Educação midiática e a educação empreendedora

Blog Educação midiática e a educação empreendedora

22/12/2021
Como formar alunos que saibam produzir, interpretar e refletir sobre as informações que recebem das mais diversas mídias? O olhar crítico e reflexivo sobre conteúdos diversos, sejam provenientes das mídias tradicionais (como TV e rádio), sejam das digitais (como as redes sociais), torna-se cada vez mais essencial numa sociedade em que todos são bombardeados de notícias todos os dias.
De acordo com o EducaMídia, programa do Instituto Palavra Aberta, “a educação midiática é o conjunto de habilidades necessárias para acessar, analisar, criar e participar de maneira crítica do ambiente informacional e midiático em todos os seus formatos, dos impressos aos digitais“. Ou seja, aqueles que possuem esse conhecimento conseguem utilizar toda a potencialidade das mídias que acessam, sabem o papel de cada uma, estão preparados para encontrar aquilo que buscam – de fontes que sejam confiáveis, e sãos aptos a produzir conteúdos de forma crítica para desempenharem um papel ativo na comunidade em que vivem.
Seu objetivo é formar cidadãos aptos a fazer escolhas críticas e conscientes. Por isso, ela faz parte de todas as disciplinas e áreas, não sendo apenas um conteúdo específico a ser trabalhado na sala de aula.
Quer entender qual a verdadeira importância da Educação Midiática e como trabalhar esse conteúdo com seus alunos? Continue lendo.

A importância da Educação Midiática

Torna-se cada vez mais urgente preparar as pessoas para que sejam capazes de interpretar e questionar as informações que recebem. Para se ter ideia, a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou que a pandemia da Covid-19 veio acompanhada de uma infodemia, ou seja, um excesso de informações, verídicas ou não, que dificulta a identificação de fontes idôneas e orientações confiáveis.
Em outras palavras, aumentaram as buscas por informações sobre o novo coronavírus, mas também as milhares de fontes de conteúdos sobre o tema, inclusive com um número excessivo de notícias falsas. E o efeito que as mentiras têm pode impactar fortemente as sociedades, como é o caso do movimento antivacina, que espalha notícias numa estrutura de pouca verdade e muita mentira e convence pessoas a não se vacinarem, colocando, assim, sua vida e a de outros em risco.
Combater essas fake news passa pelo olhar crítico e questionador sobre o que alguém acessa, principalmente em um cenário em que as redes sociais, por exemplo, não se têm mostrado eficientes em impedir sua circulação. Sendo assim, a pessoa precisa, mais do que ler, interpretar e questionar, o que, na prática, nem todo cidadão é capaz.

Postura questionadora

Como diferenciar fatos de opiniões? Qual o papel das mídias em nossas sociedades? Qual a importância de verificar a proveniência das notícias e compartilhar apenas aquilo que é verdadeiro? Como produzir conteúdo de maneira responsável e ter voz ativa na comunidade? Existe imparcialidade na produção de conteúdo? É primordial responder a tais perguntas com responsabilidade, considerando fonte, contexto e ética.

Relação com a Educação Empreendedora

Se uma Educação Empreendedora busca formar cidadãos capazes de fazer perguntas e buscar soluções para problemas reais, então ela tem tudo a ver com a Educação Midiática. Afinal, viver no mundo atual, tão conectado, requer pensamento crítico e capacidade de avaliar contexto e tomar decisões, o que alguém que possui autonomia e atitude protagonista deve ter.
Por isso, professores e gestores educacionais são essenciais e devem estar aptos a oferecer as ferramentas necessárias para que estudantes desenvolvam o conhecimento interdisciplinar. O EducaMídia mostra diversos materiais de apoio aos docentes nessa missão, como planos de aula, biblioteca de conteúdos sobre o tema e recursos para formação.
O programa considera a Educação Midiática um fator de inclusão social e um requisito essencial para a formação de um cidadão “capaz de mobilizar as ferramentas necessárias para seu crescimento pessoal e o benefício de toda a comunidade”. E sua formação se baseia em três eixos: ler criticamente, escrever com responsabilidade e participar ativamente.

Aplicando no dia a dia

Por ser tão fundamental, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) brasileira traz elementos da Educação Midiática em todas as dez competências que devem ser desenvolvidas nos ensinos Fundamental e Médio. Na 5ª e na 7ª, isso fica ainda mais evidente:
Compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas sociais (incluindo as escolares) para comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos, resolver problemas e exercer protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva.
Argumentar com base em fatos, dados e informações confiáveis, para formular, negociar e defender ideias, pontos de vista e decisões comuns que respeitem e promovam os direitos humanos, a consciência socioambiental e o consumo responsável em âmbito local, regional e global, com posicionamento ético em relação ao cuidado de si mesmo, dos outros e do planeta.
Na prática, é possível trabalhar a Educação Midiática estimulando debates e reflexões dos alunos ao ensinar a decodificar imagens, vídeos, textos, áudios, etc. e relacionando tais conteúdos com situações da vida real.
Confira alguns exemplos:

1. Escolha uma notícia divulgada pelo WhatsApp e peça aos estudantes que respondam a algumas perguntas. Vejamos:

  • Qual a fonte?
  • A informação é verídica?
  • Quais veículos divulgaram a notícia?
Com base nas descobertas, é possível trabalhar o conteúdo nas diferentes disciplinas, como História, Geografia, Matemática e Ciências.
2. Entregue aos alunos uma lista de frases com temas da realidade, como “as queimadas estão aumentando na Amazônia” e “o aquecimento global é uma farsa”. Em seguida, solicite a eles que:
  • Pesquisem fontes virtuais das frases.
  • Apresentem suas conclusões sobre a veracidade das frases (considerando a escolha da fonte, o autor, etc.).
  • Busquem informações sobre a citação e identifiquem indicadores de credibilidade.
Ao final, discuta os conceitos de confiabilidade e fonte, os motivos que levam à grande dificuldade de avaliar a qualidade da informação e a importância de ter uma atitude reflexiva diante dos conteúdos. É possível ainda trabalhar os conceitos das frases em outras disciplinas.
Quer se aprofundar no tema e aprender a aplicar a Educação Midiática na prática? Baixe o nosso e-book e entenda mais a fundo como abordar seus alunos e prepará-los para que tenham um olhar crítico sobre as mídias.

Assine a Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades