O que é BNCC e como levá-la para a sala de aula

Blog O que é BNCC e como levá-la para a sala de aula

Compartilhe este conteúdo
Como professor, você provavelmente conhece essa sigla. Mas você sabe realmente o que é a BNCC? No artigo de hoje vamos te explicar um pouco mais sobre o documento e como aplicá-lo na sala de aula. Confira!

O que é BNCC?

BNCC é a sigla para Base Nacional Comum Curricular. Trata-se de um documento que regulamenta a aprendizagem e também garante a democratização do desenvolvimento de competências essenciais a serem aplicadas em sala de aula, seja no ensino infantil, seja no ensino fundamental, seja no ensino médio.
Dentre os objetivos da BNCC, estão a igualdade no sistema educacional para a formação escolar integral dos estudantes e também o uso da Base Nacional como referência para o ensino em geral –- quer em instituições públicas, quer em instituições privadas.
Apesar do nome, a BNCC não é um currículo, mas sim uma ferramenta na qual cada escola deve se basear para criar o próprio currículo, considerando suas particularidades regionais e metodológicas

Qual a importância da BNCC?

O debate a respeito da BNCC existe desde 1996 e foi ganhando força ao longo dos anos, principalmente com a inserção tecnológica no cotidiano de estudantes e professores.
A Base Nacional Comum Curricular visa nortear os conteúdos que os estudantes devem aprender, do nível mais básico de formação até o ensino médio.
O objetivo dessa ferramenta é democratizar o ensino e o acesso aos conteúdos abordados em todo o país, garantindo que, independentemente da especificidades de cada região, todos os currículos escolares partam da mesma base.
Além disso, a criação dessas diretrizes visa estimular as habilidades individuais dos estudantes, gerando assim mais autonomia e protagonismo do aluno em sua formação.

Como surgiu a BNCC?

A Base Nacional Comum Curricular passou por algumas transformações desde o seu surgimento, para que pudesse, assim, abranger diferentes contextos e ter maior chance de aplicação em escolas de diversos lugares do país.
A BNCC, formulada entre 2015 e 2016, contou em sua elaboração com consultas públicas, a fim de garantir que as diretrizes fossem criadas da maneira mais democrática possível e tivesse a colaboração de toda a comunidade escolar.
Em 2017, o MEC enviou o resultado da consulta ao Conselho Nacional de Educação (CNE). Ficou estabelecido, então, que as instituições educacionais deveriam implementar a BNCC em todos os níveis da educação infantil e fundamental até o início de 2020. O texto referente ao ensino médio, por sua vez, foi oficializado em 2018, com implementação prevista para 2022.

Quais são as diretrizes da BNCC?

A BNCC prevê o desenvolvimento de competências cognitivas básicas, com o finalidade de gerar cidadania, colaboração e senso de realidade; bem como instigar a busca pelo conhecimento e a abordagem de temas mediante ferramentas já existentes, como pesquisa científica, pensamento crítico e o conhecimento em diversas áreas.
São 10 as competências gerais definidas pela BNCC. Elas visam instigar as manifestações com base nas artes e nas linguagens, a compreensão do mundo e sua pluralidade. Também estão incluídas nas competências a expressão de ideias e o autoconhecimento, bem como o respeito e a construção de boas relações interpessoais.
Tudo isso visa dar ao estudante conhecimentos gerais e informações suficientes para que eles apliquem na resolução de problemas e criem autonomia – tanto individualmente quanto em grupo – além de colaborar para o senso de pertencimento, comunidade e socialização.

Pilares da BNCC para o ensino médio

A BNCC visa trazer dois tipos de conteúdo para o ensino médio: Áreas de Conhecimento e Itinerários Formativos, as ferramentas oferecidas para complemento do conteúdo.
As Áreas de Conhecimento são: linguagens e suas tecnologias, matemática e suas tecnologias, ciências da natureza e suas tecnologias, ciências humanas e sociais aplicadas e formação técnica e profissional.
Os eixos dos Itinerários Formativos visam complementar e também aplicar conhecimentos adquiridos em diversas áreas, utilizando a investigação científica, incentivando processos criativos, a mediação e intervenção sociocultural e também o empreendedorismo.

O debate sobre a aplicação da BNCC

No decorrer dos últimos anos, vários questionamentos sobre como implementar a BNCC foram levantados.
A maior parte das dúvidas relacionadas a isso diz respeito à melhor forma de equilibrar os conteúdos comuns do ensino médio com os Itinerários Formativos. Por ser uma mudança brusca em relação ao modelo anterior, a construção desse currículo divide opiniões entre os educadores.
Em razão do prazo estipulado na sua oficialização, não é necessário que a BNCC seja aplicada em sua totalidade até 2022 – o ano em que se formam os primeiros estudantes do novo formato do ensino médio. De qualquer modo, as novas diretrizes são uma realidade cada vez mais próxima, e isso traz consigo o desafio de os professores e os demais profissionais da área se adequarem a elas.

Como é possível aplicar a BNCC nas salas de aula?

A BNCC é fundamentada no desenvolvimento integral dos estudantes. Isso significa que a sua aplicação deve abranger todos os aspectos da vida dos jovens e adolescentes: físicos, intelectuais, emocionais, culturais e sociais.
Com base nesse princípio, devemos deixar de lado o modelo conteudista, e nos focarmos em dar aos estudantes capacidade de lidar com o próprio corpo, emoções e pensamentos, através de atividades que desenvolvam suas habilidades nessas áreas.
Precisamos também fornecer meios para que eles desenvolvam e aprimorem suas relações sociais, sua atuação profissional, suas capacidades criativas, argumentativas e lógicas, além do domínio de novas ferramentas e tecnologias.
Devemos trabalhar as dez competências gerais de acordo com cada faixa etária, visando obter esses resultados, por meio de atividades que trabalhem os temas de maneira integrada.
Algumas sugestões práticas para a aplicação da BNCC:
  • Estudar a BNCC e o currículo e discutir ativamente as propostas de aplicação das diretrizes com toda a equipe envolvida na elaboração dos materiais didáticos a serem indicados ou fornecidos, como parte da abordagem educacional.
  • Professores podem compartilhar documentos formativos com seus colegas através de redes sociais, como o Facebook e o WhatsApp, contribuindo para a divulgação de informações qualificadas sobre o tema.
  • Trocar conhecimentos e experiências com o coordenador pedagógico e outros colegas na hora de planejar projetos e atividades escolares.
  • Participar das formações alinhadas à BNCC e ao currículo da rede e da unidade de ensino.
  • Apresentar aos familiares dos estudantes as mudanças que vão acontecer, envolvendo-os no processo de acompanhamento da aprendizagem. As mudanças que a BNCC traz só são alcançadas com o apoio de toda a comunidade escolar, o que inclui os pais e responsáveis.

Perspectivas futuras à implementação da BNCC

Ainda falta algum tempo para que o prazo de implementação total da nova Base Curricular seja finalizado. A expectativa da comunidade escolar é que, ao final desse processo, nós tenhamos currículos mais alinhados, que trabalhem bem os temas mais importantes ao desenvolvimento cognitivo e social dos estudantes.
Nesse sentido, as escolas têm total liberdade de atuação para decidir a melhor forma de aplicar a BNCC. Não há uma indicação ou restrição de quais os formatos em que os conteúdos devam ser trabalhados.
Fica a cargo da escola o dever de escolher qual ou quais serão os meios de aplicação, de modo que os formatos escolhidos permitam aos estudantes a mobilização dos conhecimentos adquiridos.
A partir daí, podem ser elaborados modelos que se adaptem aos estudantes e aos professores, visando à construção conjunta de um ambiente escolar melhor para todos.
Caso você queira esclarecimentos sobre a adaptação dos currículos ao novo formato, consulte o material com as principais dúvidas sobre o assunto já esclarecidas, o qual certamente vai ajudar você nesse planejamento.
Compartilhe este conteúdo

Assine a Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades