O que você precisa para incluir a robótica educacional na escola

Blog O que você precisa para incluir a robótica educacional na escola

20/11/2018
Cada vez mais, a tecnologia tem despertado o interesse de escolas como possibilidade de ensino. Mas, depois de 2020, incluir a tecnologia deixa de ser uma questão de escolha, tornando-se uma necessidade. O ano da pandemia do novo coronavírus acelerou o processo de transformação digital pelo qual as escolas vinham passando e revelou, mesmo para os mais céticos, a potencialidade do digital e das tecnologias em geral para a aprendizagem.
A fim de que a transformação digital ocorra, é necessário que a escola vá além da compra e da inclusão de tecnologias de forma isolada, incluindo o tema e promovendo diálogos baseados na realidade em que os estudantes vivem, com o propósito de entender quais tecnologias mais se encaixam no perfil de uso e nos interesses dos jovens.
Dentre as possibilidades, estão a adoção de ambientes completos de aprendizagem virtual, games, softwares e apps para facilitar a comunicação e a troca de arquivos. Outra possibilidade que chama muito a atenção dos jovens é a Robótica Educacional, capaz de deixar a aprendizagem mais divertida, ativa e instigante.
Existem vários desafios voltados a introduzir essa lógica de ensino em sala de aula. Em muitas instituições, o assunto ainda deixa dúvidas nas equipes pedagógicas, que não sabem o que deve ser feito para dar início a projetos que insiram a Robótica Educacional.
Se você quer saber mais do assunto e conhecer algumas estratégias, continue a leitura!

O que é a Robótica, afinal?

A Robótica nada mais é do que a construção ou o trabalho com robôs. Mas se engana quem pensa que robôs são apenas aquelas máquinas retratadas em filmes de ficção científica, com aparência humana. Um robô, na verdade, é qualquer estrutura física capaz de realizar tarefas de forma automatizada, controlado com base em um programa computacional.
Há tempos os robôs são empregados nas indústrias, para gerar mais produtividade e agilidade, na Medicina e nas demais áreas da Saúde e também em pesquisas espaciais, por exemplo. Mais recentemente, porém,a Robótica tem se tornado mais acessível a qualquer pessoa. A automação de casas inteligentes é uma dessas formas. Por meio de robôs, é possível controlar equipamentos eletrônicos, cortinas, iluminação e temperatura da casa. Outra aplicação que vem se popularizando é a Robótica Educacional, ou o uso de robôs para o alcance de objetivos de aprendizagem em escolas, instituições de ensino técnico ou superior.

POR QUE VALE A PENA ADOTAR A ROBÓTICA EDUCACIONAL?

A Robótica Educacional é um tema relativamente novo nas escolas, ainda que esteja ancorada em conceitos pedagógicos consolidados como o do Construtivismo e o do Construcionismo. O assunto tem despertado o interesse da comunidade estudantil por causa da revolução tecnológica em que vivemos e das possibilidades abertas por essa mudança.
Há muito mais alternativas que podem ser utilizadas em sala de aula como estratégia para estimular o raciocínio lógico, a capacidade de solucionar problemas e o protagonismo juvenil. A Robótica Educacional também tem potencial de contribuir com o embasamento da Matemática, da Física, da Biologia, da Geografia e de outras áreas.
Há, no entanto, alguns obstáculos que dificultam o trabalho. Um deles é o custo dos equipamentos necessários com vistas a criar um laboratório de Robótica Educacional. Além disso, é necessário avaliar a necessidade de capacitação do corpo docente ou até mesmo a contratação de um especialista. O coordenador pedagógico também deve considerar todas as possibilidades da adoção de determinada tecnologia, exercício que exigirá trabalho em grupo e muita criatividade.

SAIBA POR ONDE COMEÇAR

Com o intuito de contar com a Robótica Educacional na sua escola, avalie o cenário. A instituição tem condições para financiar um laboratório próprio ou só pode realizar pequenos investimentos? Se a escola não puder arcar com a construção de uma disciplina extracurricular, uma opção é buscar parcerias com outros espaços para a consolidação de uma espécie de acampamento de tecnologia, que integre jovens de diversos colégios.
Pense também nas disciplinas e no corpo docente com o qual você conta, tentando definir quais poderiam ser os “embaixadores” desse tipo de ensino no ambiente escolar. Caso seja possível, invista na capacitação em Robótica desses multiplicadores. Também seria bom para seu projeto contratar um profissional especializado.
Na hora de colocar a ‘mão na massa’ e adquirir equipamentos, considere as vantagens dos kits de Robótica Educacional, oferecidos por diversas ed tech startups. A escolha do melhor kit deve ser baseada em todas as informações coletadas sobre as oportunidades de aprendizado em cada disciplina.

POR QUE A CRIATIVIDADE É ESSENCIAL NA ROBÓTICA EDUCACIONAL

Quando estiver tudo pronto, seja no formato de laboratório, seja de acampamento, seja por meio de outra estratégia, estimule a criatividade. A Robótica Educacional pode ser utilizada em todas as disciplinas, não apenas nas relacionadas à Computação. Fuja do lugar-comum e pense em alternativas realmente inovadoras.
Professores conseguem usar a ferramenta até mesmo de forma interdisciplinar. Uma ideia, por exemplo, é realizar um concurso ou até um desafio. Para isso, organize as turmas em equipes e escolha um problema social ou ambiental que deva ser resolvido pelos estudantes, com o uso da Robótica. Essa será uma forma de incentivar a comunidade escolar a introduzir o pensamento tecnológico no cotidiano, além de ser uma oportunidade visando incentivar a complementaridade entre disciplinas.
Gostou das nossas dicas para criar um projeto de Robótica Educacional na escola? Conheça também as possibilidades de uso da Holografia na Educação neste post.

Assine a Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades