Geração z e a educação empreendedora

Blog Geração z e a educação empreendedora

Compartilhe este conteúdo

Geração Z e a Educação Empreendedora

A Geração Z já nasceu em um cenário antenado na tecnologia, na internet e nos recursos digitais sendo disponibilizados. Desse modo, a forma de viver, aprender e se comportar em sociedade foi pautada nesse universo computadorizado e instantâneo.
É evidente que a mentalidade dos jovens criados dentro deste contexto se difere das gerações anteriores. Diante disso, a educação pautada nos moldes educacionais não é tão eficiente para esse grupo, pois é preciso chegar a uma linha de ensino e aprendizado que esteja adequada a essa visão dinâmica e digital.
Por isso, a implementação da Educação Empreendedora é vista como uma ótima forma de engajar os estudantes que pertencem a essa geração. As escolas devem então ter mais conhecimento sobre esses jovens, trazendo sempre metodologias que trabalhem o desenvolvimento de competências empreendedoras na sala de aula.

Quem são os jovens da Geração Z?

A história é repleta de acontecimentos importantes para o desenvolvimento da humanidade. Cada avanço social e tecnológico reflete diretamente no comportamento do indivíduo. Diante disso, cada geração pertencente a uma época específica carrega características individuais que foram formadas com base em eventos significativos.
A Geração Z foi o primeiro grupo a nascer em um ambiente totalmente digital. Eles são representantes da geração que nasceu entre o final da década de 1990 e 2010. Nesse período, a internet e as tecnologias utilizadas nos meios de comunicação passavam por uma evolução ágil, fazendo com que uma nova mentalidade e visão de mundo fossem criadas.
A partir desses eventos que compunham a realidade do mundo na época do nascimento desses jovens, foi criado um grupo voltado à interação instantânea, estando sempre conectado.
Também chamada de “nativos digitais”, a Geração Z é questionadora, e todo esse tempo que passou e passa no mundo virtual fez com que as suas relações mudassem.
Tudo isso também trouxe uma nova forma de encarar a relação do ser humano com o trabalho, sendo essa a primeira geração que começou a tentar buscar a real felicidade profissional, além de ter uma visão diferente sobre empreendedorismo.

Como a Educação Empreendedora pode ser uma aliada no engajamento escolar dessa geração?

Partindo do ponto que a Geração Z apresenta uma nova forma de enxergar as dinâmicas sociais e profissionais, fica claro que os métodos tradicionais de ensino não vão gerar o engajamento desejado.
Eles buscam ir além e estão dispostos a quebrar tradições e tomar o rumo da própria vida. É nesse ponto que a Educação Empreendedora será a principal aliada para a formação desses jovens.
As metodologias ativas e empreendedoras fazem com que os jovens sejam protagonistas do seu aprendizado. Isso traz uma ligação direta com o modo com que eles veem a vida, aumentando o interesse em aprender.
A Educação Empreendedora na escola vai trabalhar questões técnicas e também socioemocionais, características essas indispensáveis ao mercado de trabalho da atualidade. Os estudantes passarão a guiar sua vida e definir os objetivos de acordo com as suas prioridades, chegando cada vez mais próximos do sucesso profissional e pessoal.
 

Competências potencializadas com base no comportamento dos jovens

Essa geração de jovens apresenta um comportamento multitarefa, ou seja, eles têm a capacidade de realizar muitas coisas ao mesmo tempo, porém, muitas vezes o foco não se faz presente.
A escola pode aproveitar esse comportamento e transformar as atividades que proporcionem o desenvolvimento de competência valendo-se desse tipo de conduta. O estímulo à criatividade e a utilização de tecnologia são ótimos aliados para que eles consigam ter concentração e ainda ficarem preparados para o mercado de trabalho.
É possível usar desses artifícios a fim de trabalhar as dez competências da BNCC, engajando a turma e aprimorando habilidades como criatividade, trabalho em equipe, raciocínio lógico e gestão.

A importância da personalização do ensino

Uma das premissas da Educação Empreendedora é a inclusão de práticas que trabalham a personalização do ensino. Os jovens da Geração Z apresentam um jeito único de aprender e cada um deles possui características essenciais para o seu aprendizado.
Assim, é preciso que as escolas deem voz a essa individualidade, trazendo metodologias que façam com que cada indivíduo tenha o seu tempo e forma de aprender respeitados.
É importante então que os professores e as instituições de ensino estejam preparadas para atender à demanda de cada membro da turma. Será preciso também compreender a grandiosidade da Educação Empreendedora e como ela pode ser aplicada no contexto de cada escola.

Como colocar em prática?

A personalização do ensino e a Educação Empreendedora podem ser colocadas em práticas valendo-se do conhecimento sobre o comportamento das gerações. Os educadores devem adequar as atividades à realidade da Geração Z, sem esquecer do apoio tecnológico e digital.
Um bom caminho é a criação de ambientes de aprendizagem flexíveis. Os estudantes terão a oportunidade de aprender além da sala de aula, utilizando canais de comunicação digitais para tirar dúvidas ou então para a busca por conteúdos que complementam a aula.
O ensino híbrido, bastante utilizado na pandemia, é uma ótima forma de aplicar a personalização do ensino. A instituição pode promover recursos a fim de que os professores criem um ambiente digital no qual cada estudante possa desenvolver atividades conforme o seu perfil de aprendizado.
Dentro dessa sala digital, o educador também pode explorar diversas metodologias, como é o caso da gamificação, isto é, método de aprendizado baseado em jogos. O professor deve entender que é necessário falar a linguagem da turma, pois somente assim o aprendizado será completo.
Tal personalização, em conjunto com os métodos ativos, é uma ótima fonte de desenvolvimento de competências, incluindo as empreendedoras. Os professores podem criar projetos a serem desenvolvidos em sala de aula e também nos ambientes virtuais, dando liberdade ao aluno para que busque a própria fonte de conhecimento.
Dessa forma, os educadores terão clareza maior sobre a forma de aprender de cada membro da turma, passando a desenvolver atividades segundo as prioridades de cada um.

O CER e a Educação Empreendedora

O CER entende a diferença de gerações e sabe a importância da Educação acompanhar toda essa transformação social. Por isso, ele mantém a divulgação de conteúdos, cursos e canais de comunicação para que as escolas e os professores consigam se atualizar e modificar os métodos de ensino.
Com o intuito de ajudar a entender ainda mais a importância da Educação Empreendedora ao aprendizado da Geração Z, veja uma entrevista do psicoterapeuta Leo Fraiman, que fala sobre a necessidade do rompimento dos métodos tradicionais para a formação dos jovens.
Ele também traz orientação em relação ao valor do trabalho em fazer com que os jovens comecem a pensar em seus projetos de vida desde o início da jornada escolar.
Compartilhe este conteúdo

Assine a Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades