Conheça os vencedores do 24º Prêmio Educador Nota 10

Blog Conheça os vencedores do 24º Prêmio Educador Nota 10

23/03/2022
No dia 25 de fevereiro de 2022, a Fundação Victor Civita anunciou os vencedores do 24° Prêmio Educador Nota 10. Trata-se de aproximadamente 2,5 mil inscritos, e os projetos selecionados foram desenvolvidos em 2020 e 2021, dentro de uma realidade de pandemia e, consequentemente, de ensino remoto.
Os projetos escolhidos representam sete estados brasileiros, sendo eles: Bahia, Santa Catarina, Maranhão, Minas Gerais, Pernambuco, São Paulo e Rio Grande do Sul, tendo os seguintes componentes curriculares: matemática, história, geografia, língua estrangeira, educação física e ciências da natureza.
A premiação e a escolha dos vencedores foram feitas pela Academia de Selecionadores, isto é, um grupo composto de especialistas em didática e de pesquisadores das maiores universidades do país.
Vamos entender um pouco mais a respeito do Prêmio Educador Nota 10 e conhecer 5 projetos que estão entre os vencedores de 2022, assim como suas propostas.

Prêmio Educador Nota 10

O Prêmio Educador Nota 10 teve a sua primeira edição em 1998 e, desde então, firma o compromisso de incentivar e valorizar professores e gestores escolares de instituições públicas e particulares de todo o país.
No total, somando as 24 edições, foram inscritos mais de 75 mil projetos, o que resultou em 251 educadores premiados durante esse período. Hoje em dia, com o crescimento e o aumento do interesse dos professores em participar, o prêmio tem a parceria de mídia da Abril, do Globo e da Fundação Roberto Marinho, além do patrocínio da SOMOS Educação e da BDO Brasil, o que potencializa ainda mais a sua importância para a educação do Brasil.
Desde 2018, a premiação também é associada ao Global Teacher Prize – Varkey Foundation –, que premia, em âmbito global, um educador que possibilitou uma contribuição excepcional à educação.

Veja 5 vencedores do 24° Prêmio Educador Nota 10

Sabendo agora da importância que o Prêmio Educador Nota 10 tem para os professores e os gestores de todo o país, chega o momento de conhecer 5 vencedores da 24° edição. Aprofundar-se nos projetos selecionados é uma forma de o professor se engajar ainda mais na luta por uma educação melhor e transformadora.
1. Professora Cristiele Borges dos Santos Cardoso
Projeto: “A voz das crianças: conexões que aproximam”
Educação Infantil – Crianças de 2 a 3 anos
Em razão da pandemia, o trabalho de desenvolvimento educacional enfrentou diversos desafios, principalmente, nas primeiras etapas do aprendizado. As dificuldades encontradas nesse cenário fez com que a professora Cristiele Borges buscasse formas alternativas de manter o foco das crianças.
Ela desenvolveu um projeto educativo por meio do qual todos puderam acompanhar o crescimento de uma batata, integrando conhecimento científico, desenhos e a interação via aprendizado dos cuidados com as plantas. Todas as conversas eram mantidas pelo WhatsApp, permitindo que os estudantes e os pais pudessem interagir pelos áudios e vídeos.
Tudo isso fez com que as crianças conseguissem desenvolver a linguagem oral e proporcionou que a professora compreendesse o pensamento das crianças, assim como os caminhos que elas utilizam para construir o próprio conhecimento.
2. Coordenadora Pedagógica Daniela Cardoso da Silva
Projeto: “Manual de sobrevivência da EPA – Escola de Porto Alegre”
Ensino Fundamental – Jovens e Adultos
A Escola Municipal de Ensino Fundamental de Porto Alegre é uma das poucas instituições escolares do país que desenvolvem a educação com base nos estudantes em situação de rua. Desse modo, a coordenadora pedagógica Daniela teve de elaborar um projeto que promovesse a educação e também o acolhimento de todos.
No início do trabalho, houve a criação de um clipe musical chamado “Manual de Sobrevivência”, pelo qual os estudantes participaram de toda a criação do projeto e também das filmagens. Toda a dinâmica interdisciplinar proporcionou uma valorização da vida e da experiência dos estudantes, incentivando a expressão oral e a leitura.
Um fato importante desse projeto é o incentivo ao conhecimento e ao desenvolvimento de novas ações. Um exemplo é o texto – Manual de Sobrevivência do Fábio – escrito por um estudante da turma, que viralizou nas redes sociais. Além disso, o livro “A Filha do Dilúvio”, de Miguel da Costa Franco, serviu para que os estudantes desenvolvessem o interesse pela leitura, que teve como reflexo a criação de oficinas de cinema, produção de textos e até um memorial da rua.
3. Professora Francilda Fonseca Machado
Projeto: “Meu quintal, meu campo de pesquisa”
História – 6°ano
Os alunos da professora de História Francilda Fonseca moram em comunidades quilombolas e não possuem acesso à internet, o que é um desafio muito grande no ensino atual.
Diante desse cenário, a educadora decidiu usar as ferramentas que os estudantes tinham para o aprendizado e desenvolveu um projeto em que eles pudessem aprender no quintal de casa. Ela criou roteiros dialogados que demandavam pesquisas diárias, divididas entre as atividades que ela propôs para que eles fizessem em casa.
Uma das ações foi a leitura sobre sítios arqueológicos, despertando a curiosidade de todos. Depois desse conhecimento, os estudantes demarcaram uma área e começaram a explorar a área com a intenção de encontrar alguma “relíquia”. Eles encontraram pedaços de porcelana, sapatos velhos e plantas que foram levados para a escola e serviram como objetos de estudo.
Também é possível destacar outra atividade desenvolvida e que tinha como fonte principal o domínio do fogo no período Paleolítico. Todos fizeram uma fogueira, com a ajuda dos pais e dos professores, e reservaram esse momento para contar histórias.
4. Professora Janete Emília Dourado Santos
Projeto: “O pulo do gato”
Matemática – 5°ano
Por mais que o ensino remoto tenha sido destaque durante a pandemia, não se deve esquecer que muitas famílias não possuem ou têm dificuldades de obter acesso à internet. Com isso, a professora Janete, junto com outros educadores, resolveram entregar blocos de atividades na casa dos estudantes.
Os idealizadores do projeto perceberam que os jovens estavam tendo mais problemas com os exercícios de matemática. Para resolver isso, eles começaram a tratar essas dificuldades nos blocos subsequentes, mostrando também como outros estudantes conseguiram solucionar os problemas passados.
Além disso, a professora começou a auxiliá-los na resolução dos exercícios por meio de áudio e vídeos, dando um apoio ainda maior a eles. O resultado foi o aumento das estratégias voltadas à resolução dos problemas passados.
5. Professora Jaqueline Maria Alexandre Weiler
Projeto: “A pesquisa como prática educativa: aprendendo a aprender com os quero-queros”
Educação Infantil – Crianças de 4 e 5 anos
A Professora Jaqueline entende que crianças de 4 a 5 anos já começam a se interessar pelo seu entorno e conseguem pesquisar sobre esses assuntos a fim de desenvolver um pensamento crítico a respeito. Assim, ela criou um projeto com base na percepção que ela teve sobre o interesse da turma pelos pássaros que cantavam próximo à sala de aula.
Ela estruturou um projeto investigativo, cujo principal objetivo foi a observação do comportamento desses pássaros. Esse se tornou um “prato cheio” para potencializar diversas áreas do ensino, como os diferentes tipos de linguagem, técnicas de escrita, leitura, desenho e até pintura.
No período de ensino remoto, as famílias davam total apoio às crianças durante as pesquisas. Assim, todo o conteúdo gerado proporcionou ótima bagagem para que a professora criasse material de divulgação valendo-se dos estudos feitos pela turma.
Essa foi uma pequena amostra da grandiosidade dos trabalhos e projetos desenvolvidos pelos professores e pelos gestores que venceram o 24º Prêmio Educador Nota 10. Vale utilizar tais exemplos como inspiração, a fim de que novos desafios sejam formados por meio da criação de outros projetos educacionais transformadores.

Assine a Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades