Projeto de Vida na Escola: como trabalhar essa Competência da BNCC?

Blog Projeto de Vida na Escola: como trabalhar essa Competência da BNCC?

Compartilhe este conteúdo
O Projeto de Vida na Escola faz parte da reformulação e redirecionamento da educação. Por isso é imprescindível que as instituições de ensino consigam encontrar caminhos para desenvolver essa competência em sala de aula.
Muito mais do que o conhecimento formal, a escola também é um ambiente de discussão e aprendizado sobre temas que envolvem a formação do indivíduo. Para que isso aconteça, será preciso trabalhar outros conceitos e abordar novas formas de incentivar o desenvolvimento de competências e habilidades.
A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é um documento desenvolvido para servir de direcionamento do ensino nas escolas brasileiras, desde a educação infantil até o Ensino Médio. Dessa forma, ele conduzirá o trabalho de dez competências em sala de aula, sendo elas fundamentais para a formação de um cidadão capaz de encarar os desafios da sociedade.

O que é o Projeto de Vida na Escola?

Durante muito tempo, a escola seguiu um padrão de ensino baseado apenas nos ensinamentos básicos do conhecimento. Nesse contexto, os estudantes, desde o início da Educação Infantil, eram preparados para obter conhecimentos, em sua maioria, racionais e baseados em teorias prontas.
Por mais que seja de extrema importância para as futuras escolhas, esse aprendizado não complementa as bases necessárias que todo cidadão precisa para entender o seu lugar no mundo em que vive.
O Projeto de Vida na Escola tem o intuito de exercitar exatamente essa base, ou seja, trabalhar para que o estudante comece a questionar e desenvolva o pensamento crítico, abrindo assim caminhos para o desenvolvimento do autoconhecimento.
Os educadores devem criar formas de transparecer aos estudantes a importância de explorar outros pontos também necessários para definir o Projeto de Vida, dando ênfase na diversidade e na individualidade que cada cidadão possui para definir o seu trajeto na sociedade.
Quando a escola começa a agir com esse embasamento, o estudante começa a perceber que ele pode, e deve, ser o protagonista da sua história. Ele passará a pensar e a desenvolver planos para o seu futuro de forma mais realista e abrangente, fugindo do velho padrão de decisões que as instituições costumam inspirar.

Qual o embasamento do Projeto de Vida na Escola?

Para começar a trabalhar o Projeto de Vida na Escola, as instituições devem implantar, primeiramente, as bases da BNCC. Diante disso, o projeto precisa estar direcionado a atender a três áreas que fazem com que os jovens ampliem a sua visão sobre o projeto de vida que eles desejam.
Por isso, será necessário desenvolver um conhecimento mais aprofundado em questões pessoais, sociais e profissionais.

Dimensão pessoal

Quando se fala em “dimensão pessoal”, o principal foco será o “autoconhecimento”, pois é muito importante que cada indivíduo se conscientize e entenda o espaço que ele ocupa no mundo. Tal clareza só será adquirida por meio do reconhecimento sobre as suas origens, valores e também em como eles lidam com os sentimentos.

Âmbito social

No âmbito social, as atividades implantadas devem estar voltadas para as relações interpessoais. Assim o entendimento sobre diversidade, cultura e história será o gatilho para o sucesso dessa dimensão. Será interessante a aplicação de atividades em grupos, em que a turma passe a entender o poder que a coletividade exerce nas relações e na resolução de problemas.
A união das habilidades pessoais e sociais fará com que o terceiro ponto, o profissional, tenha uma continuidade mais precisa. À vista disso, a escola deve trazer pautas e exercícios que também formem cidadãos aptos para o mercado de trabalho atual, onde algumas competências e conhecimentos são indispensáveis.

Como trabalhar essa Competência da BNCC?

Existem muitas formas de trabalhar o Projeto de Vida na Escola. A BNCC apresenta algumas diretrizes e direcionamentos que podem ser transformados em ações diversas.
Todo o trabalho dos educadores e também da escola terá como pauta principal o incentivo ao desenvolvimento de competências em cada etapa do ensino. É importante que a modificação curricular para que isso se realize leve em consideração tanto a realidade da escola quanto a dos estudantes.
Mas como é possível transformar a teoria da BNCC em práticas educativas que estimulem a criação de cidadãos reflexivos e protagonistas da própria história? Veja alguns exemplos práticos que podem ser enfatizados:
  • Proposição de atividades que incentivem o protagonismo do estudante
Uma das formas mais práticas de incentivar o protagonismo do estudante é por meio do uso de Metodologias Ativas. Essa modalidade de ensino dá voz ao jovem, fazendo com que ele consiga entender quais os pontos em seu perfil precisam ser desenvolvidos.
O estudante começará a buscar por si próprio o conhecimento, quebrando um laço dependente do professor. Tudo isso será essencial para o desenvolvimento da responsabilidade, além de dar forças para que eles consigam buscar os seus objetivos por meio de suas ações.
Para ver o seu funcionamento na prática, conheça a dinâmica da Escola Lumiar. O projeto mostra como é possível trabalhar o protagonismo do estudante, deixando-o livre para escolher o que vai aprender com base em um mosaico de atividades.
  • Realização de projetos que incentivem o autoconhecimento e a autocrítica
O Projeto de Vida na Escola também deve ter um espaço para autoavaliação. Os professores podem planejar algumas atividades em que os membros da turma tenham papéis importantes no planejamento e na execução dos projetos.
Isso fará com que muitas reflexões sejam levantadas, uma vez que, ao dar algumas responsabilidades aos membros, eles começarão a identificar pontos de melhoria em sua performance. A autocrítica saudável é uma habilidade indispensável com vista ao crescimento pessoal e profissional.
O projeto de empreendedorismo sustentável, negócios inovadores, criativos e rentáveis mostra muito bem como essas ações são fundamentais para o desenvolvimento das competências.
A professora Maria Ester Centurião da Escola Estadual (EE), em Campo Grande (MS), percebeu que as turmas tinham muito interesse em criar ou participar de projetos que solucionassem problemas.
Foi então que ela começou a disseminar a cultura do empreendedorismo, mostrando a sua importância para os estudantes. Após muitos debates sobre o assunto, todos, ativamente, criaram um projeto baseado em rentabilidade e colaboração.
  • Levar o tema “ Projeto de Vida” para ser debatido em sala de aula
Falar abertamente sobre a finalidade das atividades propostas também é uma forma de engajar o estudante na otimização de habilidades e competências. Ele passará a ter um sentimento maior de pertencimento, além de melhorar o ânimo para participar de todos os processos educativos.
O ideal é trazer debates construtivos sobre o assunto e então trabalhar as opiniões divergentes de forma aberta e sem julgamentos.
  • Trabalhe o Projeto de Vida nas disciplinas básicas do ensino
A demonstração da presença do Projeto de Vida na Escola nas matérias também é uma forma de implementar essa competência da BNCC. O professor deve buscar alternativas de aprendizado que façam uma ligação entre as disciplinas e a vida real, por exemplo:
Aplicar conhecimentos matemáticos em projetos que têm uma aproximação com a vida dos estudantes, ou então aprimorar o ensino da Geografia para entender as diferenças sociais. Tudo isso faz com que o aprendizado fique muito próximo da realidade.

O papel da Educação Empreendedora no Projeto de Vida na Escola

A aplicação das bases da BNCC, juntamente com os direcionamentos do ensino empreendedor, é uma forma eficaz de aprimorar as metodologias educacionais. O Projeto de Vida na Escola tem total sinergia com a educação, pois são trabalhos que preparam os jovens para a vida.
Dessa forma, é muito importante que o trabalho dessa competência seja uma prioridade no ensino, sendo trabalhada para que os jovens tenham mais consciência sobre si e possam trilhar o seu próprio caminho.
Entenda melhor a relação entre o Projeto de Vida na Escola e o empreendedorismo, lendo um texto que explica o conceito da educação empreendedora e a sua importância.
Compartilhe este conteúdo

Assine a Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades