Formação de professores: os desafios no contexto da Educação Empreendedora

Blog Formação de professores: os desafios no contexto da Educação Empreendedora

Compartilhe este conteúdo
As pessoas são diferentes e aprendem de maneiras muito distintas. O ensino personalizado, a Educação Baseada em Competências e o desenvolvimento socioemocional se mostram cada dia mais relevantes. Mas como fica o papel do educador? Quais aspectos devem ser incluídos nos Programas de Formação de Professores para que estejam preparados para constantes transformações? Qual a importância de uma formação que atenda aos requisitos da nova Educação Empreendedora?
Este artigo pretende explicar quais os maiores desafios para os educadores que utilizam a metodologia da Educação Empreendedora.

A importância da formação de professores

A cada dia, uma novidade ocorre no mundo da Educação e a Educação Empreendedora é o destaque na atualidade. O Sebrae é referência na metodologia e conta com Formação Empreendedora para Educadores.
A formação é necessária para atender às demandas que essa metodologia de ensino solicita, passando os conhecimentos de forma qualificada para os estudantes.

Os desafios para a formação de professores

O que pode ser feito para superá-los? Não é tão fácil implementar uma formação para os educadores, já que existem diversos desafios e problemas que precisam ser resolvidos antes de tudo. Há algumas características a serem observadas como:
  • Compreensão das necessidades de cada estudante.
  • Tempo escasso para o aprendizado continuado.
  • Engajamento dos educandos, em concorrência com o uso de gadgets.
  • Turmas grandes, com perfis distintos e necessidades variadas.

Aprendizagem contínua

As mudanças frequentes e as novidades exigem que os profissionais da Educação estejam sempre atualizados. A aprendizagem contínua desses educadores é extremamente importante.

Humanização do ensino

O professor não é importante apenas para passar ensinamentos e métodos, mas também para compreender e escutar as necessidades dos estudantes. A humanização do ensino apresenta uma forma de conexão, vínculo e diálogo entre as crianças e os jovens e os professores.

Conhecimentos tecnológicos

Em uma nova era de tecnologia e digitalização, a adaptação para essas mudanças também é necessária. Entender o funcionamento dessas novas ferramentas é entender o futuro.

Formação continuada

Essa é a principal ação tomada para superar os desafios. Como qualquer outra área de atuação, ter qualificações e competências faz a maior diferença. A formação continuada é o processo para o aperfeiçoamento via cursos e especialização.
O objetivo da formação continuada é que os professores adquiram mais conhecimentos e consigam transmitir aos estudantes. É fundir conhecimentos do passado e do presente, valorizando novos métodos e transformando dinâmicas para que elas fiquem mais eficientes. Com isso, é possível rever também antigos conceitos e contextualizá-los para o presente, introduzindo formas mais modernas de ensino aos jovens.

Formação dos profissionais da Educação

Para formar esses profissionais, são necessárias algumas ações, tais como:
Oficinas: oficinas para trabalhar conhecimentos obtidos ou trocar experiências com outros professores.
Workshops: conteúdos para professores, com finalidade de atualização e aperfeiçoamento e ministrado de forma intensiva.
Seminários: apresentação de metodologias de Educação Empreendedora.
Cursos de formação: os cursos são uma excelente opção para capacitar os professores para os novos desafios. Além de trazer conhecimento, com o curso, é possível obter certificados.
Além das medidas voltadas ao ensino, é importante estabelecer atividades que tragam reconhecimento e motivação. Uma valorização salarial também é considerável nessa ocasião, com salários melhores, os educadores têm mais tranquilidade para focar também na sua formação continuada.

Vantagens da formação de professores para o ensino da nova Educação Empreendedora

A formação de professoras traz para o ensino da nova Educação Empreendedora diferentes benefícios, podemos citar como exemplos:
Motivação e engajamento: faz toda a diferença reconhecer o trabalho desses profissionais, pois mantê-los motivados proporciona um crescimento no ensino. Ao incentivá-los certamente incentivamos os próprios estudantes, já que esses profissionais transmitem ensinamento e motivação. Livros sobre Educação Empreendedora são uma ótima forma de motivação.
Melhoria na qualidade de ensino: em consequência, temos uma melhoria na qualidade de ensino, com o maior conhecimento e desenvolvimento de competências. As aulas têm um crescimento na qualidade e melhor aproveitamento.
Mindset de Empreendedor: com a formação dos professores e a implementação da Educação Empreendedora, surgem diversas possibilidades. Uma delas é o estímulo para que tenhamos adultos capacitados para contribuir com os desafios da sociedade. Ao obter conhecimento de Empreendedorismo, os estudantes evoluem também mentalmente. A mentalidade empreendedora contribui para superar os obstáculos da vida.
Diferencial competitivo: Escolas que trabalham a Educação Empreendedora desenvolvem competências para que jovens consigam lidar com a realidade do século 21. Assim, esses jovens mostram um diferencial no mercado de trabalho e em outras áreas em que desejem atuar.
Portanto, apesar das dificuldades para a formação desses profissionais, os resultados são muito recompensadores. Jovens e crianças que aprendem o Mindset Empreendedor e as competências empreendedoras se tornam mais autônomos e proativos diante dos desafios do dia a dia.
A importância da criatividade, da inovação, da persistência e da dedicação da mentalidade empreendedora é atualmente o paradigma regente.

A aplicação do Ensino Integral

Para Luiz Miguel Garcia, presidente da União de Dirigentes Municipais de Educação do Estado de São Paulo (Undime/SP), o desafio começa na concepção das instituições.
Segundo ele, as escolas não podem mais se limitar ao espaço geográfico intramuros nem à transmissão de conhecimento. Isso vale, principalmente, para as discussões que envolvem a implantação do modelo de Educação Integral. “A educação é integral quando há integralidade no conhecimento. Não quando o estudante passa sete horas em um mesmo lugar. Isso é escola em tempo integral”, explica.
Nesse contexto, há uma preocupação maior com o desenvolvimento integral e com a postura empreendedora nos jovens. Como resultado, é importante que o professor seja um líder com atuação sistêmica, capaz de entender o estudante em sua individualidade e ter, ao mesmo tempo, visão do todo.
Alguns autores são fundamentais para entender a Educação Integral e essenciais para a formação dos educadores.
“Ele deve fazer uma leitura crítica do processo de aprendizado, ter ousadia, coragem e autonomia, estar empoderado. Assim, ele ajuda a desenvolver nos jovens um olhar crítico para o mundo em que vivem”, completa Luiz.
Além disso, outra postura esperada do professor é estar aberto ao inesperado, disposto a correr riscos – e isso deve estar nos Programas de Formação de Professores. “Dar certo não necessariamente significa chegar aonde você esperava chegar. A educação não é um caminho certo”, explica.
Na entrevista a seguir, Luiz Miguel fala mais sobre as mudanças recentes na Educação e os benefícios da postura empreendedora em relação aos jovens. Confira a entrevista:
Compartilhe este conteúdo

Assine a Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades