Kriativar: como a startup utiliza tecnologia na aprendizagem criativa

A criatividade é uma demanda muito importante para o mercado de trabalho e para o empreendedorismo. No contexto da chamada Quarta Revolução Industrial, setores e programas de inovação despontam nas empresas, pois elas entendem que a atualização dos seus produtos e a melhoria contínua de seus processos são o meio pelo qual podem sobreviver em um cenário de alta competitividade.

Contudo, encontrar profissionais criativos não é uma tarefa fácil. No ensino formal, essa competência costuma ser cada vez menos trabalhada à medida que a criança vai ficando mais velha, perdendo espaço para a repetição de conteúdos repassados pelos professores. Nesse contexto, ações de aprendizagem criativa se tornam cada vez mais necessárias às escolas, a fim de preparar melhor os estudantes para o mundo do trabalho.

A aprendizagem criativa é um modelo exploratório e recreativo de aprendizagem, em que os estudantes têm liberdade para criar as próprias ideias e desenvolvê-las. O processo envolve o exercício da curiosidade, a descoberta de interesses próprios, a diversão, a imaginação, a experimentação e a autonomia. Aqui no Brasil existem iniciativas que promovem a aprendizagem criativa para crianças na escola e no lar. Uma delas é a startup mineira Kriativar, fundada em 2014 pela jornalista Sofia Fada, que alia a tecnologia à aprendizagem criativa por meio de plataformas de criação e smart toys pedagógicos.

Neste artigo, conheça um pouco sobre a Kriativar e como a empresa consegue utilizar a tecnologia para desenvolver a aprendizagem criativa no contexto escolar.

Crianças protagonistas na Kriativar

A inspiração para fundar a Kriativar veio de uma atitude do filho de Sofia, João Gabriel, que, aos 12 anos, ganhou projeção na internet com o blog e a página do Facebook “Um Dragão Por Dia”, onde postava diariamente seus desenhos, sempre com a temática dessas criaturas mágicas. Tal atividade ajudou o menino, que até então tinha muitas dificuldades na escola, a melhorar seu desempenho escolar a elevar a autoestima e a ter mais independência e disciplina.

João Gabriel foi convidado por uma empresa a desenhar uma linha de dragões de brinquedo. A mãe conta que, ao observar a rápida evolução no desenvolvimento pessoal e estudantil do filho, conversando com o dono da empresa de brinquedos, percebeu que poderia ajudar outras crianças a liberar seu potencial de forma semelhante. “Vimos que toda criança criava suas histórias, seus personagens. E, então, pensei em uma tecnologia que pudesse estimular esse protagonismo nelas, criando oportunidades de aprendizagem criativa”, relata.

A Kriativar foi acelerada pelo SEED, um programa do governo do Estado de Minas Gerais, tendo vencido também editais de inovação no Brasil, como INOVApps, FIEMG LAB, XR Canadá, Startup Brasil e BrazilLab.

A tecnologia na aprendizagem criativa

“Toda criança nasce criativa; não é a toa que a palavra ‘criar’ está na raiz da palavra ‘criança’. Só que, na escola e ao longo da vida, a criatividade vai sendo tolhida”, afirma Sofia Fada. Por isso, as plataformas virtuais criadas pela Kriativar buscam uma forma de ensino diferente do modelo tradicional: o aluno aprende de forma lúdica e por meio de ações próprias. “A aprendizagem criativa acontece quando a criança aprende vivenciando, aprende na prática e estimulando a sua criatividade”, pontua.

A startup comercializa smart toys, jogos virtuais da memória e quebra-cabeças voltados para crianças de 3 a 9 anos, que ensinam sobre animais da fazenda, o sistema solar, a amizade, dentre outros temas. Esses jogos incluem um recurso de realidade aumentada em que personagens aparecem para ensinar, de forma divertida, sobre os temas de cada produto. “Na escola, o professor pode utilizar o próprio celular ou tablet para mostrar o conteúdo para um grupo de alunos. Não é necessário nem ter acesso à internet no local. É bem acessível”, ressalta Sofia. A empresa oferece ainda uma plataforma de criação em que os pequenos podem montar histórias em quadrinhos, criar livros, reescrever histórias, além de outras possibilidades exploratórias.

Benefícios da aprendizagem criativa para a formação do indivíduo

De acordo com a fundadora da Kriativar, a aprendizagem criativa tem o poder de ajudar a criança a descobrir seus interesses e a desenvolver a identidade própria, gerando a elevação da autoestima. “O processo desenvolve as habilidades e o potencial escondido de cada criança. Com isso, você o estimula a ser como ele é”, afirma. “Cada criança tem um superpoder, temos que descobrir qual é, se é desenho, curiosidade, empatia, cuidado… assim que descobrimos, nosso papel é auxiliá-la para que ela possa desenvolver isso ao máximo”.

Ela também ressalta como o método as prepara melhor para o futuro. “A inteligência artificial vai acabar tomando o lugar de alguns empregos. O que vai diferenciar o profissional é inerente ao ser humano. Uma máquina não consegue resolver algo de forma criativa. A criatividade está ligada ao que temos de mais humano, é com ela que conseguimos nos adaptar, inovar na ciência e até na forma de lidar com as pessoas”, afirma.

A aprendizagem criativa tem o potencial de impulsionar o desenvolvimento pessoal e escolar  das crianças, sendo um método que pode ser implementado com a ajuda de recursos de tecnologia. Conheça também o Mundo Maker, espaço de aprendizagem criativa fundamentado na cultura maker.

leia também

7 formas de criar mais engajamento na educação infantil
continuar lendo
Educação 5.0 x 4.0 – entenda as diferenças entre os conceitos
continuar lendo
Conheça 4 iniciativas de Educação Empreendedora premiadas no Brasil
continuar lendo

Quer ficar sabendo de tudo antes? Assine a
newsletter e receba novidades no seu e-mail.

x
área restrita
Usuário
senha
×