Teoria da Inteligência Multifocal e a Educação Empreendedora

Blog Teoria da Inteligência Multifocal e a Educação Empreendedora

Compartilhe este conteúdo
Conforme a Teoria da Inteligência Multifocal, Augusto Cury, médico, psiquiatra, psicoterapeuta e escritor, que usa a teoria em questão em seus livros, argumenta que a esfera escolar é a parte ativa de uma formação integral de crianças e adolescentes.
Isso posto, esse ambiente escolar, aliado à Educação Empreendedora, beneficia os jovens a desenvolver o próprio senso crítico. Com isso, tornam-se capazes de modificar a sociedade da qual fazem parte.
Com essa postura, além de assimilarem conhecimentos intelectuais construídos pela humanidade, os educandos desenvolvem comportamentos e habilidades socioemocionais que impactam a vida deles fora do ambiente escolar.

Mas, afinal, o que é a Teoria da Inteligência Multifocal?

Augusto Cury postula que essa teoria tem por objetivo:
“O funcionamento da psique, a natureza e a construção dos pensamentos, a formação dos pensadores, o papel histórico do Eu como gestor do teatro da mente e a liderança do Eu como autor da própria história.”
Assim, cada estudante pode ser protagonista da própria história, ou seja, da construção e do gerenciamento das habilidades intrapessoais e interpessoais. Estas correspondem à comunicação entre duas ou mais pessoas. Já aquela, a habilidade intrapessoal, é a comunicação com o próprio EU, denominado também de “monólogo interior”.
Assim, foi por meio dessa comunicação da pessoa consigo mesma que a teoria em pauta foi desenvolvida.
Ademais, Cury argumenta que a Teoria de Inteligência Multifocal é:
“Uma teoria que relata sobre a construção da inteligência, ou seja, o nascedouro das ideias, a construção das cadeias de pensamentos, a formação da história intrapsíquica arquivada na memória, a leitura da memória pelos fenômenos intrapsíquicos […]”.
Sob esse prisma, essa teoria analisa o funcionamento da mente e os fenômenos que constroem pensamentos e emoções. Dito isso, algumas áreas corroboram com essa análise: Psicologia, Filosofia e Sociologia. Elas vão auxiliar para que o estudante desenvolva a sua inteligência de forma multifocada nos espaços emocional e social.
Por conseguinte, a teoria em pauta cria uma relação saudável entre dois ou mais indivíduos, ou somente consigo mesmo. Dessa maneira, esse conceito beneficia o estudante, dentro e fora do ambiente escolar, a ter tolerância, trabalhar em equipe, administrar conflitos e, consequentemente, em relação ao seu carisma.

Inteligência Multifocal conectada à Educação Empreendedora

A teoria da Inteligência Multifocal defende que, com os estímulos certos e o treinamento adequado, os indivíduos podem utilizar as referências de mundo para moldar suas competências sociais e emocionais.
Esses estímulos e o treinamento adequado, por sua vez, podem ser advindos da escola, já que ela, junto à Educação Empreendedora, ensina o estudante a ter posturas ativas, formando o próprio senso crítico em relação ao mundo.
À vista disso, como essa teoria se aplica à individualidade de cada estudante para que ele se autoconheça, as metodologias ativas são essenciais para desenvolver as competências de cada educando. Em outras palavras, ele fica no centro da aprendizagem, tornando-o autor e ator da própria história.
Mediante isso, os pilares da Inteligência Multifocal vinculam-se aos da Educação Empreendedora, tornando-os interligados e auxilia na:
  • construção de pensamentos: percepção que cada um tem do mundo exterior a partir dos sentidos próprios. Assim, o educando consegue elaborar as próprias ideias e interpretações;
  • organizações de histórias: estruturação das impressões, emoções e percepções para que o estudante teça narrativas conscientes e inconscientes;
  • formação de identidade: voltada à construção dos pensamentos e das organizações da própria história. Isso faz contribuir com o processo de formação do EU, em que a pessoa está sempre formando sua identidade;
  • transformação da energia psíquica: situação que, ao utilizar a consciência, a pessoa consegue refletir sobre sua percepção de mundo e a edificação do pensamento. Isso fortalece o autoconhecimento e auxilia o desenvolvimento de importantes habilidades, como, por exemplo, a empatia.
Em suma, a Inteligência Multifocal, aliada à Educação Empreendedora evidencia, segundo Augusto Cury, em Educação Socioemocional, que os estudantes, nessa vertente, serão protagonistas de si mesmos, ou seja, autores da própria história.

Teoria Multifocal e Educação Empreendedora no Ambiente Escolar com Auxílio da Tecnologia

A tecnologia atual faz parte da vida de todos; e não seria diferente na vida dos estudantes. Antes, sem ela, por exemplo, na aula de História, o professor comentava a cultura dos países, dentre outros assuntos. Essas explicações, porém, ficavam somente na mente dos educandos de forma abstrata. Uma vez ou outra, o educador levava revistas para eles poderem ver esses outros países de forma concreta.
O cenário disso tudo mudou graças às ferramentas digitais. O professor pode, assim, mostrar em tempo real a cultura de outros países, nações onde houve guerras, dentre outras temáticas, e tudo isso é útil para as demais disciplinas também.
Nesse contexto, o professor pode pedir aos estudantes que deem sua opinião, e até mesmo informar o porquê de eles estudarem determinado assunto. Dessa maneira, eles vão saindo aos poucos da inércia de ouvir a explicação do professor sem interação entre educador e educando.
A Educação Empreendedora faz os educandos se mostrarem mais motivados, dando a eles oportunidades para se conhecerem melhor e o livre arbítrio para as suas escolhas.
Em suma, mediante toda transformação que o mundo se encontra hoje, o professor tem de trabalhar as habilidades desses estudantes que ainda se encontram ocultas em razão do ensino tradicional. A educação e a modernidade têm de andar juntas.
Nessa vertente, a Teoria da Inteligência Emocional, explanada ao longo deste trabalho, mostra que o estudante deve assumir o seu papel e fazer a própria história. Entre outras palavras, ele deve sair daquele conceito de que a vida é controlada pelo destino e nada se pode fazer em relação a isso.
Portanto, a ruptura do ensino tradicional deve ser feita. O jovem de hoje está preparado para galgar um conhecimento muito mais preciso e útil de acordo com habilidades e características próprias. E, para isso acontecer, o professor deve se adequar a esse novo modelo empreendedor!

Cursos para Professores Empreendedores

As ferramentas digitais disponibilizam vários cursos gratuitos para que o professor e até mesmo escolas se ajustem a esse novo paradigma. O Cer Sebrae, em sua plataforma, disponibiliza gratuitamente cursos conteúdos para o professor aprender a empreender, bem como usar isso na prática dentro e fora da sala de aula.
À vista disso, educadores inovadores, engajados, reconhecidos e mais próximos de seus educandos geram resultados positivos, impactando a educação de forma permanente.
Compartilhe este conteúdo

Assine a Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades