Projeto vencedor do 10º Doc Futura

Blog Projeto vencedor do 10º Doc Futura

13/08/2021
A evasão escolar é uma realidade que muitas escolas públicas enfrentam no Brasil. Por essa razão, encontrar meios de decifrar a raiz do problema pode ser o caminho para que cada vez mais os jovens consigam concluir os seus estudos.
É preciso sensibilidade e um olhar atento para buscar os sinais que demonstram o surgimento da falta de crença na Educação. Mas também é muito importante entender que cada ser humano é único e percorre jornadas diferentes.
A coordenadora pedagógica baiana Janaína Barros conseguiu uma forma de “enxergar com os olhos dos estudantes”. Ela deu importância aos símbolos, às mensagens e aos desenhos deixados por eles nas carteiras, nas portas e nas paredes do colégio. O projeto ocorreu na Chapada Diamantina, Bahia, no Colégio Estadual de Seabra, onde existia uma estimativa de evasão escolar que chegava a 40%.
O colégio contava com uma média de 1.200 estudantes matriculados no início de cada ano letivo, dos quais 400 acabavam desistindo antes mesmo de terminar o ano. Dessa forma, quando se constata que 400 crianças ou adolescentes estão desistindo de aprender, é fato que algo precisa ser feito.
Por mais que existam muitas questões sociais envolvidas, a ação de retenção dos estudantes cabe aos responsáveis pelo ensino. Por isso, eles devem identificar o que pode estar movendo essas ações, começando desde um estudo sobre o ambiente escolar até uma revisão do conteúdo passado aos alunos.
Janaína Barros deu um ótimo exemplo de como os educadores podem agir. O seu projeto gerou resultados que poucos acreditavam alcançar, pois a coordenadora pedagógica entendeu que, quando um estudante desiste, é sinal de que a escolha falhou.
(temos alguma foto legal dela ou do projeto para colocar? ou então colocar embed de uma foto do instagram?)
Depois de o projeto ser aplicado, o Colégio Estadual de Seabra conseguiu diminuir a evasão para 5%. Isso prova que o método de imersão na vida do estudante –, por meio do qual é entendida a visão de mundo do estudante, seus problemas e os motivos que o levariam a desistir dos estudos –, funciona e deve ser replicado em outras escolas.
Continue a leitura e entenda como a coordenadora conseguiu essa grande conquista.

A importância de ouvir o estudante

O primeiro passo para a evolução da Educação é entender que o estudante deve ser ouvido e ter espaço, dentro do ambiente escolar, visando demonstrar seus interesses. Então será com base nessa escuta que os educadores poderão direcionar todo o ensino a fim de que ele tenha ações engajadoras, diminuindo assim as desistências.
Foi a partir desse ponto que Janaína conduziu o seu projeto. Porque ela teve a sensibilidade de buscar o local em que os estudantes estavam expressando as suas dores, amores e vontades. Afinal, mesmo que a escola não desse essa abertura, é comum do ser humano expressar os seus sentimentos de inúmeras formas.
Foi então que ela começou a observar os símbolos, os desenhos e as frases que eles deixavam nas carteiras e nas portas de banheiro. Ela conseguiu fotografar tudo o que ela via como útil para o seu estudo. Fez também uma análise de cada traço, identificando os “chamados”, muitas vezes silenciosos, que os estudantes deixavam ecoar por meio dessas representações.
Em um trecho de sua fala, a coordenadora pedagógica Janaína Barros comenta: “Foi a primeira vez que eu entendi que, para além do conteúdo formal, daquilo que estava previsto no currículo, havia algo sobre meninos e meninas que eles deixavam marcados em suas escritas”.
Esse foi o ponto de partida em direção ao sucesso do projeto. Pois essa leitura sensível fez com que a escola pudesse reformular os seus métodos pedagógicos. Além de criar uma linha direta de relacionamento, construindo uma parceria entre o professor e o estudante.

Entendendo a dor do outro

Existem muitas razões pelas quais um estudante desiste dos estudos, mas grande parte delas pode ter relação com as questões pessoais e os ambientes familiares em que ele está inserido.
E será nessa questão que as escolas que apresentam altos índices de evasão devem trabalhar. Porque é preciso que os professores e os educadores consigam entender a dor do outro, retirando as amarras educacionais padronizadas, adentrando em caminhos não trilhados.
A sensibilidade precisa ser desenvolvida, e os benefícios da Educação devem estar bem claros tanto para o professor quanto para o estudante. De fato, todas as ações devem ser feitas em conjunto, oportunidade em que a família também tem um papel importante.
E Janaína ainda complementa: “ […] que eles comecem a entender que dá para falar sobre aquela dor e não ser julgado, dá para falar sobre aquela dor, sem se sentir menor, diferente. Eu não me vejo tratando a dor, eu só me vejo dizendo a todos eles que está tudo bem.”
O professor deve entender com o exemplo citado, que o estudante que apresenta algum problema não deve ser rotulado, mas compreendido. É preciso ser sensível para perceber também que cada um carrega a sua história e que o comportamento atual é um acumulado de situações vivenciadas por cada indivíduo.

Qual o aprendizado gerado com base nesse projeto?

Antes de mais nada, é preciso dizer que a grandiosidade desse projeto fez com que ele se desdobrasse em um documentário intitulado “Prova Escrita”, sendo vencedor do 10º Doc Futura, do Canal Futura.
É fundamental que ele alcance maior visibilidade para que mais escolas possam utilizar o método. Ou então abrir novos caminhos com o intuito de incluir o estudante nos processos, o que gera maior engajamento e diminuição da evasão.
Além dessa abertura de novas aplicações pedagógicas, o projeto foi importante para levar aos educadores algo que, com o passar do tempo, pudesse ser esquecido; a importância da história e a origem de cada um.
Tendo esse conceito em mente, as dinâmicas em salas de aula serão reformuladas, onde cada estudante terá as suas características respeitadas. Tudo isso proporciona uma visão mais prazerosa sobre estudar e aprender.
Os professores também terão a possibilidade de aprimorar ainda mais a sua escuta, captando sinais que, mesmo silenciosos, têm muito a dizer. O documentário que mostra todos os detalhes sobre a aplicação do projeto está disponível nos Canais Globo.

Assine a Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades