Ensino Personalizado: mitos e verdades

Blog Ensino Personalizado: mitos e verdades

08/11/2017
Uma das tendências de Educação dos tempos atuais é o Ensino Personalizado. Particularmente relevante na Educação Empreendedora e nas metodologias de Ensino Híbrido, ele torna o aprendizado mais adaptado aos interesses e às necessidades de cada estudante, criando caminhos diferentes para que um mesmo objetivo de aprendizagem seja alcançado. Muitos educadores, porém, têm receio de que seja muito trabalhoso aplicá-lo em sala de aula. A verdade é que há certa confusão em torno do que, realmente, significa oferecer um Ensino Personalizado.
Por isso, neste post trataremos dos principais mitos e verdades que envolvem o Ensino Personalizado. Vamos entender o que ele é e o que não é. Começando pelos mitos.

O que o Ensino Personalizado NÃO é:

O aluno pode escolher o que quiser
Os interesses pessoais dos alunos definitivamente têm papel importante no Ensino Personalizado e são responsáveis pelo engajamento dos estudantes. Por isso, restringir a escolha do aluno tira um importante ingrediente da Educação: a liberdade.
No entanto, o Ensino Personalizado reforça ainda mais o papel do educador como curador de conteúdo, metodologias e ferramentas. Assim, continua nas mãos dos professores a pré-seleção dos possíveis caminhos, a fim de que o objetivo de aprendizagem seja alcançado. Aos alunos fica a possibilidade de escolher, dentre aqueles, quais opções mais lhe agradam e mais se aproximam ao seu estilo de aprendizagem.
Claro, abrir o leque de possibilidades dá mais trabalho, mas o retorno é um aprendizado mais rico, consciente e divertido.
Professor responsável por Planos de Estudo individuais para cada aluno
Este é um dos maiores mitos quando o assunto é Ensino Personalizado. Não se trata de um planejamento de aula totalmente diferente para cada um dos alunos, mas a adoção de estratégias para implementar algumas adequações na rota de aprendizado, tornando-a mais focada no indivíduo.
Nesse sentido, um dos trunfos do Ensino Personalizado é o trabalho colaborativo entre educadores e estudantes, que dividem a responsabilidade pelo aprendizado. Criar jornadas adaptadas de estudo não é tarefa apenas do professor, mas um trabalho desenvolvido em parceria e com uma participação proativa dos jovens. Além do mais, a tecnologia, como veremos a seguir, é uma grande aliada do Ensino Personalizado.
Totalmente dependente de tecnologia
A tecnologia é a solução de muitos problemas, mas às vezes pode se tornar, ela mesma, um obstáculo. Inserir ferramentas digitais durante as atividades das aulas pode dar a impressão de que o ensino está sendo feito de forma personalizada – afinal, cada aluno tem um gadget em mãos, certo? –, e acabar tornando o processo mais superficial.
Por isso é importante ficar atento: o Ensino Personalizado deve se dar em todas as esferas e tem a ver com percorrer diferentes caminhos. A tecnologia é apenas um deles.
Um conceito fechado e pronto
Temos o costume de buscar classificar as coisas dentro de estruturas, nomes ou conceitos predefinidos. O grande problema é que, quando tentamos definir o que é Ensino Personalizado, como e quando aplicá-lo, ele deixa de ser personalizado e acaba se tornando mais um conceito de livro didático. O verdadeiro Ensino Personalizado leva em consideração as diferentes realidades dos alunos, dos professores, das escolas e das comunidades em que estão inseridos. E, para isso, não há receita.
Personalizar o ensino é contribuir para que os jovens sejam protagonistas de suas jornadas de aprendizado, preparando-os para empreender na própria vida e no mercado de trabalho. Procure saber mais das maneiras de oferecer conteúdo adaptado às necessidades de seus alunos e construir com eles um currículo rico e relevante a seus interesses.
Bom, mas então vamos entender exatamente o que é o Ensino Personalizado a seguir.

O que é o Ensino Personalizado:

Estudante no centro do aprendizado
Esta é a grande motivação e o propósito do Ensino Personalizado: colocar o estudante no centro do processo de construção do conhecimento. Isso contribui para desenvolver mais autoestima, autonomia e estimula as competências empreendedoras, tão importantes no mercado de trabalho do futuro.
Assim, na hora de pensar em estratégias em relação ao Ensino Personalizado, pergunte-se se o objetivo final é se adaptar ao estudante ou se é um coadjuvante do aprendizado.
Contar com a tecnologia como apoio
Seria impossível para um professor dar conta de uma turma com 30, 40 estudantes, e cada um contar com um planejamento de aula específico. O Ensino Personalizado só é possível uma vez que a tecnologia é uma das principais ferramentas que o viabiliza. Automatizar tarefas, adotar apps e softwares de aprendizagem adaptativa, colher feedbacks sobre o desempenho à medida que os estudantes avancem nas plataformas. Tudo isso não só pode, como deve ser usado por educadores, com a finalidade de colocar o Ensino Personalizado em prática.
Mais do que múltiplas escolhas, Ensino Personalizado é flexibilidade
Não basta oferecer um cardápio variado aos estudantes. Lembre-se de que muita informação pode acabar confundindo os alunos e tornando a tomada de decisões mais difícil. Por essa razão, é importante lembrar que o Ensino Personalizado tem mais a ver com a flexibilidade.
A escola não precisa criar inúmeras variáveis para o currículo, mas entender quais são os pontos críticos para os objetivos de aprendizagem e quais são os aspectos que podem ser flexibilizados, de uma turma para outra, de um estudante para outro.
Quer continuar lendo e se aprofundando mais neste tema? Saiba mais do Ensino Híbrido, uma forma de levar mais tecnologia e personalização à Educação.

Assine a Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades