Desenvolvimento territorial: a educação empreendedora na redução da desigualdade

Blog Desenvolvimento territorial: a educação empreendedora na redução da desigualdade

Compartilhe este conteúdo
Vivemos em um país de dimensões continentais. O Brasil é um dos cinco maiores países do planeta, e toda sua vasta extensão territorial é demarcada por regiões com origens históricas diferentes, constituídas a partir de uma pluralidade sociocultural ímpar.
Reconhecer as características dessa diversidade nos ajuda na elaboração de Políticas Públicas, Educação e Empreendedorismo, por meio de um olhar particular às necessidades e às potencialidades de cada região.
Uma Educação Empreendedora que valorize e respeite as diferenças territoriais impulsiona a sociedade a transformar sua realidade, tendo como ponto de partida o sentimento de pertencimento, de identidade com o local onde vive e toda a sua potencialidade.
Entretanto, como a Educação empreendedora pode construir caminhos para a valorização das desigualdades e incentivar a transformação desses cenários? São essas questões que vamos tratar aqui.

O que quer dizer o termo “território”?

O significado da palavra território vai muito além da extensão de terras demarcadas. O conceito tem a ver com o reconhecimento de um lugar como um espaço coletivo e protagonizado por quem se reconhece e se relaciona com sua história e sua tradição.
Esse espaço organizado pode ser identificado como um bairro, uma rua, um município, ou um conjunto de cidades. E tais espaços são estabelecidos pela sociedade que os compõe e por seus valores culturais e ambientais.
Os territórios são espaços vivos, dinâmicos e diversificados. Eles apresentam potenciais de promoção de desenvolvimento cultural, criativo e econômico, além da capacidade de preservar, de forma sustentável, o crescimento local.

O Desenvolvimento Territorial

Diante da diversidade territorial encontrada no Brasil, qualquer tentativa de centralização de políticas públicas vai culminar em maior desigualdade social. Para que haja desenvolvimento em todas as regiões e seus territórios, é preciso lançar um olhar específico para tais pluralidades.
Entender que habitam os diferentes Brasis é um passo importante para retomar a força da regionalização em prol do desenvolvimento.
Quando analisamos o desenvolvimento em uma abordagem territorial, conseguimos individualizar características e potencialidades, a fim de desenvolver dinâmicas que valorizem cada localidade em suas peculiaridades culturais, econômicas, de infraestrutura e de relações sociais.
O Desenvolvimento Territorial é capaz de dar voz às comunidades, fomentar as ações coletivas, proporcionar a troca de experiências e dar espaço para que as soluções de problemas locais sejam fruto de um pensamento construído com a colaboração de todos os envolvidos.

A Educação Empreendedora e a Redução das Desigualdades

A Educação, dentro da nossa história como nação, sempre foi instrumento de transformação e de luta pela redução das desigualdades sociais. Nosso contexto atual evidencia ainda mais a importância de a Educação se comprometer com esse desequilíbrio.
A diversidade territorial é um grande desafio para a Educação Empreendedora, já que não há como padronizar as ações. É preciso tomar conhecimento da multiplicidade de cada local.
Para isso é necessária uma estratégia que considere diferentes contextos, que interprete as realidades e que utilize criatividade na busca de resoluções de problemas e transformação de vidas.
Cada território enfrenta necessidades específicas e, com a intenção de reduzir essas discrepâncias, não podemos tentar igualar condições e arriscar-nos a adequar realidades a parâmetros universais.
As pessoas que constituem esses territórios devem ser entendidas como atores dessa mudança. É essa tomada de consciência sobre a posição de protagonista, da sociedade organizada, que promove o desenvolvimento sustentável.
Se cada território conseguir se apropriar das suas necessidades e potencialidades, certamente será possível implementar estratégias de desenvolvimento que conectem e promovam uma diminuição das desigualdades, não de forma fragmentada, mas em rede.
A Educação Empreendedora é uma ferramenta poderosa de articulação entre as partes envolvidas e os interesses do coletivo. Se em um território tivermos pessoas que combinem habilidades de liderança, cooperativismo e engajamento, objetivos maiores podem ser alcançados, e possibilidades mais prósperas podem surgir.
Para isso é fundamental que, além dos conhecimentos sobre as habilidades empreendedoras, as crianças e os adolescentes tomem ciência do lugar onde vivem. É fundamental apropriar-se da sua história, das características econômicas, sociais e culturais de seu ambiente.
O ímpeto para a mudança e para a transformação nasce do sentimento de pertencimento. Quando nos orgulhamos do lugar em que vivemos, a busca por contribuir e melhorar esse território é fomentada.

A Educação Empreendedora e a visão crítica da sua realidade

A combinação de uma Educação Empreendedora com uma visão crítica por parte de crianças e jovens é um caminho que nos leva à informação que ultrapassa barreiras.
Quando está vinculado e comprometido com sua realidade, o estudante se engaja em criar ações que favoreçam toda a sua comunidade.
A Educação Empreendedora desenvolve competências que viabilizam a criação de projetos, que estimulam envolvimento e conecta interesses.
A informação depende da proximidade. É imprescindível interagir com as demandas da região onde nos encontramos. É ir além do muro das escolas, é reconhecer sua comunidade como o principal local para exercer sua cidadania.
Ideias inovadoras nascem de inquietações, de questionamentos, de busca de melhorias, até mesmo para reivindicar ações em outras esferas de poder.
O conhecimento do seu território possibilita aos estudantes a percepção dos pontos fortes a serem explorados e os pontos a serem transformados em ações estratégicas visando aumentar a atratividade para negócios de cada local.

Desenvolvimento Territorial com Educação Empreendedora gera inovação

Historicamente as diferenças socioeconômicas do nosso país costumavam provocar grandes movimentos migratórios das pessoas, de uma região para outra, em busca de oportunidades mais promissoras.
Quando crianças e jovens recebem Educação Empreendedora, a mentalidade diante da realidade é modificada.
Aquela pessoa que vê possibilidade de empreender em sua localidade, a partir daquilo que seu território e sua comunidade produzem, percebe que não há motivação real de sair do seu local para conquistar um lugar de destaque no meio profissional.
Inovação depende de uma percepção clara e objetiva da realidade na qual está inserido. Essa visão ampliada é que possibilita o crescimento das mais diversas regiões, mesmo as que contam com menores recursos.
Concluindo, a Educação Empreendedora apresenta às pessoas um caminho possível para superar os desafios com liberdade, criatividade e engajamento.
Para que as desigualdades diminuam, é preciso educação de qualidade com iguais oportunidades para todos.
Nesse contexto, a Educação Empreendedora pode, sim, modificar toda a nossa sociedade, vencendo as barreiras territoriais, permitindo que as pessoas construam novas realidades com base no desenvolvimento e na aplicação das suas habilidades.
Compartilhe este conteúdo

Assine a Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades