Como escolher a melhor plataforma de EAD? Confira 7 dicas!

O modelo de educação a distância (EAD) já faz parte da vida dos brasileiros. Seja nas instituições públicas, seja nas instituições privadas, os cursos on-line estão sendo investidos para aumentar a qualidade da experiência de aprendizagem dos alunos, além de permitir mais praticidade nos estudos. No entanto, ainda existem muitas dúvidas sobre qual a melhor plataforma de EAD escolher para disponibilizar suas aulas.

Primeiramente, o principal é escolher uma plataforma que vai trazer benefícios para o público certo. Segundo pesquisa realizada pela Sagah em 2016 , estima-se que a modalidade de ensino a distância, até 2023, representará mais da metade do ensino no país. Ou seja, há a expectativa de que 51% dos estudantes estejam matriculados em cursos a distância.

Por isso, considerando que esse mercado está em constante expansão, é fundamental avaliar qual a melhor plataforma de EAD o quanto antes. Neste artigo, você vai aprender quais aspectos levar em consideração para essa escolha, bem como entender o que a melhor plataforma de EAD deve ter e como ela funciona na prática.

O que é uma plataforma de ensino a distância

Antes de mais nada, vamos descobrir rapidamente o que é uma plataforma de ensino a distância.

Provavelmente você deve conhecer o básico, como o SGA (sistema de gestão acadêmica) ou o AVA (ambiente virtual de aprendizagem), ou como são conhecidos em inglês: LMS (Learning Management System) e LXP (Learning Experience Platform), respectivamente. Nesse sentido, plataformas de EAD são desenvolvidas para proporcionar um ambiente completo ao aluno. Deve-se lembrar, porém, que as plataformas estão muitas vezes aliadas a outras tecnologias e ferramentas.

É comum também que dentro delas seja possível disponibilizar conteúdos, criar fóruns (para melhor interação entre professores e alunos), publicar exercícios e até mesmo fazer avaliações. Agora que já conhecemos seus diferentes tipos, vamos entender o que a melhor plataforma de EAD deve ter.

Como escolher a melhor plataforma de EAD

  1. Responsividade

Grande parte dos alunos acessa a internet por meio de seus dispositivos móveis, como smartphones ou tablets. Tudo isso com o objetivo de otimizar sua rotina de estudo. Sendo assim, é importante que, ao escolher uma plataforma, ela seja responsiva e se adapte a tais telas.

Boa parte das plataformas já utiliza esse recurso, mas não custa ficar atento e fazer testes a fim de avaliar como está a experiência do usuário.

  1. A melhor plataforma de EAD deve ser personalizável

Nada melhor do que poder incluir conteúdos ricos e interativos para seus estudantes. Por isso, opte por plataformas que permitam personalização; isso refletirá na qualidade de funções que você pode entregar na experiência de usabilidade.

Ou seja, uma boa plataforma de EAD deve ter cor, permitir compartilhamento, ter fóruns para comentários e principalmente ter organização dos conteúdos.

  1. Integração com outras tecnologias

Verifique também sobre as possibilidades de integração permitidas pela plataforma,  e se ela atende às suas necessidades. Quanto mais ferramentas e tecnologias integradas, mais o curso estará completo e utilizável.

Por exemplo, plataformas LXP para treinamento corporativo, integram-se facilmente a funções que a empresa já utiliza no dia a dia como o histórico do usuário, documentos do pacote Office 365 entre outros.

  1. Segurança da plataforma

A infraestrutura da plataforma deve ser segura; afinal, estamos falando da exposição de dados importantes e da proteção do seu conteúdo. Verifique se a plataforma funciona com protocolos https ou possui proteção contra invasores.

Outro detalhe importante é avaliar se o site é certificado. É simples: basta observar no canto direito da tela de navegação se há um cadeado verde (ícone). Clique em cima dele para visualizar os certificados de segurança.

Qual a melhor plataforma de EAD? Saiba o que é o AVA:

O AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem) é um software que permite a distribuição e o desenvolvimento de conteúdos para cursos on-line e também para as disciplinas semipresenciais. É a interface do curso que você vai ofertar.

No mercado existem várias empresas que oferecem esse serviço. Neste caso, cada uma disponibiliza um sistema com funcionalidades, ferramentas e características próprias.

O AVA realmente é um ambiente virtual criado para auxiliar os professores e os coordenadores de cursos no gerenciamento dos conteúdos e na gestão deles. Por meio do sistema, é possível monitorar todo o processo de aprendizagem por parte do aluno.

Ou seja, é no AVA que o aluno passará por todo o processo de aprendizagem se estiver inserido na modalidade de ensino on-line. Os tipos de AVA mais comuns e mais usados na educação são o Moodle, o Teleduc e o Blackboard. Vamos conhecer um pouco  cada um deles.

  1. Moodle

Uma das plataformas mais usadas pelas instituições de ensino no Brasil é o Moodle. Criado, em 1999, pelo australiano Martin Dougiamas, o software é livre (código aberto) e pode ser usado por qualquer um que tenha o objetivo de apoiar a aprendizagem.

O sistema é robusto e permite milhares de alunos em uma única instalação. Além disso, é gratuito e é possível modificá-lo de acordo com as necessidades da instituição, mas para isso pode ser que você precise montar uma equipe de Tecnologia da Informação (TI). Há também grande diversidade de ferramentas dentro do site.

Uma desvantagem é a interface de interação com os alunos, já que ela não é tão amigável. Por exemplo, os menus não são tão intuitivos, e o layout é simples.

Quem usa o Moodle?

  • USP – Universidade de São Paulo
  • UECE – Universidade Estadual do Ceará
  • URCAMP – Universidade da Região da Campanha
  1. Teleduc

Já o Teleduc é uma plataforma de e-learning para a criação, a participação e a administração de cursos. Uma das desvantagens em relação ao Moodle é que o Teleduc não permite personalização. Ou seja, é um ambiente bem mais simples e possui diversas ferramentas como chat, correio eletrônico, portfólio e grupos de discussão.

É um sistema completo e mais fácil de ser usado. Ele é bastante comum em instituições de educação a distância e em ambientes corporativos. O ambiente é mais enxuto, mas é aberto e gratuito.

Quem usa o Moodle?

  • Unicamp – Universidade Estadual de Campinas
  1. Blackboard

O Blackboard foi criado, em 1997, por Matthew Pittinsky, Michael Chasen e Daniel Cane, em parceria com o corpo docente da Universidade Cornell (EUA). A ideia inicial era facilitar a relação de professores e alunos nos cursos on-line.

Uma vantagem dessa plataforma é que ela permite a personalização por curso. Também não é necessário entender de HTML para a criação dos cursos. Outro diferencial é que o professor terá maior autonomia e pode publicar e editar seus cursos usando diferentes arquivos, como vídeos, áudios e demais documentos.

A plataforma também é simples de usar e intuitiva, além de poder ser acessada em qualquer dispositivo.

Quem usa Blackboard?

  • IESB – Instituto de Educação Superior de Brasília
  • Florida State University (USA)
  • Yale University School of Medicine (USA)
  • Kingston University (UK)

Agora que você entendeu um pouco mais de quais pontos são importantes na hora de escolher a melhor plataforma de EAD, não deixe de conferir nosso Observatório sobre Ensino Híbrido e como esta tendência está transformando a educação atual. 

leia também

Orientações para retorno às aulas:  o que você precisa saber para o cenário pós-pandemia
continuar lendo
Educação Criativa: 6 maneiras de deixar as aulas mais divertidas
continuar lendo
Aulas de Ciências a Distância: como trabalhar esta área de conhecimento nas aulas on-line
continuar lendo

Quer ficar sabendo de tudo antes? Assine a
newsletter e receba novidades no seu e-mail.

x
área restrita
Usuário
senha
×