Educação emocional e a Educação Empreendedora

Blog Educação emocional e a Educação Empreendedora

Compartilhe este conteúdo
Desde o início da vida, as experiências emocionais estão presentes no ser humano, e a emoção tem forte influência na atenção. Dessa forma, esta pode modular a seletividade da atenção e impactar o comportamento e a forma que agimos. A educação emocional é uma metodologia que estimula e engaja o aprendizado. Quando combinada com a Educação Empreendedora, torna-se uma poderosa ferramenta para trabalhar os estudantes.
Independentemente da disciplina lecionada, a Educação Empreendedora pode ser integrada como forma de promover entre os estudantes o pensamento inventivo e solucionador de problemas. Para que você entenda melhor o que é educação emocional e como ela funciona em combinação com o empreendedorismo, preparamos este artigo.

O que é educação emocional?

A educação emocional tem como principal objetivo colocar os estudantes em contato com suas emoções. Entender suas emoções e sentimentos faz com que a pessoa consiga se conhecer melhor, compreender suas necessidades e suas ações. Além disso, as emoções estão ligadas à concentração e à memória, o que afeta justamente a experiência de aprendizado.
Estudos internacionais pesquisam o papel das emoções na aprendizagem. Também abordam questões como a importância funcional dos sentimentos no aprendizado e o comportamento do professor no estímulo das emoções.
Dependendo das circunstâncias, as emoções podem agir de forma positiva ou negativa sobre o estudante. Elas afetam o interesse, o desempenho e o envolvimento que o jovem tem no ambiente educacional. As emoções influenciam também o desempenho acadêmico, já que estão ligadas às estratégias de aprendizagem e motivação.
Estudos relacionam emoções positivas, facilitam o processo de aprendizagem e contribuem para a melhoria do desempenho acadêmico. Outras constatações de estudos apontam que estresse leve e agudo facilita o aprendizado e o desempenho cognitivo. Entretanto, o estresse, quando crônico ou em excesso, é prejudicial à memória.
A motivação por parte dos educadores induz a curiosidade, que está relacionada com o interesse psicológico por novas atividades. A curiosidade incentiva a exploração do cérebro, preparando-o para o aprendizado. Existem diversas formas de o professor motivar o estudante, como:
  • Elogiar e reconhecer as competências e as habilidades.
  • Elaborar atividades que estimulem a curiosidade, como jogos e dinâmicas.
  • Desenvolver trabalhos como seminários ou exposições que incentivem a autonomia dos estudantes.
  • Levantar discussões e promover rodas de conversa com temas pertinentes à disciplina.
  • Reconhecer os principais desafios do estudante e planejar estratégias de aprendizado, como plantões de dúvidas.
  • Benefícios da educação emocional
A metodologia de ensino que trabalha as emoções traz uma série de benefícios tanto para os estudantes e professores quanto para a própria instituição de ensino. Alguns dos principais benefícios são:
  • O estudante tem suas competências reconhecidas, aumentando o sentimento de confiança para evoluir nas matérias nas quais sente mais dificuldade.
  • Os jovens conseguem identificar com mais facilidade quais são seus maiores desafios e em quais pontos precisam melhorar.
  • Estudantes se tornam mais engajados e com maior autonomia para desenvolver as atividades e ajudar os colegas que apresentam dificuldade.
  • Ambiente com mais empatia e harmonia entre os jovens e os professores.
  • Jovens mais confiantes e preparados para o futuro em universidades e mercados profissionais.

Papel do professor na educação emocional

A emoção impacta o aprendizado. Mas qual será o papel do professor no ambiente escolar para implementar essa metodologia e engajar os estudantes? Muitas instituições de ensino sofrem com conflitos entre os estudantes, principalmente em regiões de maior vulnerabilidade, como periferias e comunidades. A escola precisa formar mediadores para que atuem na resolução de conflitos e promovam diálogos.
Trabalhar temas como empatia também contribui para que os estudantes entrem em contato com as suas emoções, assim como passam a entender a emoção dos colegas. Portanto, as medidas ajudam a reduzir os conflitos e os atos considerados como bullying, além de promover um ambiente de mais harmonia.
As medidas devem ser integradas ao plano de ensino e às atividades que também trabalham o lado emocional. Os estudantes começam a sentir que a escola é um ambiente seguro e estimulante para o aprendizado e o desenvolvimento.

Educação emocional junto à educação empreendedora

As duas metodologias podem ser integradas pela escola no plano de ensino e atuam como fatores complementares. Enquanto uma é focada em colocar o estudante em contato com suas emoções e sentimentos, a outra atua estimulando a criatividade e o pensamento inventivo.
Um estudo realizado em escolas da Finlândia, da Estônia e da Namíbia que aplicam a metodologia do ensino empreendedor trouxe à tona três temas que se destacaram nos resultados: novo tipo de ambiente de aprendizagem, aprendizagem colaborativa e tarefas desafiadoras.
O estudo também apontou que o equilíbrio entre emoções positivas e negativas atua como um fator de melhoria no desempenho escolar. O padrão na Educação Empreendedora é regular no processo de aprendizagem, fazendo com que conflitos, confusão e contradição sejam direcionados para resultados positivos.
Com a Educação Empreendedora, o estudante é desafiado a desenvolver soluções, resolver problemas e tomar decisões com pensamento criativo e inovador. Esses são pontos característicos do empreendedorismo. Dessa forma, os docentes conseguem extrair o melhor dos jovens e prepará-los para o mercado de trabalho no futuro.
Com os estímulos das duas metodologias, é possível desenvolver nos estudantes a inteligência emocional. No entanto, para o desenvolvimento da inteligência emocional, é preciso que o estudante conheça e controle suas emoções e, além disso, tenha automotivação, empatia e bom relacionamento interpessoal. Inteligência emocional é um critério que faz toda a diferença na Educação Empreendedora.

Metodologias e o cenário pandêmico

Em tempos de distanciamento social, as instituições de ensino precisam se reinventar e se adequar ao cenário, buscando levar a melhor experiência no ensino para os estudantes.
Portanto, aderir às novas metodologias é reinventar a forma de ensinar e aprender. Os métodos de ensino emocional e empreendedor estão em alta e se popularizando entre educadores e escolas pelos bons resultados que mostraram.
Também no atual cenário, ferramentas digitais atuam como apoio do plano de aula, tanto como complemento do que é ensinado pelo professor como incentivando a autonomia. O estudante utiliza aplicativos e programas para pesquisar antecipadamente um novo tema, e o professor, por sua vez, promove uma roda de conversas a fim de debater as pesquisas.
Agora que você conhece os benefícios da educação emocional junto com o ensino empreendedor, veja exemplos de livros que ajudam você a aplicar a Educação Empreendedora no seu plano de aula.
Compartilhe este conteúdo

Assine a Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades