Como a Educação Empreendedora desenvolve o protagonismo do estudante

Blog Como a Educação Empreendedora desenvolve o protagonismo do estudante

Compartilhe este conteúdo
Os padrões educacionais tradicionais do ensino já não atendem às necessidades atuais em relação à formação de indivíduos aptos para os desafios pessoais e profissionais da atualidade.
É preciso que os jovens desenvolvam competências e habilidades que os capacitem integralmente. Por isso, é necessário trabalhar o protagonismo do estudante em toda a sua jornada educacional.
A Educação Empreendedora apresenta as ferramentas ideais para que as instituições consigam implementar metodologias que façam com que o estudante seja o personagem principal do seu aprendizado. Isso ocorrerá quando os professores compreenderem a importância do protagonismo do estudante e como isso pode impactar o futuro dos jovens.

O que é o protagonismo do estudante?

O ensino tradicional traz metodologias em que o professor detém todo o conhecimento e é considerado o centro do aprendizado. Os estudantes devem seguir uma lógica de ensino preestabelecida, sem que a sua autonomia seja desenvolvida.
O protagonismo do estudante trabalha na inclusão de metodologias que modificam essa hierarquia educacional. Nesse contexto, o professor passa a assumir a função como orientador no aprendizado, e os estudantes começam a ter voz ativa nos processos que envolvem a busca e a absorção do conhecimento.
Tudo isso faz com que eles consigam desenvolver autonomia, pensamento crítico, consciência social e ambiental, comunicação eficaz e outras habilidades indispensáveis à sua formação.
Além disso, esse protagonismo faz aliança com a personalização do ensino, dando voz à diversidade e aos diversos formatos de aprendizagem e às múltiplas inteligências existentes.

Qual o papel da Educação Empreendedora nesse contexto?

A premissa principal da Educação Empreendedora é o desenvolvimento de competências fundamentais para a formação do indivíduo. A fim de que isso ocorra, será preciso implementar algumas metodologias no currículo escolar.
Grande parte das práticas empreendedoras aplicadas no desenvolvimento do estudante é voltada ao seu protagonismo. A implementação da Educação Empreendedora é feita de forma integral, o que acarretará uma modificação em toda a dinâmica da instituição.
Essa modificação transformará a forma de aprender, dando ênfase à personalização do ensino e buscando sempre a diversidade no aprendizado. Os estudantes passam a assimilar as práticas empreendedoras com as oportunidades que a autonomia proporciona para a criação e a realização dos próprios objetivos.
Dessa forma, a Educação Empreendedora se apresenta como a principal ferramenta para que o protagonismo estudantil seja concretizado. O principal benefício é que, quando a centralização do aluno se dá de forma simultânea às práticas empreendedoras, o estudante passa a ter uma formação com forte base cognitiva e emocional.

Protagonismo do estudante no projeto de vida

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) apresenta diretrizes básicas para a reformulação do currículo escolar, fazendo com que ele fique mais alinhado com as exigências da sociedade atual. O Projeto de Vida na Escola faz parte dos pilares da proposta de reformulação do ensino.
A ideia central desse pilar é fazer com que o estudante se sinta acolhido e representado em todas as etapas do seu aprendizado. Assim, o protagonismo estudantil é amplamente trabalhado, e a autonomia, desenvolvida.
A escola e os professores terão o papel de guiar os jovens nesse processo e de entregar conteúdos, projetos e atividades que proporcionem ainda mais a aprendizagem integral. Por isso, a BNCC também apresenta três dimensões que precisam ser trabalhadas ao longo da vida escolar: pessoal, social e profissional.
Assim, o estudante consegue ter uma visão maior sobre o seu papel na sociedade e como as suas ações podem impactar grupos ou comunidades. Esse reconhecimento sobre as próprias responsabilidades serão essencial para que o jovem consiga direcionar o seu futuro com base em sua visão de mundo, assumindo as suas prioridades.

Como implementar metodologias e práticas do projeto de vida em sala de aula?

O primeiro passo é trazer um aprofundamento sobre o assunto para dentro da escola. Todos os membros da instituição devem entender o que é o projeto de vida na escola e como ele pode ser útil no que diz respeito à formação dos estudantes.
Tendo em vista isso, é necessário criar ações que envolvam todo o processo de construção de uma mentalidade centrada nos próprios objetivos. A BNCC apresenta em suas diretrizes que o projeto de vida em sala de aula deve começar a ser trabalhado desde os anos iniciais do Ensino Fundamental até o final do Ensino Médio.
Assim, a instituição consegue exercer o papel de transformar o jovem em um adulto autônomo e apto para decidir o rumo da sua jornada profissional e pessoal. Vamos entender um pouco melhor como a escola e os professores podem trabalhar em cada etapa:

Anos iniciais do Ensino Fundamental

Os anos iniciais do Fundamental são considerados o momento para que os professores comecem a trabalhar a noção da vivência em sociedade e também sobre o espaço que o estudante ocupa no mundo e na comunidade.
Desse modo, será importante trazer atividades que proporcionem aos estudantes uma visão global sobre o mundo. Devem fazer parte das atividades projetos que promovam a importância da diversidade, mostrando que cada indivíduo, a partir do seu espaço, consegue traçar metas e alcançar os próprios objetivos.

Anos finais do Ensino Fundamental

Com as bases do projeto de vida construídas, o final do Ensino Fundamental será uma fase para que o estudante comece a entender melhor sobre si mesmo. Com o objetivo de que isso ocorra, será preciso trabalhar o autoconhecimento e a inteligência emocional.
Os professores podem aplicar atividades e metodologias que façam com que os estudantes tragam questionamentos e fundamentos que são ponte para a criação de crenças e valores essenciais ao cidadão. Aplicar o protagonismo do estudante nesse momento será primordial de modo a que ele compreenda o seu papel social e passe a desenvolver uma mentalidade coletiva.

Ensino Médio

É no Ensino Médio que as reflexões sobre o projeto de vida devem ficar mais profundas, pois os estudantes estão próximos de ingressar na fase adulta. Diante disso, os professores podem elaborar práticas e vivências onde o aluno possa se conhecer melhor, conhecer a sua comunidade e também a existência de múltiplos caminhos profissionais a seguir.
Será nessa etapa que o protagonismo deverá estar bem consolidado para que as escolhas possam ser feitas de acordo com as necessidades e os perfis de cada estudante. Os educadores começam a ser orientadores, mas devem mostrar autonomia para que cada indivíduo tenha voz ao escolher o que é melhor para o seu futuro.

Caminhos para o desenvolvimento de jovens líderes

No que diz respeito às atividades direcionadas para cada etapa do ensino, é preciso também que existam caminhos para o desenvolvimento de jovens líderes. O desafio será trazer projetos que incentivem o protagonismo juvenil na rotina de ensino da instituição.
Mas quais caminhos os professores podem trilhar em suas aulas? Abaixo estão algumas dicas para serem aplicadas em relação às novas metodologias, que visam ao desenvolvimento de habilidades e competências:

Busque novos métodos de ensino

As metodologias ativas são ótimas fontes de desenvolvimento de liderança. O ensino baseado em projetos, por exemplo, pode fazer com que os estudantes trabalhem a resolução de um problema de forma ativa.
A turma aprende a liderar as próprias ações, sendo essas refletidas em atitudes que os guiarão para definir os projetos de vida.

Priorize a interação

A tecnologia está cada vez mais avançada e deve estar presente na educação. Exige-se que os inúmeros meios de comunicação façam parte do ensino. Além de rodas de conversa e debates em sala, o professor utiliza plataformas para continuar a interação fora da sala de aula, como o uso de redes sociais, blogs e até canais de vídeo.

Traga situações reais e que façam parte da vida do estudante

A realidade também deve estar presente para que o conteúdo passado possa ultrapassar as barreiras da escola. É importante que os estudantes tenham uma visão global sobre os acontecimentos do mundo, identificando os problemas existentes a fim de que sejam capazes de começar a pensar em projetos para beneficiar o todo.
Os educadores têm de ter objetivos claros, um bom planejamento das atividades e comprometimento com o cronograma. Além disso, é necessário que as escolas busquem fontes para providenciar os recursos necessários com o propósito de que essa formação completa se dê.

O CER, a Educação Empreendedora e o protagonismo estudantil

O protagonismo do estudante e a Educação Empreendedora são aliados e devem ser aplicados concomitantemente. Nesse caso, é importante que as instituições contem com programas e plataformas de apoio e incentivo com a intenção de que as diversas realidades brasileiras entendam que é possível promover uma educação integral a todos.
O CER divulga conteúdos que mostram a importância e exemplos de aplicação do empreendedorismo na escola. Aproveite então para conhecer as dez iniciativas brasileiras que estimulam o protagonismo dos estudantes. Utilize os exemplos como inspiração para que cada vez mais o estudante tenha voz dentro da sua instituição.
Compartilhe este conteúdo

Assine a Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades