Empreendedorismo para o ensino médio: conheça o programa Despertar

Com a inclusão do eixo Empreendedorismo na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), muitas escolas estão se movimentando para criar programas e projetos que trabalhem o tema no ensino médio de maneira relevante e interdisciplinar. E esse é exatamente o objetivo do programa Despertar do Sebrae. Busca acordar o espírito empreendedor nos jovens de 15 a 18 anos das escolas brasileiras.

O Despertar procura preparar os estudantes para que vivenciem aspectos da cidadania como fator de responsabilidade social, contribuindo tanto para uma mudança socioeconômica quanto para favorecer o desenvolvimento de futuros profissionais. Isso os tornaria mais aptos a atuar em um mundo com novas relações de trabalho e a assumir o papel de empreendedores em diferentes situações da  vida.

Neste post, contamos um pouco mais sobre o programa Despertar, sua metodologia e as principais competências que trabalha com os jovens.

Como funciona o Despertar

O programa Despertar foi criado com base em experiências bem-sucedidas no Ceará e no Rio Grande do Norte. O empreendedorismo passou a movimentar comunidades no interior dos estados e a fortalecer a crença em um mundo melhor, dando aos moradores a certeza de que qualquer um pode empreender. Com os bons resultados alcançados nesses estados, a metodologia se transformou em um programa nacional, oferecido pelo Sebrae a escolas públicas e privadas.

Assim como no programa de empreendedorismo para o ensino fundamental – Jovem Empreendedor Primeiros Passos (JEPP) –, este programa de empreendedorismo para estudantes do ensino médio, intitulado Despertar, oferece metodologia, material didático e treinamento para que os professores possam colocar em prática as atividades e as dinâmicas ao longo do ano letivo, divididas em três etapas: encontros em sala de aula, atividades em campo e Feira do Jovem Empreendedor.

No total, são 22 encontros presenciais. Cada um deles com duração de 2 horas/aula, divididos em temas que vão desde o autoconhecimento, a definição do negócio, entrevista de emprego até o planejamento de um empreendimento. Vejamos:

  •       1º Encontro: Quem Sou Eu?
  •       2º Encontro: Como Ser um Jovem Empreendedor?
  •       3º Encontro: Criatividade e Inovação
  •       4º Encontro: O Jovem no Trabalho
  •       5º Encontro: Como Identificar Oportunidades
  •       6º Encontro: Trabalho e Emprego
  •       7º Encontro: Definindo o Seu Negócio
  •       8º Encontro: Escolhas e Decisões
  •       9º Encontro: Quem é o Seu Cliente?
  •       10º Encontro: Sonhos e Metas
  •       11º Encontro: Planejando as Atividades do Negócio
  •       12º Encontro: Avaliando o Meu Perfil
  •       13º Encontro: Planejamento Financeiro
  •       14º Encontro: Administração do Tempo
  •       15º Encontro: Entrevista com o Empreendedo;
  •       16º Encontro: Buscando Oportunidades no Mercado de Trabalho
  •       17º Encontro: Comunicação e Resultados
  •       18º Encontro: Avaliando os Projetos
  •       19º Encontro: Equipes em Ação
  •       20º Encontro: Organização para Feira
  •       21º Encontro: Avaliação da Feira do Jovem Empreendedor
  •       22º Encontro: Despertar o Empreendedor: Um Caminho a Percorrer

Metodologia e atividades do programa Despertar

A metodologia utilizada pelo Despertar contempla dinâmicas de grupo, aulas expositivas e vivenciais, nas quais o estudante constrói conhecimentos sobre o cenário socioeconômico mundial, a importância de desenvolver competências e encontrar oportunidades no mundo, o perfil do empreendedor, elementos da qualificação profissional, empregabilidade, opções de carreira, dentre outros temas.

As atividades de campo, por sua vez, envolvem pesquisas de mercado e contatos com empreendedores locais. O intuito é conhecer a estrutura e o funcionamento de uma empresa, além de elaborar um Modelo de Negócios, que será apresentado durante a Feira do Jovem Empreendedor.

Nessa reta final, as equipes se transformam em empreendedores, colocando em prática suas ideias e oportunidades de negócios. A organização da feira é realizada de acordo com a realidade de cada escola e das condições socioeconômicas dos estudantes. As experiências têm apresentado impactos na realização das feiras, promovidas na própria escola, mas também em outros espaços: praças públicas, ruas e locais de grande circulação, evidenciando-se um acontecimento festivo para a escola e/ou município.

Em relação à concretização das feiras, os estudantes são estimulados a buscar parcerias com lideranças, empreendedores locais e instituições, que contribuem com o sucesso do evento, cuja organização fica a cargo dos professores e dos estudantes. Por isso, a atividade desenvolve uma série de outras competências como organização, proatividade, trabalho em equipe, planejamento, colaboração, em um desafio totalmente “mãos na massa”.

Para participar do JEPP, a Secretaria Municipal de Educação ou a instituição de ensino interessada deve procurar o Sebrae em sua região avisando negociar a parceria e a capacitação dos professores.

Um dos benefícios (e objetivos) da inserção de um Programa de Empreendedorismo no Ensino Médio é auxiliar estudantes a entender e a engajar, em seu projeto de vida, planejamento de metas pessoais e profissionais e encontrando meios de alcançá-las. Saiba mais, neste e-book gratuito sobre o assunto,  o que é o Projeto de Vida e sua aplicação no ensino médio 

 

leia também

Orientações para retorno às aulas:  o que você precisa saber para o cenário pós-pandemia
continuar lendo
Educação Criativa: 6 maneiras de deixar as aulas mais divertidas
continuar lendo
Aulas de Ciências a Distância: como trabalhar esta área de conhecimento nas aulas on-line
continuar lendo

Quer ficar sabendo de tudo antes? Assine a
newsletter e receba novidades no seu e-mail.

x
área restrita
Usuário
senha
×