O celular como ferramenta de ensino dentro das salas de aula

Blog O celular como ferramenta de ensino dentro das salas de aula

Compartilhe este conteúdo
O aparelho celular já é um item quase obrigatório entre as novas gerações. Hoje é possível trabalhar, estabelecer comunicação e também estudar via celular. O fácil acesso à internet preocupou alguns educadores desde o início, mas já existem iniciativas que utilizam essa ferramenta para complementar o ensino, inclusive em prol do empreendedorismo.
A pesquisa TIC Educação, realizada pelo Cetic.br (Comitê Gestor da Internet no Brasil), concluiu que um terço dos docentes brasileiros já contam com o celular para ensinar. A prática está presente em 36% das escolas públicas e em 46% das privadas.
Mas será que é mesmo possível usar os smartphones como ferramenta de ensino dentro das salas de aula? Vamos entender um pouco mais a respeito da funcionalidade dos dispositivos no ambiente educacional.

Principais barreiras encontradas na inclusão do celular na aprendizagem

Por mais que o uso do celular e da internet esteja bastante disseminado, não se pode generalizar que o acesso é para todos. Existem muitas instituições de ensino em locais carentes, em que o mundo virtual ainda não está tão presente.
Além disso, muitas escolas sofrem com banda larga insuficiente, ou disponibilizam o uso da internet apenas para o corpo docente, com o objetivo de evitar que o celular seja mais um motivo de distração.
Por mais que tal atitude possa parecer coerente, privar o estudante pode acabar inibindo que ações educacionais inovadoras aconteçam. Desse modo, a escola perde a oportunidade de aumentar o engajamento dos estudantes no aprendizado.
É claro que é preciso planejamento e controle por parte dos professores para inserir os aparelhos celulares a favor do desenvolvimento da turma, mas os resultados podem ser recompensadores.

Como quebrar essas barreiras?

Os professores precisam, em primeiro lugar, eliminar a crença de que o celular e a internet servem apenas para o lazer. Uma das formas de mudar isso é a troca de experiências entre os educadores.
Eles podem formar grupos virtuais, trazendo ideias e mostrando as principais dificuldades que eles pensam que vão encontrar com a utilização dos aparelhos em sala de aula. Essa comunicação será importante com a intenção de mudar a visão sobre a tecnologia, entendendo que é possível ter uma educação inovadora.
A fim de ajudar ainda mais os professores, a BNCC prevê o uso da tecnologia em sala de aula, tendo como base a imersão da sociedade no meio digital. Assim, eles precisam estar preparados para o novo modelo de educação, ajudando ainda mais na formação integral dos estudantes.

Estratégias para utilizar o celular em sala de aula

A Base Nacional Comum Curricular e a Educação Empreendedora priorizam o aprendizado personalizado, em que os perfis de cada estudantes são respeitados. Para que a personalização se dê, é necessário explorar as múltiplas linguagens e formas de educar para que todos tenham a oportunidade de desenvolver habilidades e competências essenciais à formação.
O meio virtual apresenta uma linguagem muito próxima do jovem da atualidade; então professores e estudantes terão uma aproximação maior durante a comunicação. Diante disso, as estratégias a serem criadas podem ser baseadas nesse alto poder comunicativo e motivador da tecnologia.
Uma maneira prática de aproveitar as facilidades trazidas pelo celular é a utilização das buscas instantâneas. É viável ao professor planejar aulas em que todos da turma façam pesquisas ativas sobre o conteúdo passado, aprofundando ainda mais sobre cada assunto a ser desenvolvido nas disciplinas básicas do ensino.
Como aponta o coordenador pedagógico do Instituto Educacional Casa Escola, Jorge Raminelli. “Na verdade, seria muito mais fácil proibir, mas a gente acredita muito no processo de construção, e, com ele, os alunos e os profissionais vão adquirindo maturidade e aperfeiçoamentos metodológicos que incluem as tecnologias às práticas de ensino”.
E a funcionalidade digital pode ser ainda mais explorada pelos docentes, como, por exemplo:

O poder das redes sociais

As redes sociais falam a linguagem dos jovens; nessa situação, por que não utilizá-las a favor da educação? O Facebook e o WhatsApp, por exemplo, são aplicativos de comunicação, em que é possível criar grupos de discussão.
O professor pode orientar os estudantes a criar esses grupos para que todos possam compartilhar ideias e conteúdos que estejam no planejamento. Tudo isso promoverá maior participação da turma e ainda vai expandir o aprendizado extra sala de aula. Os estudantes podem aproveitar para tirar dúvidas e trazer sugestões a serem aplicadas durante as aulas presenciais.

Incentivo a produção de conteúdo digital

A produção de conteúdo digital já é considerada uma profissão. Dessa forma, trazer esse modelo de atividade à sala de aula motivará bastante a turma. Os professores podem propor algumas atividades que façam com que os estudantes utilizem as ferramentas disponíveis no celular, como câmera, gravador e outros aplicativos, objetivando aprimorar fotos e vídeos.
Eles podem criar vídeos curtos sobre um assunto, telejornais e até realizar entrevistas. O YouTube é uma ótima plataforma de vídeo voltada a explorar a criação de conteúdo digital. A criação de um blog também é interessante para aprimorar a escrita e também para incentivar a pesquisa.
Tais ações promovem o amadurecimento de uma visão empreendedora, proporcionando o desenvolvimento de habilidades que farão com que todos estejam preparados para o novo mercado de trabalho.

Qual a relação entre o uso do celular em sala e a Educação Empreendedora?

A Educação Empreendedora tem como base a inovação da educação com a finalidade de que os estudantes consigam se desenvolver por completo. Ela trabalha o desenvolvimento de habilidades cognitivas e socioemocionais fundamentais, a fim de que os jovens cheguem à fase adulta preparados para o mercado de trabalho.
O uso da tecnologia é vista pela Educação Empreendedora como ferramenta fundamental ao aprendizado. Assim, o uso do celular e de outros recursos digitais é aliado nesse processo de transformação educacional.
Para entender um pouco melhor, o CER apresenta um artigo completo que fala sobre algumas ferramentas que podem ser utilizadas no aprendizado, trazendo benefícios à formação empreendedora dos jovens.
Compartilhe este conteúdo

Assine a Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades