedora, que tal aplicar também outro método desse universo, o Effectuation? Para saber como, leia nosso e-book sobre o assunto!
Compartilhe este conteúdo

Assine a Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades