Imprensa Jovem: projeto de educomunicação estimula o senso crítico dos alunos

Mal vistos em algumas escolas e por professores na sala de aula, o celular e outros gadgets tecnológicos têm se mostrado grandes aliados da aprendizagem. Principalmente, em práticas de educomunicação, que ensina e incentiva os estudantes a criar conteúdos nos mais diversos tipos de meios de comunicação.

A ideia da educomunicação é a de dar voz aos estudantes em assuntos relacionados tanto à comunidade escolar quanto à comunidade externa. Presente na vida de 86% das crianças e dos adolescentes, de acordo com a pesquisa divulgada em 2019 pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil, a internet é um importante fator na educomunicação. Isso porque, nesse processo, os jovens utilizam multimídias, incluindo as redes sociais, para a divulgação de notícias e a criação de conteúdos relevantes.

Um exemplo prático de educomunicação nas escolas é o Imprensa Jovem, idealizado na cidade de São Paulo. Quer saber mais como funciona esse programa? É o que vamos abordar no próximo tópico.

O que é o Imprensa Jovem?

Criado em 2005 pela Secretaria de Educação de São Paulo, o Imprensa Jovem é um programa que desenvolve agências de notícias, com base na educomunicação, nas escolas públicas municipais do ensino infantil e do ensino fundamental de São Paulo.

Atualmente, o Imprensa Jovem, que antes era um projeto, já está consolidado na cidade e desenvolvido em cerca de 367 escolas. Tamanho sucesso deu ao programa, em 2019, o reconhecimento do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, dos Estados Unidos, que escolheu o Imprensa Jovem como uma das sete inovações mais importantes do mundo.

Todas as escolas públicas municipais podem desenvolver o projeto, desde que tenham um professor específico que vá se especializar no assunto e dedicar sua carga horária ao Imprensa Jovem. Além disso, o educador será acompanhado pelo Núcleo de Educomunicação, responsável pelo programa.

Em entrevista ao podcast Acontece em SP, da Prefeitura de São Paulo, a professora Vânia Sandevir, da Escola Municipal Leonor Mendes de Barros, destacou a importância do Imprensa Jovem: “É o momento em que os estudantes despertam curiosidades e leituras diferentes de uma notícia. Eles começam a ter um outro olhar, a serem mais críticos. Eles criam autonomia e o espírito de trabalhar em equipe. É uma oportunidade que todas as escolas deveriam abraçar”.

4 benefícios da educomunicação no Imprensa Jovem

Oferecer espaço e dar voz ao estudante é uma das premissas do Imprensa Jovem. A produção multimídia, abordando rádio, TV, fotografia, impresso, podcasts, sites e redes sociais, dá ampla liberdade aos estudantes para que pensem e produzam conteúdos interessantes. Eles também têm a oportunidade de fazer a cobertura jornalística de grandes eventos como a Campus Party e a Bienal do Livro.

Mas quais são os benefícios apresentados pelo Imprensa Jovem às escolas?

Aproximação

O engajamento gerado pelos estudantes, graças ao uso das tecnologias, muito familiares à sua vida, é um ponto importante no processo de educomunicação. No Imprensa Jovem, não é diferente. Além de se interessarem pelos assuntos abordados por eles próprios, os estudantes também se aproximam  dos professores e dos coordenadores.

É o que tem sido realizado pela Escola Municipal Henrique Souza Filho Henfil, em que o foco do Imprensa Jovem é nas entrevistas. “Nesse projeto, nós percebemos a desenvoltura dos estudantes, a aproximação com os professores, com a Coordenação, etc. A partir desse relacionamento, pudemos nos conhecer melhor e passamos a produzir um monte de coisas”, disse a coordenadora Deise Alconchel, em entrevista ao G1.

Consciência sobre fake news

Desenvolver o pensamento crítico nos jovens desde cedo é uma forma de combater as fake news. Esse é um dos objetivos da educomunicação, que busca ensinar os estudantes a entender e a diferenciar as notícias verdadeiras das falsas e todas as nuances que estão por trás delas.

Por meio do Imprensa Jovem On-line, curso on-line desenvolvido pelo Núcleo de Educomunicação de São Paulo, os estudantes e os professores têm se capacitado na conscientização e no combate à disseminação de informações falsas compartilhadas na internet. Todo esse conhecimento adquirido é levado às salas de aula, onde atividades em grupo são realizadas sobre o tema.

O fato de ser on-line tem ajudado e facilita o Imprensa Jovem a capacitar milhares de professores e estudantes de São Paulo. Essa iniciativa fez com que a UNESCO  convidasse o coordenador do Núcleo de Educomunicação, Carlos Lima, a apresentar o projeto no Global Media Information Literacy Week 2019 em Gotemburgo, na Suécia.

Sustentabilidade em pauta

A sustentabilidade é um assunto que está há anos na pauta das escolas. A diferença, agora, é que os estudantes podem desenvolver e divulgar os próprios conteúdos sobre o assunto.

No site do Imprensa Jovem é possível ler uma reportagem relativa a trabalhos desenvolvidos em sala de aula sobre sustentabilidade. A matéria traz folhetos sobre o aquecimento global e fotos de várias maquetes feitas pelos estudantes. São estudantes falando de trabalhos de outros jovens da mesma escola. Uma maneira de manter os estudantes motivados e engajados com as disciplinas.

Solidariedade

Utilizar os meios de comunicação desenvolvidos pela Imprensa Jovem para praticar ações sociais com as comunidades interna e externa também tem sido uma prática. São divulgadas campanhas de arrecadação, como roupas e brinquedos, que serão doados posteriormente pelos próprios jovens.

Para uma aluna do 8º ano da Escola Municipal Leonor Mendes de Barros, também entrevistada no podcast Acontece em  SP, esse trabalho é abraçado por todos da escola. “As pessoas colaboram. Se pedimos, eles levam. O pouco que a gente tem, temos que dividir, temos que saber o que é certo e o que é errado e temos que espalhar. Temos que mostrar aos outros o que temos que fazer. Queremos mostrar para as crianças isso e também queremos outras crianças no nosso projeto”, enfatiza.

O Imprensa Jovem demonstrou como se coloca em prática a educomunicação. Ambos, porém, são vertentes de outro assunto, isto é, da cidadania digital, que é a  utilização da tecnologia de maneira responsável. Quer saber mais do assunto? É só clicar neste link e ler nosso post.

leia também

Juventude e Conexões: como os jovens brasileiros entendem o que é empreendedorismo?
continuar lendo
5 jogos educativos para usar em suas aulas
continuar lendo
Como escolher a melhor ferramenta para aulas online
continuar lendo

Quer ficar sabendo de tudo antes? Assine a
newsletter e receba novidades no seu e-mail.

x
área restrita
Usuário
senha
×