Como trabalhar os diferentes tipos de educação na sala de aula

Blog Como trabalhar os diferentes tipos de educação na sala de aula

12/01/2022
O avanço da tecnologia e as recorrentes mudanças nas dinâmicas sociais e profissionais trouxeram impactos para diversos setores, incluindo a educação.
Os moldes tradicionais de ensino estão sendo transformados, bem como os professores e as instituições de ensino estão tendo de encarar estudantes que exigem uma nova forma de aprender. Tudo isso fez com que se destacassem diferentes tipos de educação, mostrando que é possível aprender de múltiplas maneiras.
Assim, é preciso que todos os profissionais da educação estejam por dentro dessas modificações para que a formação seja completa e, consequentemente, personalizada.

O que é, de fato, a educação?

Pode parecer óbvio, mas entender o real conceito de educação será fundamental para a compreensão das recentes transformações, além de dar uma amplitude para o que pode vir a ocorrer no futuro.
Etimologicamente falando, “educação” tem origem do latim, da palavra educare, carregando o significado de “direcionar” ou “conduzir para fora”. Diante disso, entende-se que educação é o preparo do indivíduo para que ele possa estar apto a viver em sociedade.
Com base nessa informação, pode-se entender quais são as bases dos métodos utilizados nos dias atuais e também em como a educação anda lado a lado com as transformações sociais. Pois, se o ato de educar é fazer com que o indivíduo desenvolva habilidades e conhecimento buscando viver em sociedade, então a forma de educar deve agir de acordo com os fundamentos atuais em que a população esteja vivendo.
Desse modo, é correto afirmar que os diferentes tipos de educação da atualidade foram moldados conforme a evolução social.

Conheça três diferentes tipos de educação

É plausível dizer que, hoje, os métodos de ensino podem ser divididos em três diferentes tipos de educação. Ao conhecê-los, será possível perceber o processo dinâmico pelo qual os conceitos educacionais estão passando, tendo desde modelos tradicionais até os mais modernos com técnicas e práticas inovadoras.

1. Educação formal

Basicamente, a educação formal é aquela em que se usa o modelo tradicional de ensino aplicado, durante muito tempo, em escolas e universidades. Assim, o currículo é padronizado, e toda aprendizagem segue um modelo sistemático movido a regras e normas que devem ser obedecidas.
Essas regras e leis atendem ao padrão estabelecido pela Lei de Diretrizes e Bases (LDB) da educação nacional (Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996), que trata da regulamentação do ensino público e privado do país.
Seguindo essas premissas, a educação brasileira pode ser presencial ou a distância, sendo subdividida em:
  • Pré-escola ou Educação Infantil
  • Ensino Fundamental
  • Ensino Médio
  • Educação de Jovens e Adultos (EJA)
  • Ensino Técnico
  • Ensino Superior
  • Pós-Graduação: Especialização, Mestrado, Doutorado, Pós-Doutorado
 

2. Educação não formal

A educação não formal foge do padrão tradicional e também das exigências legais estipuladas pela LDB (Lei de Diretrizes e Bases). De acordo com esse preceito, este modelo de educação não tem a necessidade de atender aos requisitos metodológicos, legais e administrativos, ou seja, ela apresenta maior flexibilidade para aplicar novas metodologias de ensino.
Em resumo, a não formalidade da educação é vista como uma forma de complementar o que é aprendido e ensinado na educação formal. Os estudantes podem desenvolver outras áreas, como o desenvolvimento pessoal, emocional e também o profissional. Um bom exemplo são os cursos de inglês realizados fora do ambiente escolar.

3. Educação informal

Este tipo de educação também pode levar o nome de “incidental” e também é importante como complemento tanto para a educação formal quanto para a não formal. O objetivo não é a aquisição de diplomas ou certificados, mas sim o desenvolvimento dos estudantes por meio das vivências.
O aprendizado se dá ao longo da vida, conforme o estudante vai tendo a oportunidade de entrar em contato com elementos vivos do cotidiano, como ler um livro, visitar um museu, acessar jogos educativos e até assistir a programas pela TV ou pela internet.

Como aplicá-los em sala de aula?

O conceito da educação formal é a base de aplicação em quase todas as instituições de ensino, mas é de conhecimento de muitos especialistas em educação que os outros dois modelos de educação também podem ser trabalhados em sala de aula.
É claro que, para que isso aconteça, é preciso que a instituição modifique a visão sobre o aprendizado e busque novas metodologias que estejam também de acordo com as exigências da LDB.
Um bom modelo a ser seguido e aplicado é o Lifelong Learning, que acredita na formação de indivíduos preparados para o aprendizado constante e que perdure durante toda a vida.
Tanto a educação não formal quanto a educação informal podem ser aplicadas em sala de aula a partir da formação dessa mentalidade, que pode ser moldada valendo-se dos quatro pilares da educação, divulgados pela UNESCO em 1999: aprender a ser, aprender a conhecer, aprender a fazer e aprender a conviver.
Todos os quatro pilares apresentados podem ser aplicados utilizando diversas metodologias, como :
  • Criação de grupos de estudos

    A criação de grupos de estudos faz com que os estudantes também desenvolvam a organização e a empatia sobre as dificuldades do colega. O professor pode nesse momento aproveitar para complementar o conteúdo da disciplina, dando também a oportunidade dos próprios estudantes se ajudarem.

  • Utilização de ferramentas digitais

    A internet está repleta de ferramentas que podem auxiliar e incentivar o estudante a buscar conhecimento. Os educadores utilizam as redes sociais para criar um ambiente de interação, no qual os membros da turma terão o papel de alimentar a rede com os conhecimentos que eles mesmos buscaram.

  • Idealização de projetos que incentivem a busca ativa por soluções

    A criação de projetos é um caminho que também pode ser bastante explorado e que dá o poder de trabalhar os três tipos de educação. O professor, nesse caso, tem a missão de direcionar os estudantes a buscar soluções para um problema que tenha relação com a disciplina, estimulando-os a realizar buscas ativas a fim de resolver o problema.

    Assim, o conhecimento técnico e curricular será trabalhado, cabendo à turma desenvolver habilidades e competências socioemocionais que serão úteis quer para a vida pessoal quer para a vida profissional.

    O que esperar do futuro da educação?

    Percebe-se que a existência de metodologias diferentes utilizadas para educar demonstra que, assim como a sociedade, a educação está viva e em constante mudança. Esse fato faz com que sejam esperadas novas transformações educacionais que visam ao desenvolvimento completo do estudante.

    A Educação Empreendedora, já aplicada em algumas escolas, também trabalha de acordo com a inovação e a formação integral, em que as habilidades socioemocionais têm o mesmo peso que a aprendizagem técnica e teórica.

    Para melhor entendimento, o CER apresenta um conteúdo complementar sobre a importância da Educação Empreendedora. A leitura também deixará evidente como a visão empreendedora em sala de aula é capaz de unir os três tipos de educação.

Assine a Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades