o ensino baseado em

Projetos

e seu potencial para desenvolver
competências empreendedoras

Aprendizagem prática, relevante, integrada e mão na massa. A Aprendizagem Baseada em Projetos (PBL ou project based learning), também conhecida como Ensino Baseado em Projetos, é uma metodologia ativa que tem se tornado cada vez mais importante na formação de crianças, adolescentes e jovens, por ser bastante completa e estimular o pensamento sistêmico.

Por meio de projetos, os estudantes conseguem desenvolver competências de forma prática, motivados pela investigação e por desafios reais. Eles se organizam em grupos de trabalho e exercitam não só o planejamento, a execução e o cumprimento de tarefas, como também as habilidades relacionadas à gestão e desenvolvem competências socioemocionais.

Semelhante ao Ensino Baseado em Problemas, que já abordamos por aqui, o Ensino Baseado em Projetos também tem como objetivo estimular a criação de soluções para desafios. Mas a principal diferença está no fato de que, em um projeto, além da identificação de soluções, também se implementa ações, como o desenvolvimento de um produto final ou o alcance de um resultado tangível.

Por se tratar de uma metodologia ativa, o desenvolvimento de projetos educacionais tem alto poder de engajamento dos estudantes, tornando-se uma ferramenta importante na qualidade do ensino. Isso porque, em um projeto, os conhecimentos trabalhados nas aulas ganham uma aplicabilidade real, e os estudantes, por sua vez, são desafiados, de forma prática. Se você quiser conhecer mais sobre essa estratégia, o SEBRAE oferece um curso gratuito para professores sobre Cultura Digital e PBL. Vai lá e confere!

além disso,

em um projeto,

os jovens têm

a chance de

desenvolver:

Habilidades de comunicação

Senso de oportunidade

Análise crítica

Empatia

Capacidade de realização

Liderança

Sinergia

Pensamento lógico

Tudo isso faz com que o Ensino Baseado em Projetos se constitua em um grande laboratório para exercitar competências essenciais para o mundo de trabalho, para a atuação em sociedade e para a vida. Não por coincidência, é também uma das estratégias pedagógicas possíveis para implementar os Itinerários Formativos, previstos na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para o Ensino Médio. A seguir, entenda o passo a passo de um projeto e como começar a trabalhar dessa forma.

começando

pelo começo

Bom, se a ideia é criar um projeto educacional, vamos começar pelo começo:
definindo o que é o conceito de um projeto.

Um projeto tem, obrigatoriamente, começo, meio e fim. Assim, é um esforço temporário, que pode ter curta, média ou longa duração. Ao final, o projeto deve apresentar um resultado, ou seja, gerar um produto, um serviço ou alcançar uma meta específica; para isso, os recursos também são delimitados.

Um projeto pode ter natureza social, cultural, ambiental, de pesquisa ou ser apenas uma iniciativa pessoal. Na Educação, ele possibilita a interdisciplinaridade, integrando mais de uma área de conhecimento e mobilizando diferentes equipes e profissionais para a sua realização.

Uma das premissas do Ensino Baseado em Projetos é pensar nas necessidades da própria comunidade escolar, buscando resolver uma demanda de forma prática como a arrecadação de verba para a revitalização de um parquinho, a criação de uma horta escolar para ampliar a diversidade da merenda ou mesmo a reorganização da biblioteca.

Outra ideia é a realização de um evento envolvendo a comunidade escolar como uma Feira de Ciências, um Festival de Cultura ou um Festival de Cinema com filmes sobre empreendedorismo. Também podem ser criados projetos que beneficiem a comunidade local, como a solução de algum problema do entorno da escola, seja ambiental, de construção urbana, transporte etc.

Todos esses exemplos podem ser considerados Projetos de Empreendedorismo, uma vez que são, em sua essência, a identificação de oportunidades e a mobilização de competências para a superação de um desafio.

Ciclo de vida

de um
projeto

A metodologia do Ensino Baseado em Projetos tem como foco o incentivo ao estudante para que ele tenha uma postura ativa na construção e aplicação dos conhecimentos. Dessa forma, os professores irão atuar como mentores, estimulando a criatividade, contribuindo na identificação de caminhos e mobilizando os conhecimentos necessários, a fim de que o aprendizado se realize, principalmente pela ação dos estudantes.

Esses terão consciência sobre a importância de ser protagonista da sua trajetória educacional, adquirindo habilidades para que alcancem os seus objetivos. Tudo isso será adquirido por meio da realização de projetos.

As atividades desenvolvidas a partir do Ensino Baseado em Projetos conseguem também promover a interdisciplinaridade, envolvendo e articulando vários componentes curriculares. Esse conjunto de atividades fará com que competências essenciais para os dias atuais sejam desenvolvidas, tendo como exemplo: curiosidade, criatividade, raciocínio lógico e comunicação.

Com o aumento do uso de tecnologias digitais e o acesso à informação, enfatizou-se também a necessidade por uma educação mais contextualizada, em que o aluno desenvolva, além dos conteúdos, habilidades socioemocionais como a criticidade, criatividade, colaboração e comunicação. Nesse caso, os projetos podem nos ajudar a desenvolver essas habilidades de forma intencional e sistematizada, além de tornar o ensino mais estimulante e criar estudantes que tenham verdadeira paixão por aprender.” Afirmação de Lilian Bacich, mestre em Educação e doutora em Psicologia Escolar e Desenvolvimento Humano. Diretora - Tríade Educacional.

Em contextos escolares, esse modelo de aprendizagem pode ser desenvolvido em passos simples e que partam do reconhecimento de um problema. A questão a ser resolvida pode ser apresentada aos estudantes, mas é mais eficaz deixar que eles identifiquem a oportunidade e formulem os encaminhamentos por conta própria, com a orientação do professor. Isso contribui para que eles desenvolvam a iniciativa, a criatividade e capacidade crítica desde o início.

Em seguida, os estudantes devem investir nas possíveis soluções para o problema proposto, formulando hipóteses e caminhos, bem como a estratégia de ação. Depois disso, é hora de seguir para a execução, sempre lembrando da necessidade de fazer pausas para análises e, se preciso, da reformulação da estratégia ao longo do caminho.

Entenda um pouco melhor essa abordagem de ensino e aprendizado por meio do conhecimento de sete passos fundamentais para a sua execução:

1

Pergunta

transformadora

O primeiro passo para iniciar essa metodologia de aprendizado dentro da sala de aula será a apresentação de uma pergunta cuja resposta é complexa e requer análise, criatividade, estudo e pesquisa.

O educador deve propor um questionamento que faça com que os estudantes se motivem, dispensando tempo e conhecimento maior para encontrar a resposta. O questionamento pode estar relacionado ao contexto intra ou extraescolar. Essa dificuldade será a força motivadora a fim de que a turma tenha ânimo, com o intuito de buscar a solução para o problema apresentado.

Nesse contexto, o estudo sobre o tema será introduzido, dando ao educador clareza maior sobre o nível de conhecimento em que a sua turma se encontra.

Na implementação dos projetos, engajar o aluno é fundamental para que eles se envolvam nas etapas de produção e a fim de que, consequentemente, a metodologia se desenvolva centrada no estudante. É essencial na Aprendizagem Baseada em Projetos a existência de uma questão norteadora para os alunos. Essa questão deve ser bem elaborada e construída coletivamente para que seja respondida apenas ao final do projeto, concretizando-se no produto que se deseja obter desse processo”, afirma Lilian Bacich, mestre em Educação e doutora em Psicologia Escolar e Desenvolvimento Humano. Diretora - Tríade Educacional.

2

Apresentação

do desafio

Agora que o questionamento sobre o assunto escolhido foi formulado, o educador deve encontrar estratégias para estimular os alunos a definir o desafio. É fundamental sempre ter em mente que o desafio a ser escolhido deve ser pautado nas premissas do Ensino Baseado em Projetos, ou seja, toda atividade deve ser voltada ao desenvolvimento de competências essenciais, mobilizando conhecimentos, habilidades, atitudes e valores para resolver demandas complexas da vida cotidiana, do exercício da cidadania e do mundo do trabalho.

O desafio deve ser visto como uma ação de culminância e pode ser pensado em forma de apresentação sobre o tema em questão, de uma pesquisa detalhada, por meio da qual é possível identificar as características desenvolvidas no decorrer do projeto ou de outra atividade que demonstre a evolução do processo.

3

Pesquisa

sobre o assunto

Esta etapa do aprendizado será destinada ao desenvolvimento da habilidade investigativa e analítica. Os professores devem incentivar e orientar os alunos para que eles se aprofundem no tema escolhido, pesquisando sobre o contexto, recursos a serem mobilizados e conhecimentos mais específicos para apoiar na implementação das ações do resultado final.

É importante que os professores orientem sobre possíveis caminhos, porém, deixem que os estudantes sejam ativos e protagonistas da própria curadoria. Eles vão perceber o poder da pesquisa e da apuração de fatos, além de entender que os problemas podem ser resolvidos de diversas maneiras.

4

Colocando o desafio em prática

Com a pesquisa pronta, chegou o momento de aplicar o conhecimento e as habilidades adquiridas para desenvolver as estratégias para o desafio apresentado na segunda etapa e implementar a solução proposta, ou seja, a ação de culminância. É preciso que o estudante entenda que tudo aquilo construído durante o trabalho de pesquisa deve ser colocado em prática para que as ações façam sentido.

Os professores podem ajudar os estudantes a executar o que foi colocado como desafio. Caberá a eles supervisionar e orientar os alunos, mas a prática e a aplicação das soluções devem partir da turma.

5 Reflexão e feedback

A utilização de reflexões e feedbacks será indispensável para a análise e incorporação de tudo o que foi feito. Os estudantes conseguirão compartilhar todo o processo, relatando o aprendizado e abrindo espaços para debates construtivos.

Tal etapa da Aprendizagem Baseada em Projetos deve ser realizada tendo em vista os questionamentos sobre o tema abordado, os conhecimentos construídos e a reflexão sobre a ação implementada. Tanto os estudantes quanto os professores devem aproveitar o momento para perguntar e buscar o máximo de informações com a participação de todos os membros da turma.

Isso fará com que todos consigam incorporar uma nova visão sobre a resolução de problemas, consolidando o desenvolvimento de competências empreendedoras fundamentais para atuação do estudante ao longo da sua trajetória pessoal e profissional.

6

Respondendo à pergunta transformadora

Posteriormente aos processos de análise, estudo, pesquisa e ação, chegou o tão esperado ponto no qual seja pertinente responder à pergunta transformadora. O educador deve ter a sensibilidade de sentir o momento certo de refazer a pergunta.

Ela deve ser refeita depois que todos os estudantes estejam prontos e preparados para apresentar respostas que solucionem o problema apresentado no início do projeto. É provável que o professor encontre respostas e pontos de vista diversos , sendo essa diversidade a parte mais importante dessa metodologia de aprendizado.

Mulher com um tablet nas mãos

“A avaliação deve ser, sempre que possível, formativa, e um espaço onde os pares, ou mesmo o professor, possam realizar um feedback efetivo para o desenvolvimento das etapas ao longo do projeto.” Essa afirmação foi feita por Lilian Bacich, mestre em Educação e doutora em Psicologia Escolar e Desenvolvimento Humano. Diretora - Tríade Educacional.

7

Avaliação

Com o objetivo de completar o aprendizado, o professor deve fazer uma avaliação a fim de entender como a atividade foi útil aos estudantes. Essa atividade avaliativa pode ser uma produção escrita, um relatório, uma apresentação ou até mesmo uma prova.

O fundamental é que o educador sinta qual a melhor forma de compreender se a turma realmente conseguiu construir, mobilizar e reforçar conhecimentos, habilidade e atitudes. Vale ressaltar que o importante é entender se o estudante conseguiu vivenciar todo o processo e aproveitar a atividade para acessar novas aprendizagens e potencializar o seu desenvolvimento.

Os sete passos apresentados mostram bem a Aprendizagem Baseada em Projetos), porém, existem outras metodologias de Gestão de Projetos. A sua instituição de ensino pode optar por caminhos alternativos que se encaixem com a proposta educacional pensada. Embora distintas, a maioria delas tem o mesmo objetivo quando o assunto é o ciclo de vida e as etapas de um projeto.

Novas formas

de implementar projetos empreendedores na escola

Colocar em prática a Aprendizagem Baseada em Projetos é um importante caminho para o desenvolvimento de competências empreendedoras, afinal de contas o empreendedorismo se consolida quando alguém age sobre oportunidades e ideias e as transforma em valor financeiro, cultural ou social para os outros, contribuindo para a superação de problemas reais.

Construir competências empreendedoras desde a infância possibilita uma atuação protagonista perante a vida, atuando de forma diferenciada para resolver desafios do cotidiano, na prática profissional e na convivência em sociedade.

Ao implementar a Aprendizagem Baseada em Projetos, estamos desenvolvendo Projetos de Empreendedorismo. Isso pode ser feito em todas as etapas da educação básica e superior, adaptando e contextualizando ao perfil de cada faixa etária e grupo de trabalho.

No Ensino Fundamental, os projetos podem estimular a criatividade e o pensamento crítico dos estudantes, incentivando-os a sonhar e a terem vontade de realizar os seus sonhos. O Sebrae desenvolveu a estratégia “Jovens empreendedores: primeiros passos para os anos iniciais e anos finais do Ensino Fundamental”. Você já conhece essa estratégia?

No Ensino Médio, o empreendedorismo é um dos eixos estruturantes dentro da proposta dos Itinerários Formativos da BNCC. O desenvolvimento de um Projeto de Empreendedorismo pode ser uma excelente estratégia para implementar iniciativas que fortaleçam a atuação dos estudantes como protagonistas de sua trajetória e realizem o seu Projeto de Vida. Os seus alunos estão “no corre” desse momento? Então se engaje com eles e vamos junto construir projetos empreendedores!

Em relação ao Ensino Superior, trabalhar as teorias e os conceitos em um Projeto de Empreendedorismo ajuda a aproximar, ainda mais, os estudantes da realidade do mercado de trabalho, podendo ter uma primeira experiência prática com a futura profissão.

O desafio Lourdinas de Empreendedorismo e Inovação é uma iniciativa interessante que utiliza a metodologia PBL.

Com o objetivo de ajudar educadores e instituições de ensino de todo o país, o Sebrae disponibiliza, gratuitamente, o Guia Essencial do Novo Empreendedor, isto é, uma publicação com o passo a passo completo para a criação de um Projeto de Empreendedorismo.

Dividido em quatro volumes, o Guia é uma ferramenta prática que busca ajudar a tirar ideias do papel, transformando-as em projetos viáveis e sustentáveis. No primeiro volume, chamado de Descoberta, o foco é auxiliar estudantes a encontrar seu propósito e a conectar seus talentos a novas oportunidades.

É esta fase que vai contribuir com a etapa de Iniciação, vista acima. Já o volume 2, Ideação, é um Guia para a fase de Planejamento do Projeto. O volume 3, Modelagem e Proposta de Valor, traz ferramentas para a execução do projeto em si, como o desenho de um Modelo de Negócio que crie valor. O volume 4, Implantação, traz o passo a passo para colocar o projeto em prática.

O Guia Essencial do Novo Empreendedor pode ser baixado, gratuitamente, aqui no Portal do CER. Além disso, o Sebrae oferece um curso gratuito e on-line voltado a educadores que querem utilizar o Guia em seus Projetos de Educação.

Outro recurso interessante para quem deseja implementar a Educação Baseada em Projetos é o curso Bora Empreender. As aulas estimulam o estudante a desenvolver ideias de negócio e são gratuitas. Confira mais informações aqui.

E, então, você se sente mais preparado para criar seu primeiro Projeto Educacional? Visite a página do CER Histórias e inspire-se em iniciativas criadas por educadores de todo o país e mãos à obra!

Assine a Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades