Projeto Político-Pedagógico: o que é e qual a sua importância

Blog Projeto Político-Pedagógico: o que é e qual a sua importância

06/06/2022
Se você faz parte da comunidade escolar em qualquer instância – estudante, professor, gestor escolar, diretor, pai ou afins –, entender o que é e como funciona o Projeto Político-Pedagógico (PPP) é fundamental. É isso que vamos explorar neste post, além de levantar a importância da inserção da Educação Empreendedora nesse contexto. Acompanhe!

O que é o Projeto Político-Pedagógico

Em linhas gerais, o PPP é um importante direcionador da gestão educacional para o ano letivo. É nesse documento que estão as principais informações sobre o propósito da escola e a sua atuação, incluindo calendário de aulas, metas, atividades pedagógicas, diretrizes e ações que devem estar em foco e, não menos importante, o posicionamento cultural da instituição escolar.
Ele é obrigatório e exigido pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB). Essa mesma legislação orienta que o material seja construído de maneira democrática e colaborativa. Por isso, sugere que todos os agentes educacionais estejam envolvidos em seu desenvolvimento.
Para que um Projeto Político-Pedagógico seja completo, é importante que ele contenha ao menos as seguintes informações: identificação da escola (nome, registro, localização, nome do diretor, coordenador e demais integrantes da equipe pedagógica); cultura organizacional (valores, crenças, princípios); realidade socioeconômica dos alunos e de seus familiares; recursos disponíveis e detalhes da infraestrutura da instituição, como quadras e computadores; dados históricos (taxa de reprovação, indicadores de desempenho, média de notas e, se possível, estatísticas da região) e as metodologias a ser utilizadas.

Por que o nome?

É um projeto porque visa concentrar propostas de ações que devem ser promovidas em um período determinado – nesse caso, o ano letivo.
Político porque a escola é um ambiente responsável por formar seres humanos analíticos, responsáveis e conscientes, que têm o poder de, individual e coletivamente, fazer a diferença na sociedade em que vivem.
E é pedagógico porque trata diretamente de atividades e projetos pedagógicos e educativos que vão compor o processo de ensino-aprendizagem.
Combinando esses três significados, chegamos a uma definição que explica com precisão a proposta do Projeto Político-Pedagógico por si só. Veja isto: basta praticamente juntar as frases – o PPP tem o intuito de reunir e registrar ações educativas para determinado ano letivo, que, em conjunto com o posicionamento da escola, vão guiar a formação de cidadãos críticos e preparados para viver de maneira responsável em sociedade.

Definição de especialista

Danilo Gandin, mestre em Educação e especialista em Planejamento da Educação, dá um depoimento em uma entrevista disponível no YouTube que reforça a importância de construir um Projeto Político-Pedagógico de maneira verdadeiramente colaborativa:
“[…] Que se tenha uma metodologia participativa […] Não pode existir planejamento participativo se não houver um trabalho individual em que cada pessoa se pronuncie, em que cada pessoa tome posição […] e traga para o conjunto a riqueza do seu pensamento e do seu querer […] Que as pessoas discutam isso profundamente e, então, possam decidir. Não pode haver planejamento participativo se não houver reuniões e plenários que retomem o rumo e se veja o que produziu até aquele momento.”
>>> Confira aqui a entrevista na íntegra

Toda escola deve ter?

A resposta é taxativa: sim, toda escola deve ter. Para além da legislação, existem outros fatores que justificam a construção de um Projeto Político-Pedagógico.
Afinal, deve-se lembrar que o PPP precisa funcionar como um norteador de todas as atividades da escola. É ele que fornece indicadores suficientes para fundamentar melhorias estratégicas na proposta de ensino, para direcionar o atendimento ao público em geral e até mesmo para guiar uma eventual gestão de crise.

Como a Educação Empreendedora pode fazer parte desse documento?

Ao entender as dimensões da Educação Empreendedora, bem como as competências que ela desenvolve, fica ainda mais simples conectar os dois assuntos. Vamos entender melhor.
Uma Educação Empreendedora trabalhada corretamente pressupõe a formação de jovens com comportamento proativo, visão de mundo sistêmica e capacidade criativa para solucionar desafios de diferentes áreas da vida. Um bom Projeto Político-Pedagógico deve também conter diretrizes e orientações que vão apoiar uma formação como essa.
Em uma entrevista feita pela equipe do Portal CER com Fernando Wirthmann, coordenador-geral de Ensino Médio do Ministério da Educação (MEC), ele fala sobre como a Educação Empreendedora pode integrar e contribuir para um PPP bem aplicado. A resposta dele confirma tudo o que comentamos acima. Veja:
“Acredito que o PPP, ao apresentar as diretrizes pedagógicas que vão orientar a formação integral do estudante, voltada para o desenvolvimento da cidadania plena, poderá contemplar a dimensão empreendedora da educação como um dos pilares que dão suporte ao desenvolvimento do currículo […] Quando contemplada, atende ao disposto no art. 2o da LDB, que preconiza que a educação tem por ‘finalidade o pleno desenvolvimento do educando, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.’ […]
[…] Conforme previsto nos referenciais para elaboração dos itinerários formativos, os objetivos do eixo empreendedorismo são: aprofundar conhecimentos relacionados ao contexto, ao mundo do trabalho e à gestão de iniciativas empreendedoras, incluindo seus impactos nos seres humanos, na sociedade e no meio ambiente; ampliar habilidades relacionadas ao autoconhecimento, empreendedorismo e projeto de vida e utilizar esses conhecimentos e habilidades para estruturar iniciativas empreendedoras com propósitos diversos […] com foco no desenvolvimento de processos e produtos com o uso de tecnologias variadas […] Compreendendo que o PPP orienta o desenvolvimento do currículo e das práticas pedagógicas voltadas à formação dos estudantes, entendo que a perspectiva da educação empreendedora, se prevista no planejamento pedagógico, contribuirá para a formação integral dos jovens.”
Depoimento retirado da entrevista concedida por Fernando Wirthmann à equipe do Portal CER
Alguns exemplos de práticas comuns da Educação Empreendedora que podem enriquecer um Projeto Político-Pedagógico são a gamificação, a aprendizagem baseada em projetos e a sala de aula invertida. Acesse o Portal CER e tenha direções práticas sobre essas e outras metodologias!

Assine a Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades