Educação para o empreendedorismo: dicas para educadores

Blog Educação para o empreendedorismo: dicas para educadores

Compartilhe este conteúdo

Educação para o Empreendedorismo: dicas para educadores

A educação brasileira está prestes a dar um grande passo em relação à preparação dos estudantes para o futuro do trabalho: a inclusão do Empreendedorismo como um dos eixos estruturantes no que concerne aos Itinerários Formativos. No entanto, não há como falar em inovação  na sala de aula ou em Educação para o Empreendedorismo sem envolver o professor. É ele quem conduz o aprendizado do aluno e quem coloca em prática os conceitos do Empreendedorismo de forma relevante e conectada aos projetos de vida dos jovens.

Por isso, quando o assunto é Educação para o Empreendedorismo, não basta apenas trabalhar as competências que preparam os estudantes com vistas ao século 21. É preciso voltar alguns passos e pensar no tipo de formação que os educadores estão recebendo. Ela os prepara para o ensino de Empreendedorismo? E como chegar a essa formação?

Como aponta Luciano Meira, cofundador da Joy Street, o educador que assume uma atitude empreendedora faz com que os estudantes  alcancem resultados mais efetivos dentro e fora da sala de aula, além de criar outros cenários de aprendizagem. No entanto, é necessário ter uma postura proativa e atuar como líder, organizando um conhecimento significativo para o estudante.

Lifelong Learning também vale aos educadores

Se você é educador e já está no mercado de trabalho há alguns anos, provavelmente nota que há, infelizmente, uma deficiência em temas relacionados à Educação para o Empreendedorismo nos cursos de formação dirigidos a professores. Esse cenário tem mudado muito lentamente nos últimos anos, e a expectativa é de que, com a BNCC, haja ainda mais demanda por formação de professores voltadas para o Empreendedorismo.

Mas isso não significa que não haja saída. A Educação Empreendedora é um assunto novo em relação a todas as áreas de atuação. Por isso, correr atrás do conhecimento agora, com uma postura proativa, é a melhor forma de não ficar para trás em se tratando dessa tendência. Afinal, o aprendizado ao longo da vida, ou Lifelong Learning, não é fundamental apenas para os jovens, mas para você também, professor, que está em sala de aula há alguns anos.

Cinco passos que objetivam colocar em prática a Educação para o Empreendedorismo

Segundo a pesquisa realizada pela Educação para o Empreendedorismo – Guia para os Educadores, realizada pela Comissão Europeia ― DG Empresas e Indústria e pela ICF GHK | GHK Consulting Ltd, é necessário que o educador trilhe cinco passos:

1 Entender a importância do Empreendedorismo

Os professores em formação devem aproveitar a oportunidade de experimentar a Educação Empreendedora e de desenvolver competências que lhes permitam inovar. É importante iniciar a carreira de educador tendo consciência sobre a atitude empreendedora e conseguir transmitir a sua relevância aos alunos, inspirando-os via Educação para o Empreendedorismo.

Para quem já atua há algum tempo, é muito significativo acompanhar as mudanças recentes no mercado de trabalho e entender que o Empreendedorismo vai muito além da simples gestão de um negócio, mas é um conjunto de competências que vêm sendo apontadas como as competências para o futuro. Portanto, pensar a Educação para o Empreendedorismo não vale somente para formar empreendedores, mas para formar jovens mais preparados que poderão ser protagonistas de sua vida pessoal e profissional.

2 Graduar-se em instituições que possuam visão empreendedora

Esta é para quem ainda não iniciou o ensino superior. As instituições de formação dos professores devem transmitir uma visão mais horizontal sobre o Empreendedorismo. Para isso, a Educação para o Empreendedorismo deve ser integrada a todas as disciplinas, em uma abordagem ampla, e não tratada isoladamente em apenas uma matéria. Também é importante que haja uma visão prática do Empreendedorismo.  Confira uma pesquisa sobre Empreendedorismo nas universidades brasileiras na nossa página de Estudos e Pesquisas.

3 Buscar novas pedagogias

Com o intuito de agir de forma empreendedora, é necessária uma aprendizagem ativa. Ou seja,  baseada na aplicação de pedagogias contemporâneas, como métodos educacionais utilizando projetos concretos. Além disso, devem ser disponibilizados ambientes não tradicionais de aprendizagem, seja nas aulas remotas ou presenciais, promovendo experiências que sejam verdadeiramente relevantes para a vida real do estudante.

4 Trabalhar em escolas que valorizem o espírito empreendedor

O desenvolvimento do Empreendedorismo na formação inicial do professor não terá tanto impacto se ele trabalhar em escolas que não valorizem o conceito de Educação para o Empreendedorismo.

É claro que a escolha profissional tem muitas variáveis. Mas, se for possível, eleja escolas e instituições de ensino que de fato valorizem o ensino das competências empreendedoras e a postura criativa e proativa dos estudantes.

5 Obter parceiros na comunidade

Não basta estimular a atitude empreendedora dentro da sala de aula. É essencial que crianças, jovens e educadores tenham contato com empresas, organizações e com a própria comunidade. Dessa forma, eles podem validar projetos, apoiando assim os programas de ensino e incentivo ao Empreendedorismo.

E, então, você se sente pronto para investir na Educação para o Empreendedorismo? Leia mais sobre os desafios para a formação de professores na educação contemporânea e continue investindo em se tornar um professor cada vez mais empreendedor.

Compartilhe este conteúdo

Assine a Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades