Educação de crianças hospitalizadas: tendências associadas à personalização

Blog Educação de crianças hospitalizadas: tendências associadas à personalização

Compartilhe este conteúdo
O Ensino Personalizado é uma grande tendência no mundo educacional atualmente. O termo designa uma série de estratégias pedagógicas voltadas ao desenvolvimento individual do estudante, com atenção e respeito ao talento e à limitação de cada um.
Essa estratégia de ensino pode ser utilizada em vários âmbitos, pois, sendo algo personalizado, logicamente leva em consideração o contexto, o conhecimento e as habilidades próprias dos estudantes para adaptar o ensino a sua situação.
Como, por exemplo, no caso que veremos hoje, que se passa na Polônia. Nele, a professora Jolanta Okuniewska enfrentou o desafio de trabalhar com Marysia, uma criança que luta contra o câncer, dando a ela aulas de Inglês e ajudando com sua interação social.

UMA HISTÓRIA DE SUPERAÇÃO

Marysia não podia ir à escola nem receber visitas, por causa do risco de contrair alguma infecção. Por isso, Jolanta teve de usar a tecnologia para dar aulas a ela, que se encontrava no hospital.
Como Marysia aprendeu, no hospital, a usar um laptop com internet, Jolanta a incentivou a criar um blog, que seria o meio de interação entre ela e os outros estudantes.
Com o tempo, Marysia ficou apta a administrar seu blog e convidou colegas para visitá-lo e verem seus posts, nos quais ela falava sobre a sua vida.
Marysia sempre era muito rigorosa com sua gramática e estilo textual; com isso, conseguiu conquistar seus colegas. No blog, eles sempre desejavam que ela melhorasse logo, o que a dava mais força para lutar contra o câncer.
Além disso, ela fazia exercícios e jogos educativos do Zondle dirigidos a seus colegas, a fim de que eles os resolvessem.
Marysia começou a participar de aulas on-line pelo Skype, uma vez na semana, nas quais ela respondia a perguntas, cantava e recitava versos. A experiência foi muito boa, uma vez que ela ficou extremamente feliz de poder interagir mais com os colegas. Marysia, com tudo isso, sentia-se muito prestativa e aceita.

A IMPORTÂNCIA DO ENSINO PERSONALIZADO NO AMBIENTE HOSPITALAR

Durante a escola, é comum que os estudantes questionem seus professores sobre o porquê de aprender determinadas matérias. No entanto, além da importância do conteúdo em si, o processo de aprender, ir à escola, interagir com os colegas, é muito valioso, como vimos com Marysia.
O processo escolar ultrapassa o campo do aprendizado de conteúdos para influenciar nas competências socioemocionais dos estudantes e no seu desenvolvimento como ser humano.
A Personalização do Ensino no ambiente hospitalar também ultrapassa a simples transmissão do saber. Nesse ambiente, crianças, adolescentes ou jovens não são vistos como estudantes, mas sim como pacientes. Então, como o próprio nome diz, eles ficam em uma posição passiva, não podendo desenvolver suas habilidades.
Em vista disso, principalmente em doenças crônicas, como o câncer, sentimentos negativos como raiva, frustração, incapacidade e insegurança tomam conta da vida do estudante/paciente.
Logo, o tratamento desse estudante/paciente é prejudicado, porque ele fica desmotivado para lutar contra a doença, fazendo, até mesmo, com que as barreiras imunológicas do seu organismo se enfraqueçam.
O Ensino Personalizado, mesmo sendo feito somente à distância, de forma on-line, resgata um pouco da rotina do estudante/paciente, trazendo um sentimento de evolução para ele.
Conforme diz Ceccim apud Ortiz e Freitas, “parece-me que, para a criança hospitalizada, o estudar emerge como um bem” (2005, p. 47). Desse modo, o sentido de educar se torna muito mais amplo, cooperando para o engrandecimento da vida.

BENEFÍCIOS DO ENSINO PERSONALIZADO

O Ensino Personalizado é o sonho de todo educador, uma vez que, com ele, cada estudante pode ter suas habilidades exploradas de forma impensável em um ensino normal.

A seguir, listamos alguns dos benefícios que esse tipo de ensino poderia proporcionar à escola.

Cuidado maior da saúde mental na escola

Saúde mental é um assunto cada vez debatido nas escolas, muito por causa dos casos de bullying, que, infelizmente, ainda se dão com muita frequência. Por isso, tem-se muita atenção quanto aos conflitos psíquicos que ocorrem com crianças e adolescentes nessa fase.
Em relação ao Ensino Personalizado, a identificação do bullying se torna muito mais facilitada pelo professor, que pode tomar atitudes que ajudem a resolver a situação. Isso é muito importante porque, com o tempo, esse tipo de problema tende a causar vários danos psicológicos aos envolvidos.
Então, assim como uma doença pode ser tratada com mais facilidade se descoberta e combatida rapidamente, situações em que o bullying está presente, que normalmente começam de maneira leve, devem ser combatidas antes que tragédias aconteçam.

Trabalho com o perfil de aprendizagem de cada estudante

Você deve se lembrar dos seus tempos de escola, em que era comum você ser bom em uma matéria e ajudar seus colegas nessa matéria, ao passo que, em outras disciplinas, você era quem precisava da ajuda dos seus colegas.
Desde muito cedo na escola, demonstramos maior aptidão para determinadas áreas; entretanto, pelo fato de normalmente a escola ter um modelo de ensino que não considera a individualidade de cada estudante, as aptidões não são desenvolvidas como poderiam ser.
Em vez disso, os estudantes têm de estudar igualmente outras disciplinas que não são do seu interesse.
Se formos levar em conta habilidades excepcionais de estudantes que não estão sendo desenvolvidas pela falta do Ensino Personalizado nas escolas, podemos dizer que há um grande prejuízo para o Brasil, visto que esses estudantes poderiam estar desenvolvendo suas áreas de interesse para contribuir com o mercado de trabalho brasileiro, fazendo o que gostam.
É uma perda de talentos que, em longo prazo, faz muita falta, já que esses estudantes poderiam ser profissionais de alto calibre, os quais estão em falta no mercado brasileiro.

Orienta a aptidão vocacional

Com o modelo de ensino atual, a escola pouco ajuda os estudantes a encontrar a sua aptidão vocacional. Dessa maneira, quando completam o ensino médio, os estudantes ficam com muita dúvida sobre o que fazer no futuro. São várias opções que confundem a cabeça de um jovem que mal sabe em que área ele “é bom ainda”.
Em vista disso, muitos que entram em um curso de graduação desistem, logo em seguida, por não acharem que aquela profissão seja para eles. Há casos em que pessoas iniciam várias graduações e depois as interrompem, em busca de algo que se encaixe com suas habilidades.
Com o Ensino Personalizado, desde cedo na infância, a criança pode averiguar e desenvolver, com a ajuda do professor, suas habilidades. Desse modo, quando ela chegar ao ensino médio, já terá muito mais conhecimento sobre si mesma, podendo escolher com mais facilidade o que fará a seguir na sua vida.

UM DESAFIO PARA O FUTURO

Apesar da dificuldade que envolve a implementação do Ensino Personalizado em larga escala no país, o caso de Jolanta e Marysia mostra como os benefícios desse ensino não podem ser ignorados.
Logo, não podemos desconhecer que a luta pela sua implementação é totalmente válida, mesmo sendo árdua. Um Brasil com Ensino Personalizado, sem dúvidas, será um país com muito mais oportunidades e força.
Compartilhe este conteúdo

Assine a Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades