Entrevista com Marina Gontijo: Atividades Extracurriculares e a educação empreendedora

Blog Entrevista com Marina Gontijo: Atividades Extracurriculares e a educação empreendedora

29/11/2021
As Atividades Extracurriculares são essenciais para a formação integral do indivíduo. Elas proporcionam aos estudantes novas formas de aprender, desenvolvendo um ensino dinâmico e empreendedor.
Maria Gontijo, fundadora da Ways, plataforma de Educação Extracurricular, fala sobre a importância de explorar novos ambientes e metodologias durante o ensino. Ela explica também a relevância do desenvolvimento de Competências e Habilidades Empreendedoras para o futuro profissional dos jovens.

1) Qual a importância das Atividades Extracurriculares para a formação integral dos estudantes?

Quando a gente fala em Educação Integral, estamos nos dirigindo ao intervalo em que a criança acorda até a hora que ela vai dormir. Portanto, falar em Educação Integral é falar além da escola, é enxergar todas as dimensões do indivíduo. Desse modo, as Atividades Extracurriculares são fundamentais a partir do momento em que elas forem capazes de estimular competências e atividades que extrapolam a sala de aula.
Convém citar dois dados: o primeiro é que 85% das profissões que vão existir em 2030 ainda não foram inventadas. Então, em menos de 10 anos, nós teremos muito mais do que a metade as profissões do futuro desconhecidas. Se a gente não conhece uma profissão, como a gente vai saber quais são as “skills” trocaria por “competencias” o profissional precisa ter? É aí que a gente traz o ponto da Educação Integral.
É preciso que o estudante esteja preparado para uma situação em que ele ainda não conhece, do ponto de vista das competências. Ele precisa ter competências básicas, tais como: adaptabilidade, resiliência, persistência, autoconhecimento, autonomia, letramento digital, sendo este o mínimo que o estudante vai precisar para atuar em uma profissão que ele não indentifica.
O Hard Skill ou a “técnica da profissão” é aprendido, mas existem coisas não aprendidas quando se é mais velho, como trabalhar em grupo, aceitar críticas, saber ser proativo e outros. Então, esse dado reforça ainda mais a necessidade de uma formação integral.
O outro dado é um Report que saiu em 2020, o Future of the Jobs. Ele traz o destaque para as Atividades Extracurriculares como potenciais campos de experimento com vistas a desenvolver essas competências do futuro. Assim, é preciso que a gente olhe com um olhar mais cuidadoso para o que ocorre fora da escola como potencializador de talentos.

2) Como as escolas podem direcionar as atividades fora da sala de aula sem perder o foco no desenvolvimento das Competências Empreendedoras?

Quando a gente fala em Educação Integral, e a gente pensa em todas as situações, lugares, pessoas e o que acontece na vida dos estudantes, a gente não pode esquecer da Educação Empreendedora. Para que ela aconteça, o aluno precisa ser protagonista do processo. Em uma situação empreendedora, o empreendedor é aquele ser proativo e que corre atrás de soluções para os problemas que ele enfrenta.
É preciso que as escolas criem ambientes desafiadores fora da sala de aula, para que crianças e os jovens sejam capazes de fomentar as suas Competências e Habilidades Empreendedoras.
A sala de aula é um espaço extremamente importante, mas nem tudo precisa ocorrer lá dentro. Existem desafios e estímulos que estão fora da escola. As instituições que trabalham com Metodologias Ativas têm mais liberdade para explorar os espaços e usar a sala de aula para um fechamento ou para uma reflexão do grupo.
Enfim, para as escolas realmente desenvolverem as Competências Empreendedoras, será preciso colocar “o pé fora da sala de aula”.

3) Como incluir a família do estudante em ações que trabalhem a Educação Empreendedora?

A primeira forma de incluir a família do estudante nessas ações é resgatar o diálogo para que elas possam contar as experiências empreendedoras que cada núcleo viveu. Sempre existe aquele pai ou outro membro da família que já empreende, pois é muito comum esse perfil no Brasil.
Portanto, trazer de casa a história empreendedora da família, muitas vezes desconhecida pela criança, é uma oportunidade para que a família se descubra, e o estudante se sinta mais conectado com ela.
Partindo dessa experiência familiar, é muito importante levar essa história para a escola e analisar os perfis empreendedores que apareceram. Hoje, a gente vive em um Empreendedorismo Digital, mas os avós dos estudantes foram empreendedores mais tradicionais, e é interessante fazer esse contraponto. Os estudantes perceberão que os papéis dos empreendedores se diferenciam ao longo do tempo.

4) Quais metodologias podem ser aplicadas em ambientes diferentes da sala de aula?

É fundamental dizer que hoje as Metodologias Ativas estão sendo muito citadas em contraponto às metodologias mais tradicionais.
As Metodologias Ativas enxergam o aluno como protagonista do processo. Existem várias, mas eu vou citar as três mais faladas nos dias de hoje: o ensino livre, que consegue mesclar o on-line e o off-line. A segunda é a Aprendizagem Baseada em Problemas, trabalhando na construção do conhecimento a partir de um problema levado à sala para o qual a turma busque soluções. Essa metodologia eu acho bastante adequada para trabalhar as Competências Empreendedoras.
Por fim, a Gamificação. Este tipo de metodologia engaja, motiva a ação e ajuda a sugerir a solução de problemas. Dessas três que eu citei, eu acredito que a Aprendizagem Baseada em Games seja a que mais tem convergência com a Educação Empreendedora, pois ela convida o aluno a ser protagonista, agir e criar soluções para os problemas.

5) Como a Ways direciona professores e estudantes às Atividades Extracurriculares?

A Ways é uma plataforma pensada para crianças e adolescentes se envolverem com o mundo da Inovação. Temos conteúdos on-line e off-line que desenvolvem competências como criatividade, letramento digital e autonomia. Se uma família quer complementar a educação do seu filho ou uma escola quer ter um complemento inovador ao seu currículo, a Ways é uma solução.
Somos um hub de inovação. Por aqui, conseguimos oferecer o que tem de mais atual para que crianças e adolescentes possam aprender e ao mesmo tempo desenvolver suas competências e habilidades para o futuro. A Ways consegue ajudar as escolas, as famílias e também quem tiver interesse em expor a sua criança ou o adolescente a um conteúdo “fora da caixa”.

Conheça o CER Histórias

Por que não conhecer escolas e professores que já aplicam as Metodologias Ativas como parte do processo para o desenvolvimento das Competências Empreendedoras?
O CER Histórias é um canal de compartilhamento de histórias educacionais empreendedoras de sucesso. É possível entender como as escolas realizaram projetos engajadores e com ótimos resultados. Aproveite também para obter insights sobre Atividades Extracurriculares que podem ser aplicadas na sua instituição.

Assine a Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades