Cultura Digital: Como trabalhar essa competência em sala de aula

Blog Cultura Digital: Como trabalhar essa competência em sala de aula

Compartilhe este conteúdo
Após a criação e a homologação da Base Curricular Comum Nacional (BNCC), a Educação, de modo geral, sofreu algumas adaptações necessárias para que as competências básicas da Base Curricular pudessem ser desenvolvidas.
A tecnologia, presente no dia a dia das pessoas, apresenta-se como um dos gatilhos para que transformações direcionadas ao desenvolvimento possam ocorrer. Diante disso, a Cultura Digital é uma significativa fonte de crescimento,imprescindível à sala de aula.
É inegável que a utilização de recursos tecnológicos na Educação ainda apresenta alguns desafios, porém os resultados positivos que eles proporcionam são necessários. Foi por isso que a tecnologia passou a estar presente entre as dez competências da BNCC, sendo que já é possível identificar técnicas para trabalhar tal competência em sala de aula.

Cultura Digital e a BNCC

A BNCC entende que o currículo escolar deve ser composto de dez competências básicas,fundamentais para a formação dos jovens, deixando-os aptos a encarar os desafios profissionais e pessoais.
A Competência 5 traz a importância da inclusão da tecnologia nos processos pedagógicos de ensino. Ela determina que os educadores devam incentivar os estudantes a utilizar a tecnologia de forma mais consciente, em que seja possível estimular a reflexão e os demais conceitos éticos da sociedade.
Dessa forma, as instituições devem reformular as práticas de ensino para que elas também incluam o aprimoramento e a compreensão das ferramentas digitais como mais um caminho para o aprendizado.
A Cultura Digital foca então no uso de recursos tecnológicos como forma de mostrar para as crianças e os jovens que é possível dominar o universo digital de uma maneira consciente e direcionada para o crescimento pessoal e profissional.
A BNCC também compreende que essa inclusão digital no ensino é algo inevitável, pois grande parte dos estudantes já está inserida nesse meio digital. Então, se a inclusão não for feita a tempo, existirá uma carência de inovação muito grande, fazendo com que o engajamento escolar fique cada vez menor.

Quais as principais vantagens da Cultura Digital?

Todas as competências da BNCC priorizam o preparo do jovem para a sociedade, e a Cultura Digital é apresentada como uma ferramenta engajadora do processo de aprendizado. O uso da tecnologia faz com que os jovens sintam que a sua realidade digital está sendo representada dentro da escola.
Isso faz com que as novas necessidades dos alunos passem a ser atendidas, além de criar um novo ambiente de ensino. A Educação, apesar da sua grande eficiência até os dias atuais, ainda está carente em alguns aspectos.
A Cultura Digital consegue realizar uma expressiva otimização no ensino, dando também a oportunidade dos professores entenderem melhor como cada indivíduo se comporta e se desenvolve durante a sua jornada educacional, abrindo espaço para um aprendizado individual e centralizado no estudante.
Além das vantagens que englobam o engajamento do estudante, o aprendizado e o desenvolvimento de competências e habilidades socioemocionais, as instituições poderão contar com um alto desempenho na Gestão Escolar. Os professores e os demais membros da instituição terão um controle maior sobre o ensino, a performance dos estudantes e também uma praticidade maior durante as aulas.

Como essa Competência pode ser trabalhada em sala de aula?

A Competência 5 da BNCC também prioriza que os estudantes aprendam a usar as diversas ferramentas digitais e tecnológicas existentes no mercado. Dessa forma, as práticas trabalhadas em sala de aula devem aliar dois pontos: técnicas de utilização das ferramentas e o aprendizado.
Para que isso se dê, os professores terão de usufruir da diversidade tecnológica existente e usar a criatividade para que elas possam ser úteis e complementares ao ensino das matérias base do ensino. Veja alguns exemplos que comprovam que essa união é possível:
  • Criação de aulas que promovam a reflexão do uso das tecnologias na atualidade
O primeiro passo a ser trabalhado é o desenvolvimento da consciência tecnológica. A maioria das pessoas desconhece o poder que a tecnologia pode ter na Educação. Diante disso, os professores devem promover debates recorrentes sobre o uso dessas ferramentas digitais no dia a dia.
Toda essa dinâmica fará com que os estudantes consigam ter uma visão mais crítica sobre a tecnologia, aumentando também a confiança da turma em relação ao uso de novas ferramentas como fonte de aprendizado.
  • Utilização de métodos criativos de adaptação no ensino padrão
Para que a utilização desses métodos criativos de adaptação aconteça, será preciso que os educadores e os professores passem por atualizações constantes. É necessário que eles acreditem no poder engajador que a Cultura Digital pode trazer para as escolas.
Partindo dessa atualização, será possível adaptar o uso de computadores, celulares, aplicativos e demais ferramentas ao ensino tradicional. O professor deve entender que ele será um orientador e ponto principal de estímulo a fim de que a sua turma consiga aprender ainda mais com uso da tecnologia.
  • Explorar as diversas ferramentas existentes para a criação de um ensino personalizado
A tecnologia avançou bastante, e a cada dia que passa uma novidade surge. Essa constante evolução é uma arma poderosa para ser utilizada no aprendizado, uma vez que essas ferramentas têm um poder incrível de aumentar o alcance de conhecimento dos estudantes.
As redes sociais, por exemplo, podem ser um ótimo canal comunicativo entre o estudante e o professor. Será possível criar uma rede de compartilhamento de conteúdo, correção de exercícios e até um espaço para debates construtivos. Mas é claro que esse não é o único caminho, já que o educador pode explorar também o formato de videoaula, audiobook e até a utilização da gamificação como modo de aprendizado interativo.
  • Incluir no currículo escolar aulas técnicas sobre Tecnologia e Informação
A grade curricular dos jovens também pode englobar matérias que trabalhem diretamente o uso da tecnologia. Diante disso, os estudantes poderão entender melhor sobre a montagem, a configuração e o manuseio das ferramentas.
Além disso, essa inclusão pode ser a porta de entrada para o despertar tecnológico dos jovens dentro de uma visão empreendedora. Eles começarão a entender que a tecnologia pode ser muito útil à sua vida profissional, abrindo caminhos para que ele possa empreender dentro dessa área.
É possível então trazer cursos sobre Programação, Web Design, Editoração Gráfica, Ferramentas de Criação de Áudio e Vídeo e até a Gestão de Mídias Sociais. Esse universo é grandioso, e a Educação deve colocá-lo como prioridade nas novas metodologias de ensino.
Compartilhe este conteúdo

Assine a Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades